Humberto Souto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Humberto Souto
Foto:Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Prefeito de Montes Claros Bandeira MontesClaros MinasGerais Brasil.svg
Mandato 1º de janeiro de 2017 até a atualidade
Antecessor(a) Ruy Muniz
Deputado federal por Minas Gerais Minas Gerais
Mandato De 1º de fevereiro de 2007
até 31 de janeiro de 2011
De 19 de dezembro de 2012 até 31 de janeiro de 2015

De 1º de fevereiro de 1975
até 24 de agosto de 1995
(6 mandatos consecutivos)

Deputado estadual de Minas Gerais Minas Gerais
Mandato 1971 a 1975
Ministro do Tribunal de Contas da União
Mandato 24 de agosto de 1995
até 2 de junho de 2004
Nomeado(a) por Fernando Henrique Cardoso
Antecessor(a) Élvia Castello Branco
Sucessor(a) Augusto Nardes
Dados pessoais
Nascimento 3 de junho de 1934 (83 anos)
Montes Claros-MG
Alma mater Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas

Humberto Guimarães Souto (Montes Claros, 3 de junho de 1934) é um advogado, contador e político brasileiro, sendo o atual prefeito de Montes Claros.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bacharel em Direito pela Faculdade Brasileira de Ciências Jurídicas do Rio de Janeiro, iniciou a carreira pública como vereador de sua cidade natal, Montes Claros, em 1962. Em 1970 concorre ao cargo de deputado estadual de Minas Gerais pela Arena, obtendo a suplência. Assume o mandato eventualmente entre 1971/72. No ano seguinte assume em definitivo por renúncia de um dos titulares.[1] Em 1974 elege-se deputado federal, o primeiro de seis mandatos consecutivos. Neste período, além da Arena, foi filiado ao PDS (1980-1984) e PFL (1984-1995).

Durante o governo Collor, foi vice-líder (1990) e depois líder do governo na Câmara dos Deputados (1991-92). Votou contra seu impeachment.[2]

Em 1995 é indicado pela Câmara dos Deputados para exercer o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União.[3] Ali permanece de 1995 a 2004 quando se aposenta. Em 2006 retorna à política elegendo-se deputado federal, pela 7ª vez, agora no PPS. Em 2010, não conseguiu a reeleição para a Câmara dos Deputados, ficando na quinta suplência da Coligação PPS/PSDB/DEM/PR/PP.

Em 2012 concorre a prefeito de Montes Claros pelo PPS, substituindo Athos Avelino, que temia ter sua candidatura impugnada em última instância pelo TSE, com base na lei da Ficha Limpa. Contando com apenas 20 dias para fazer a campanha, aproveitou o pouco tempo para denunciar a corrupção na prefeitura de Montes Claros. Contrariou todas as pesquisas de opinião e quase passou para segundo turno, conquistando expressivos 23,97% dos votos válidos.

Retornou à Câmara dos Deputados em 19 de de dezembro de 2012, na vaga deixada por Carlaile Pedrosa, que renunciou ao mandato de deputado federal para assumir a Prefeitura de Betim/MG.

Em 2014 sofre novo revés ao perder a reeleição para deputado federal. Dessa vez, contudo, obteve a primeira suplência da Coligação PPS/PDT/PV, com 70.924 votos.

Em 2016 foi eleito prefeito de Montes Claros no segundo turno, com 123.156 votos (65,31% dos válidos), derrotando Ruy Muniz, do PSB, que buscava a reeleição. Tomou posse como prefeito em 1º de janeiro de 2017.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências