Ribeirão das Neves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ribeirão das Neves
  Município do Brasil  
Região do Centro de Ribeirão das Neves
Região do Centro de Ribeirão das Neves
Símbolos
Bandeira de Ribeirão das Neves
Bandeira
Brasão de armas de Ribeirão das Neves
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Neves"
Gentílico nevense[1]
Localização
Localização de Ribeirão das Neves em Minas Gerais
Localização de Ribeirão das Neves em Minas Gerais
Mapa de Ribeirão das Neves
Coordenadas 19° 46' 01" S 44° 05' 13" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Belo Horizonte
Região imediata[2] Belo Horizonte
Região metropolitana Belo Horizonte
Municípios limítrofes Belo Horizonte, Contagem, Esmeraldas, Pedro Leopoldo, Vespasiano e São José da Lapa
Distância até a capital 32 km
História
Aniversário 12 de dezembro de 1953 (67 anos)
Administração
Distritos
Prefeito(a) Moacir Martins da Costa Junior[4] (DEM, 2021 – 2024)
Vereadores 14
Características geográficas
Área total [1] 155,454 km²
População total (estimativa IBGE/2021[6]) 341 415 hab.
 • Posição MG: 7º
Densidade 2 196,2 hab./km²
Clima tropical de altitude (Cwa)
Altitude 808 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 33800-000 a 33979-999[5]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,684 médio
PIB (IBGE/2018[8]) R$ 4 102 356,55 mil
PIB per capita (IBGE/2018[8]) R$ 12 392,14
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora das Neves[9]
Sítio ribeiraodasneves.mg.gov.br (Prefeitura)
cmrn.mg.gov.br (Câmara)

Ribeirão das Neves é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Pertence à Região Metropolitana de Belo Horizonte, sendo o sétimo município mais populoso do estado, reunindo 341 415 habitantes segundo estimativa de 2021.[6]

Ribeirão das Neves foi considerada um município dormitório, pois a maior parte de seus moradores trabalhavam na capital mineira, ou nos municípios vizinhos que também fazem parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte. A economia do município concentra-se na indústria e no comércio em geral, que emprega a população economicamente ativa.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Criação[editar | editar código-fonte]

Antes denominado Matas de Bento Pires, tem suas primeiras documentações datadas do século XVIII, o qual denominava-se "Matas de Bento Pires". Em 1745 Jacintho Vieira da Costa, então mestre de campo, obtêm os direitos das terras de Matas de Bento Pires. Constrói uma capela dedicada à Nossa Senhora das Neves que é responsável por nomear a Fazenda das Neves e posteriormente ao Engenho das Neves em 1946.[11]

Registro da rua Ari Teixeira da Costa (Região Central), 1985

Vieira da Costa morre em 1760 legando os direitos de terra e bens ao seu filho, Antonio Vieira da Costa, que morre em 1796 sem herdeiros. Com o leilão dos bens o Capitão José Luis de Andrade, português, morador de Vila do Sabará, toma posse da Fazenda das Neves e também da Fazenda dos Carijós, onde atualmente encontram-se os bairros Santa Marta, Santa Martinha, Porto Seguro e Nova União.[12]

Com o crescimento da capela, em 1820 é criada uma Guarda-Moria nas capelas de Nossa Senhora das Neves e de Santo Antônio da Venda Nova e com isso a região é elevada a Distrito de Paz, em 1830 com uma população de cerca de 1.240 pessoas. Mas em 1846 a degradação da capela e aumento da população faz com que o então vereador, Padre José Maria de Andrade, reduzisse Neves a condição de distrito novamente. Neves é então anexada ao distrito de Venda Nova e posteriormente ao distrito de Pindahybas, atual Vera Cruz de Minas e assim ficou até 1911 quando as duas foram anexadas ao município de Contagem.[11]

Governador Antônio Carlos Ribeiro no Lançamento da Pedra Fundamental da 1ª Penitenciária Agrícola e Industrial do estado, 1929

