Alexandre Baldy

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alexandre Baldy
Secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo
Período 1 de janeiro de 2019 até a atualidade
Governador João Dória
Ministro das Cidades do Brasil
Período 22 de novembro de 2017 a 31 de dezembro de 2018
Presidente Michel Temer
Antecessor Bruno Araújo
Sucessor cargo extinto
Deputado federal por Goiás
Período 1º de fevereiro de 2015 a 22 de novembro de 2017
Secretário de Indústria e Comércio de Goiás
Período 2011 até 2013
Governador Marconi Perillo
Dados pessoais
Nome completo Alexandre Baldy de Sant'Anna Braga
Nascimento 21 de julho de 1980 (39 anos)
Goiânia, Goiás
Nacionalidade Brasileiro
Partido PSDB (2010-2015)
PODE (2015-2017)
PP (2017-presente)
Profissão Político e industrial

Alexandre Baldy de Sant'Anna Braga (Goiânia, 21 de julho de 1980) é um industrial e político brasileiro filiado ao Progressistas (PP). Atualmente é secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo[1]

Baldy foi deputado federal por Goiás e Ministro das Cidades do Brasil.[2] Entre 2011 e 2013, foi secretário de Indústria e Comércio de Goiás, nomeado pelo governador Marconi Perillo.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nas eleições de 2014, realizadas em 5 de outubro, foi eleito deputado federal pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) por Goiás para a 55ª legislatura (2015 — 2019) com 107.544 votos (3,55%).[2] Durante a legislatura, ingressou no PODE (ex-PTN).

Votou a favor do processo de impeachment de Dilma Rousseff.[4] Posteriormente, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[4] Em abril de 2017, apoiou a reforma trabalhista.[4] [5] Em agosto de 2017, votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[4][6]

Em agosto de 2017, foi afastado da liderança do Podemos após o deputado votar a favor do arquivamento da denúncia contra o ex-presidente Michel Temer, na CCJ. Dias depois, anunciou que deixaria o partido. Já em novembro, foi indicado pelo presidente Michel Temer para ocupar o Ministério das Cidades. Em 20 de novembro, foi anunciada a desfiliação do Podemos e sua filiação ao Partido Progressista para poder assumir o ministério.[7][8] Tomou posse no dia 22.[9]

Referências

  1. «Doria anuncia Baldy para comandar Transportes - Política». Estadão. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  2. a b «Alexandre Baldy 4555». Eleições 2014. Consultado em 28 de abril de 2015 
  3. «A trajetória de Alexandre Baldy». Diário da Manhã. 29 de setembro de 2014. Consultado em 28 de abril de 2015 [ligação inativa]
  4. a b c d G1 (2 de agosto de 2017). «Veja como deputados votaram no impeachment de Dilma, na PEC 241, na reforma trabalhista e na denúncia contra Temer». Consultado em 11 de outubro de 2017 
  5. Redação (27 de abril de 2017). «Reforma trabalhista: como votaram os deputados». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  6. Carta Capital (3 de agosto de 2017). «Como votou cada deputado sobre a denúncia contra Temer». Consultado em 18 de setembro de 2017 
  7. «Podemos anuncia desfiliação de Alexandre Baldy, escolhido para Ministério das Cidades». O Globo. 20 de novembro de 2017 
  8. «Podemos anuncia desfiliação de Baldy, que irá para o PP para assumir Cidades». Folha de S.Paulo 
  9. «Baldy anuncia que tomará posse como ministro das Cidades nesta quarta». G1. 20 de novembro de 2017. Consultado em 22 de novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Bruno Araújo
Ministro das Cidades
2017–2019
Sucedido por
-