Minha Casa, Minha Vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Minha Casa, Minha Vida em Eunápolis (Bahia).
Uma identificação do Minha Casa, Minha Vida em Capitão de Campos, no Piauí.

O Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV) foi lançado em março de 2009 pelo Governo Federal. O PMCMV subsidia a aquisição da casa ou apartamento próprio para famílias com renda até 1,6 mil reais e facilita as condições de acesso ao imóvel para famílias com renda até de 5 mil.[1][2]

O programa tem cinco modalidades para a Faixa 1 de renda (famílias com renda de até 1,6 mil reais): Empresas, entidades, FGTS, Municípios com até 50 mil habitantes e rural. Cada modalidade atende um público específico. Os recursos do MCMV são do orçamento do Ministério das Cidades repassados para a Caixa Econômica Federal.[3]

Reformas no Minha Casa, Minha Vida[editar | editar código-fonte]

No ano de 2017 o programa Minha Casa Minha Vida, no governo Temer, sofreu algumas mudanças importantes. Inicialmente o programa teve a adesão da faixa 1,5 entre meio a faixa 1 e 2. O Programa também teve mudanças na renda máxima das faixas 1,5 e 2 aumentando para até R$2.600,00 na Faixa 1,5 e até R$4.000,00 na faixa 2[4].

Referências

  1. «Minha Casa Minha Vida - Habitação Popular | Caixa». www.caixa.gov.br. Consultado em 31 de março de 2017 
  2. «Ministério das Cidades». www.cidades.gov.br. Consultado em 31 de março de 2017 
  3. Brasil, Portal. «Entenda como funciona o Minha Casa Minha Vida». Portal Brasil. Consultado em 31 de março de 2017 
  4. «Reformas no programa - Minha Casa Minha Vida Caixa». Programa Minha Casa Minha Vida 2017. 15 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]