O estado de Minas Gerais toma posse de parte da Fazenda das Neves para a construção de uma penitenciária agrícola, em 1927. A construção da pen

itenciária aumenta a população e é finalizada em 1938 como Penitenciária Agrícola de Neves. Passando a fazer parte de vários municípios, só é elevado à categoria de município em 12 de dezembro de 1953 com a denominação de Ribeirão das Neves, tendo como distrito Justinópolis, antigo Campanhã, e subdistrito Areias.[11][12]

Campanhã pertencia inicialmente ao distrito de Venda Nova e em 1911, com a criação do Município de Contagem, passa a constituir um dos três distritos deste Município. Tal feito deve-se à Antônio Justino da Rocha, político do partido Republicano, pois seus esforços foram essenciais para tornar a localidade um distrito. Criado o Município de Ribeirão das Neves em 1953, Campanhã passa a integrá-lo com o nome de Justinópolis.[13][14]

Por fim, o Distrito de Veneza foi criado pela Lei nº 3.388, de 15 de junho de 2011.[15] Levou esse nome pelo fato do Bairro Veneza ser o maior loteamento popular da região, realizado no final da década de 1970 e constituído por cerca de 4.000 lotes.[16]

Expansão Urbana[editar | editar código-fonte]

Em 1950, quando ainda pertencia a Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves era um pequeno povoado com uma população apenas ligeiramente superior a 4 mil habitantes. Mas, em um período de apenas 50 anos, a população do município cresceu vertiginosamente, ultrapassando 246 mil habitantes, em 2000.[17]

Segundo o PLAMBEL (órgão extinto responsável pela organização metropolitana), a formação do espaço físico Nevense foi orientada pelo mercado imobiliário privado, obedecendo aos interesses econômicos dos loteadores.[18]

Durante os anos 70 a população de Ribeirão das Neves apresentou a sua maior taxa geométrica de crescimento: 21,36% ao ano. E, ainda como reflexo do comportamento do mercado imobiliário nos períodos anteriores, o crescimento populacional de Justinópolis - a uma taxa média anual de 27,2% - explicou nada mais nada menos que 84% do crescimento populacional do município. Ainda nesse período, a população da Sede também cresceu a um ritmo extremamente alto (de 11,09% ao ano), mas sua participação relativa no incremento absoluto total do município foi de apenas 15,9%. Significa dizer que nos anos 60 e 70 Ribeirão das Neves cresceu em função da dinâmica demográfica de Justinópolis, basicamente. Em síntese, Neves passou de 9.707 habitantes (aproximadamente) em 1970, para 143.853 habitantes ao fim da década de 1980.[19][18][20]

Avenida dos Nogueiras, com o Estádio Municipal ao fundo - 1983

Os dados sugerem que o crescimento populacional de Neves, está intimamente associado ao processo de expansão urbana de Belo Horizonte e reflete, portanto, seu poder de atração e retenção populacional. Os loteamentos de Ribeirão das Neves representaram para muitos uma oportunidade, senão a única, de adquirir moradia própria. Representaram, também, para essas pessoas, a chance de continuar residindo nas proximidades da Capital e, portanto, de estar inserido em seu mercado de trabalho.[21]

A Sede e Justinópolis são núcleos urbanos mais antigos e, portanto, consolidados. Possuem setor comercial relativamente desenvolvido e alguns equipamentos de uso público como escolas e centros de saúde. Além desses fatores, a Sede abriga o poder político-administrativo e Justinópolis conta com uma proximidade espacial maior de Belo Horizonte, fatores que contribuem para a valorização dos terrenos localizados nessas duas áreas e, portanto, tornam-nas mais atraentes para o surgimento de novos parcelamentos imobiliários.[17][21]

Divisão Municipal[editar | editar código-fonte]

Ribeirão das Neves conta com três macro-regionais:[22]

  • A regional Centro:[22]
Igreja Nossa senhora da Piedade Coreto.

Abrigando diversas agencias bancarias como: Itaú, Bradesco, Mercantil, Brasil, Santander, Sicoob e Caixa Econômica, se destaca pela prestação de serviços aos moradores de todas as regiões da cidade. Abriga grande parte da população economicamente ativa, e é a região do município com maior infraestrutura[22].

Possui uma avenida de grande porte, a Av Eduardo Brandão, que liga o Centro da Cidade a BH 040, além da LMG-806, que liga a sede do município as outras duas regiões da cidade[23]

  • O distrito de Justinópolis:[22]

Região localizada na divisa de Ribeirão das Neves com Belo Horizonte e Contagem.[22] e é uma das regiões que mais crescem em Ribeirão das Neves devido ao grande número de comércio e atividades como prestação de serviços.[22]

Entrada do bairro Veneza
  • A regional Veneza:[22]

Situa se ao norte do centro município e é contornado por duas rodovias, sendo a rodovia federal BR 040 e a rodovia estadual MG 432.

Juntas, as regiões do município abrigam mais de 180 bairros e apresentam uma extensão territorial de 155 km².[22]

Economia[editar | editar código-fonte]

Bairros Santa Matilde e São Geraldo, ambos região do Centro

Em 2017 o salário médio era de 2 salários mínimos.[6][24] O PIB per capita em 2018 era R$ 12.392,14.[8]

Ribeirão das Neves possui algumas fábricas que fortalecem o crescimento do município e um comércio em crescimento, que abriga parte da população economicamente ativa. Sua economia é baseada na atividade de indústrias como as de cerâmicas, canos, tecidos, refrigerantes, farmacêutica, além de um número expressivo de atacadistas e centros de distribuição. Parte da população também trabalha no setor primário e na agricultura de pequeno porte. O setor primário de Ribeirão das Neves conta também com a extração de pedras britadas e ornamentais, basicamente, gnaisse.[14][22]

Nos últimos anos, a prefeitura de Ribeirão das Neves vem investindo na infraestrutura da cidade, de modo a atrair empresas e indústrias para a cidade. Um exemplo desses empreendimentos foi a elaboração e inauguração da avenida Eduardo Brandão que liga o município diretamente a BR 040. Com centenas de lotes ao redor dessa via, o poder executivo da cidade espera que companhias se instalem e se desenvolvam, criando postos de trabalho para os munícipes, eliminando, assim, o título de cidade dormitório.[25]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

O meio mais comum de transporte na cidade é o rodoviário, sendo que a grande maioria dos nevenses dependem exclusivamente do transporte publico.[26]

Ribeirão das neves tem aproximadamente 115.908 veículos, sendo o 13° munícipio de Minas Gerais com maior frota.[27]

MOVE[editar | editar código-fonte]

Estação MOVE.

Ribeirão das Neves atualmente conta com um dos mais modernos meios de transporte do Brasil, o BRT, que na região metropolitana de Belo Horizonte é popularmente chamado de MOVE.[28]

Os usuários desse meio de transporte contam com uma estação dentro do município, na região de Justinópolis, o terminal Justinópolis, que foi inaugurado em 2016.[26]

O terminal Justinópolis recebe dezenas de linhas alimentadoras de diversos bairros de Ribeirão das Neves, que são direcionados para as linhas troncais. São cerca de 780 viagens por dia com número aproximado de 32 mil passageiros diariamente.[29][30]

A estação Vilarinho, localizada na região de Venda Nova na Capital, também recebe diariamente dezenas de linhas alimentadoras de diversos bairro de Ribeirão das Neves que fazem integração com o metrô de Belo Horizonte.[31]

Ônibus municipal.

SIT Neves[editar | editar código-fonte]

Desde 2019 está em operação em Ribeirão das Neves o SIT Neves.[32]

Seguindo o modelo do MOVE metropolitano, mas com circulação apenas municipal, o SIT Neves é um dos meios mais utilizado dentro do munícipio de Ribeirão das Neves.[33]

São duas estações principais, uma localizada na área central da cidade, que recebe linhas alimentadoras da região central e do Veneza, e a outra na divisa com Belo Horizonte, no bairro Lagoinha, que recebe a linha T300, vinda do centro da cidade, além de outras linhas alimentadoras da região de Justinópolis.[34]


Educação[editar | editar código-fonte]

Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: 96,5%[6]

Matrículas no ensino fundamental: 41.426 matrículas[6]

Matrículas no ensino médio 13.727 matrículas[6]

Docentes do ensino fundamental: 1.990 docentes[6]

Docentes do ensino médio: 825 docentes[6]

Números de estabelecimentos de ensino fundamental: 95 escolas[6]

Números de estabelecimentos de ensino médio: 36 escolas[6]

Porém, devido à defasagem nos dados, e em busca de dados mais atualizados, foi identificado através da Secretaria Municipal de Educação – Censo Escolar de 2019, do Ministério da Educação, o município conta, hoje, com 66 escolas municipais, sendo 10.301 alunos matriculados na Educação Infantil; 10.219 no Ensino Fundamental e 2.032 alunos na Educação de Jovens e Adultos (EJA), totalizando 22.852 matriculados na rede municipal de ensino.[22][35]

Na EJA, são 17 polos que ofertam essa modalidade de ensino visando atender pessoas que não completaram o ensino regular no tempo esperado, sendo assim distribuídos pelo município: 08 polos na região de Justinópolis, 04 polos na região Centro e 05 polos na região Veneza.[22][35]

Instituto Federal de Minas Gerais, campus Ribeirão das Neves

Tomando como base de dados as informações constantes no Censo Educacional de 2019, hoje, o município conta com 47 escolas estaduais, atendendo tanto alunos no Ensino Fundamental quanto no Ensino Médio. No Ensino Médio, foram 11.175 matrículas em 27 escolas estaduais e uma escola particular. A taxa de evasão escolar, conforme a Secretaria Municipal de Educação, é de 5,6%.[22][35]

Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo[editar | editar código-fonte]

Com cerca de 540.000 m², a cidade dos meninos possuem uma excelente infraestrutura com quadras de esportes, igrejas, auditório com capacidade para 2000 pessoas, ginásio coberto, salão de festas, oficinas profissionalizantes, fazenda-escola, teatro, campo de futebol e dormitórios.[36]

Fundada em 1994, a cidade dos meninos atende jovens de Ribeirão das Neves e região, proporcionando educação, esporte e lazer.[37]

IFMG[editar | editar código-fonte]

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais é uma instituição pública de ensino, que faz parte da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação.[38]

Foi inaugurado em 2016 o campus IFMG - Instituto Federal de Minas Gerais em Ribeirão das Neves.[39] O campus atende aproximadamente 1.2 mil estudantes e com aulas convencionais, laboratórios, auditório, quadra poliesportiva. O campus Ribeirão das Neves do IFMG oferta para a população nevense e de outros municípios vizinhos diversos cursos técnicos e superiores.[40][41]

Segurança[editar | editar código-fonte]

Fórum de Ribeirão das Neves

O município de Ribeirão das Neves conta com sete delegacias distribuídas em todos os distritos municipais e organizadas no seguinte formato:[42][22]

  • 3º Delegacia Regional Ribeirão das Neves;
  • Delegacia Adjunta de Trânsito e Acidente de Veículos;
  • Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher;
  • 2º Distrito Policial de Ribeirão das Neves;
  • Delegacia Especializada de Homicídios;
  • 3º Distrito Policial do Veneza; e
  • 1º Distrito Policial de Justinópolis.
Guarda Municipal - GCM[editar | editar código-fonte]
Veículos característicos da GCM de Ribeirão das Neves

Neves também é contemplada com uma moderna Guarda Municipal, desde 28 de dezembro de 2006, com a lei Nº 4.068/2020.[43] A Guarda Civil Municipal de Ribeirão das Neves, designada pela sigla GCM é uma instituição permanente, de caráter civil, armada com arma de fogo, uniformizada, regida pelos princípios da hierarquia, da obediência, da disciplina, da moral, da ética e da lealdade.[44] Atualmente, a GCM destina-se ao cumprimento de suas atribuições constitucionais (coibir infrações penais, e a proteção da cidade em geral), como forma de contribuir, objetivamente, para a melhoria da qualidade da segurança pública, podendo colaborar ou atuar em conjunto com os órgãos de Segurança Pública da União, dos Estados e do Distrito Federal ou de congêneres de Municípios vizinhos.[45]

Presídios[editar | editar código-fonte]
Vista parcial do conjunto residencial dos funcionários. Ao fundo, uma das alas do presídio. Foto tirada entre 1940 e 70

Ribeirão das Neves tem o maior sistema prisional de Minas Gerais. Conta com um Centro de Apoio Médico e Pericial, três presídios e uma penitenciária, que, por sinal, é a primeira penitenciária agrícola do Estado. Construída a partir de 1927, a mando do então Presidente da República Washington Luís, foi instalada na zona rural de Contagem, numa localidade conhecida como Fazenda das Neves. Em 1937, a Lei nº 968 criou a Penitenciária Agrícola de Neves, com quatro pavilhões, 925 hectares, 200 casas para funcionários e nada menos que 300 mil pés de laranjas.[46][47][22]

O presídio só foi inaugurado em 1938, porque o Presidente Getúlio Vargas não tinha agenda para participar da cerimônia antes disso. Muitos comentavam que no discurso, Vargas falou da honra de criar a primeira penitenciária autossustentável do continente sul-americano e ela se manteve como um modelo para o sistema carcerário no Brasil por muitas décadas.[22]

O município tem ainda uma PPP, que é um projeto pioneiro no país com a parceria público-privada. É o primeiro presídio construído e gerido pela iniciativa privada no Brasil que teve adesão de empresas de vários âmbitos, sendo uma nova proposta para o sistema prisional que traz a cópia do modelo inglês. Nele, todos os presidiários têm que trabalhar e estudar obrigatoriamente. Para isso, foram construídas salas de aula, uma biblioteca com vários títulos e autores e ainda, ensino profissionalizante.[22][14][48]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município de Ribeirão das Neves possui uma rede de saúde organizada da seguinte forma:[22]

Serviço de Urgência e Emergência[editar | editar código-fonte]

Hospital Municipal de Ribeirão das Neves

Assistência hospitalar realizada através do:[49][22]

  • Hospital e Maternidade Municipal São Judas Tadeu;
  • Atenção de urgência através de 02 Unidades de Pronto Atendimento (UPA): Joanico Cirilo de Abreu na região Central e Acrízio Menezes na região de Justinópolis;

Atenção primária à saúde[editar | editar código-fonte]

São 07 Unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF):[49][22]

  • ESF Arlete I;
  • ESF Arlete II;
  • ESF San Marino
  • ESF Tony; 5. ESF São Judas;
  • ESF Franciscadriangela;
  • ESF Status.
UPA Justinópolis

O município conta com 56 Equipes de Estratégia de Saúde da Família, distribuídas em 44 bairros, e 5 Unidades Básicas de Referência:[22]

  • UBR Arlete de Souza, na região Central;
  • UBR Alarico Modesto, na região de Justinópolis;
  • UBR João Francisco Torres, na região de Justinópolis;
  • UBR Expedito Monteiro, na região de Justinópolis; e
  • UBR Raimundo Firmo na região do Veneza.

Serviços de saúde mental[editar | editar código-fonte]

As unidades são:[22]

  • 1 Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-ad), na região Central;
  • 1 Centro de Atenção Psicossocial da Infância e Adolescência (CAPSi José César Moraes), na região Central;
  • 1 Núcleo de Atenção Psicossocial Adulto (NAPS RENASCER), na região Central; e
  • 3 (Ambulatórios de Saúde Mental: Acolher, Claramente e Veredas, localizados um em cada uma das macrorregiões – Centro, Veneza e Justinópolis, respectivamente).

Serviços de apoio[editar | editar código-fonte]

Os serviços são o/a:[22]

  • Farmácia Central, no bairro status; e
  • Laboratório Municipal de Análises Clínicas Lab. Neves, no bairro Cerejeiras.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Vista do bairro São Pedro, Região Central

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[50] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Belo Horizonte.[2] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Belo Horizonte, que por sua vez estava incluída na mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte.[51]

Descrição fisiográfica[editar | editar código-fonte]

  • Altitude máxima: 1.019 metros - Córrego do Café
  • Altitude mínima: 730 metros - Córrego Água Fria

Clima[editar | editar código-fonte]

  • Temperatura média anual: 22 °C
  • Temperatura máxima: 30 °C
  • Temperatura mínima: 11 °C
  • Índice Pluviométrico Anual: 1.400mm
Vista da BR 040 na altura do bairro San marino

Topografia[editar | editar código-fonte]

  • 10% plano
  • 25% ondulado
  • 65% montanhoso

Rodovias de acesso[editar | editar código-fonte]

Áreas verdes e problemas ambientais[editar | editar código-fonte]

Monumento "Eu amo Neves" na praça Central da Cidade.

Durante o processo de ocupação da RMBH, em que Neves está incluída, houve um intenso processo de produção de loteamentos, sob o comando do capital imobiliário privado, com altas taxas de desmatamento para abrigar os bairros. Com poucas exceções, até a metade da década de 1970, o controle sobre o uso da terra e seu parcelamento eram questões que diziam respeito às autoridades de cada município, não havendo um regulamento da terra a nível metropolitano. A interrelação entre o poder público de Ribeirão das Neves, que legislava sobre o uso do solo com altíssima permissividade e sem condições de fornecer a infraestrutura coletiva básica e os agentes imobiliários, que produziam os loteamentos populares através de estratégias que objetivavam o mais alto lucro, contribuíram para a produção de uma forma urbana não estruturada, desrespeitando, inclusive, o meio ambiente.[14][52]

Atualmente, Ribeirão das Neves conta com dois importantes centros de preservação ambiental, o Parque Ecológico (que une o lazer com o cuidado ao meio ambiente) e o Parque da Lajinha (mata original da cidade, sendo considerada uma Área de Preservação Ambiental desde 2006).[53]

Esporte, lazer e cultura[editar | editar código-fonte]

Parque Ecológico de Ribeirão das Neves

O município, em sua estrutura organizacional, tem a Secretaria Municipal de Esporte e Cultura que vem trabalhando através da prestação dos seguintes serviços:[22]

  • Biblioteca Pública Indústria do Conhecimento, localizada no Bairro Botafogo;
  • Biblioteca Pública Ilka Maria Munhóz, localizada na região Centro; e
  • Biblioteca Pública Terezinha Labanca, localizada na região Justinópolis.
  • 1 Arquivo Público Nonô Carlos, localizado na Região Justinópolis.

O Município possui espaços públicos esportivos destinados às crianças, adolescentes e suas famílias, bem como campos de futebol e praças públicas com equipamentos de ginástica ao ar livre. Por exemplo, o Espaço Céu das Artes, localizado no Bairro Jardim Colonial; o Estádio Municipal Aílton de Oliveira, localizado no Bairro Sevilha e a Quadra Poliesportiva Maura Pereira, localizada no Bairro Conjunto Henrique Sapori.[22][35]

Além dos equipamentos acima, foram identificados pela Secretaria Municipal de Esportes 23 campos de várzea, que servem de lazer para as comunidades ao seu entorno.[22][35]

As atividades de Cultura estão centralizadas na Casa de Cultura Vitória Moreira Neves, sendo ofertados 11 cursos para a população, variando entre cursos de bordado e pintura, artesanato, fotografia, dança, lutas – taekwondo e capoeira, aulas de violão e canto e educação patrimonial, distribuídas em 2.560 vagas. Além da Casa de Cultura é utilizado o espaço da Prefeitura Regional de Justinópolis, onde são ofertados cursos de violão, canto e o curso de educação patrimonial.[22][35]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Matriz Nossa Senhora das Neves
  • Parque Ecológico, bairro Várzea Alegre - Região do Centro.[54]
  • Parque Ecológico da Lajinha, bairro Jardim São Judas Tadeu - Região de Justinópolis.[55]
  • Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo.[56]
  • Igreja Nossa Senhora das Neves.[57]
  • Igreja Nossa Senhora da Piedade[58]
  • Viveiro Municipal - Orquidário[59].
  • Espaço invertido[60].
  • Igreja da Colina[61].
  • Cervejaria Falke Bier[62]
  • Quilombo Nossa Senhora do Rosário - Fundada em 1893[63][64].
  • Igreja dos Mórmons - Região Central
    Conjunto Arquitetônico Jose Maria Alkmin[47].

Religião[editar | editar código-fonte]

Paróquia Nossa Senhora da Piedade

De acordo com o IBGE, a grande maioria dos Nevenses são Cristãos, e seus principais grupos se dividem da seguinte forma:[65]

  • Católicos Apostólico Romanos: 145.336 [65]
  • Protestantes: 104.883 [65]
  • Testemunhas de Jeová: 2.778 [65]
  • Espíritas: 2.739 [65]
  • Umbanda e Candomblé: 200 [65]

A religiosidade de Ribeirão das Neves pode ser o vista nas mais variadas igrejas e templos espalhadas por todo munícipio, como a Igreja Nossa Senhora do Rosário, a Igreja Universal do Reino de Deus, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Igreja Metodista e a Matriz de Nossa Senhora das Neves dentre outras.[66][67][68][69][70]

Nevenses ilustres[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Embora não tenha nascido em Ribeirão das Neves, viveu durante toda sua juventude na cidade, ainda mantendo laços afetivos e materiais com ela.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Ribeirão das Neves». Consultado em 30 de setembro de 2018. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2018 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Ribeirão das Neves - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 1 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2018 
  4. Prefeito e vereadores de Ribeirão das Neves tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de janeiro de 2021
  5. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  6. a b c d e f g h i j «Ribeirão das Neves». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 30 de agosto de 2021 
  7. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 1 de outubro de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  8. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2018). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2018». Consultado em 29 de julho de 2021 
  9. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 21. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  10. «Minas Gerais obtém o melhor saldo positivo do país na oferta de vagas de trabalho». 9 de julho de 2016. Consultado em 15 de julho de 2016 
  11. a b c «IBGE - cidades@ - Histórico - RIBEIRÃO DAS NEVES (mg)». ibge.gov.br. Consultado em 5 de julho de 2012 
  12. a b Câmara Municipal. «Aspectos Históricos». Consultado em 15 de julho de 2016. Arquivado do original em 17 de agosto de 2016 
  13. Redação. «História». RibeiraoDasNeves.net. Consultado em 21 de julho de 2021 
  14. a b c d Campos, Paola Rogedo (26 de agosto de 2009). «O município de Ribeirão das Neves: um 'bairro popular' em um centro metropolitano». Consultado em 21 de julho de 2021 
  15. «LEI Nº 3388/2011». Câmara Municipal de Ribeirão das Neves. Consultado em 5 de novembro de 2011 
  16. Campos, Paola Rogêdo. «REGIONAIS DE RIBEIRÃO DAS NEVES» (PDF). Consultado em 4 de novembro de 2021 
  17. a b Silva, Osmar Henrique Ribeiro da; Stephan, Ítalo Itamar Caixeiro (1 de setembro de 2015). «O PLANO DIRETOR DE RIBEIRÃO DAS NEVES - MG: ANÁLISE DE UMA CIDADE FORA DO PLANO.». Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades (16). ISSN 2318-8472. doi:10.17271/2318847231620151002. Consultado em 10 de novembro de 2021 
  18. a b Filho, João Bosco Moura Tonucci. «PLANEJAMENTO METROPOLITANO EM BELO HORIZONTE NA DÉCADA DE 1970: A EXPERIÊNCIA DO PDIES-RMBH» 
  19. Alves, Maycon Emílio Vicente. «História, Memória e Oralidade: estudo sobre as representações da cidade, o imaginário social e seus estigmas, o caso de Ribeirão das Neves» (PDF) 
  20. Coelho, Andre Luiz Nascentes (2 de dezembro de 2003). «O histórico da ocupação e impactos socioambientais no eixo Norte da RMBH (Região Metropolitana de Belo Horizonte) em áreas do Município de Ribeirão das Neves - MG». Consultado em 10 de novembro de 2021 
  21. a b Silva, Osmar Henrique Ribeiro da (18 de março de 2016). «Segregação espacial na Região Metropolitana de Belo Horizonte: o caso de Ribeirão das Neves, Minas Gerais». Consultado em 10 de novembro de 2021 
  22. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z Comunicação. «Diagnóstico Socioterritorial e Politicas Socias de Ribeirão das Neves». Ribeirão das Neves - Prefeitura Municipal. Consultado em 21 de julho de 2021 
  23. Minas, Estado de; Minas, Estado de (9 de janeiro de 2021). [https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2021/01/09/interna_politica,1227459/neves-pretende-atrair-empresas-para-deixar-de-ser-cidade-dormitorio.shtml «Neves pretende atrair empresas para deixar de ser cidade dormit�rio»]. Estado de Minas. Consultado em 15 de outubro de 2021  replacement character character in |titulo= at position 64 (ajuda)
  24. «Ribeirão das Neves (MG) | Cidades e Estados | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 28 de julho de 2021 
  25. Minas, Estado de; Minas, Estado de (9 de janeiro de 2021). «Neves pretende atrair empresas para deixar de ser cidade dormitorio». Estado de Minas. Consultado em 28 de setembro de 2021 
  26. a b MG, Do G1 (18 de março de 2016). «Terminal do Move Justinópolis é inaugurado em Ribeirão das Neves». Trânsito. Consultado em 28 de julho de 2021 
  27. «Frota de veículos». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  28. «MOVE Metropolitano em Vilarinho e Justinópolis | Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais - SEINFRA». www.infraestrutura.mg.gov.br. Consultado em 28 de julho de 2021 
  29. MG, Do G1 (18 de março de 2016). «Terminal do Move Justinópolis é inaugurado em Ribeirão das Neves». Trânsito. Consultado em 28 de julho de 2021 
  30. «No 1º dia da onda roxa em MG, Estação Justinópolis, em Ribeirão das Neves, amanhece lotada». G1. Consultado em 28 de julho de 2021 
  31. «MOVE Metropolitano em Vilarinho e Justinópolis | Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais - SEINFRA». www.infraestrutura.mg.gov.br. Consultado em 28 de julho de 2021 
  32. Redação. «Novo Sistema Integrado de Transporte vai entrar em operação na próxima quinta-feira». RibeiraoDasNeves.net. Consultado em 28 de julho de 2021 
  33. «Sistema Integrado de Transporte entra em ação quinta-feira». Neves Online - Ribeirão das Neves. 27 de fevereiro de 2019. Consultado em 28 de julho de 2021 
  34. «Sistema Integrado de Transporte entra em ação quinta-feira». Neves Online - Ribeirão das Neves. 27 de fevereiro de 2019. Consultado em 28 de julho de 2021 
  35. a b c d e f Secretária Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania. «Atlas das Políticas Sociais de Ribeirão das Neves» (PDF) 
  36. «Home». Cidade dos Meninos. Consultado em 28 de julho de 2021 
  37. «Cidade dos Meninos». Neves Online - Ribeirão das Neves. Consultado em 28 de julho de 2021 
  38. «O que é o IFMG». Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais IFMG. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  39. «Cerimônia oficial de inauguração em Ribeirão das Neves». Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais IFMG. Consultado em 28 de julho de 2021 
  40. «Superior». Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus Ribeirão das Neves. Consultado em 28 de julho de 2021 
  41. «Horário de Aulas». Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus Ribeirão das Neves. Consultado em 13 de outubro de 2021 
  42. «PMMG - Unidades policiais». Polícia Militar de Minas Gerais. Consultado em 6 de outubro de 2021 
  43. «Lei Ordinária 4068 2020 de Ribeirão das Neves MG». leismunicipais.com.br. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  44. «Lei Ordinária 2965 2006 de Ribeirão das Neves MG». leismunicipais.com.br. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  45. Redação. «Prefeita Daniela Corrêa empossa nova comandante da Guarda Municipal». RibeiraoDasNeves.net. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  46. PUC Minas. «ESTUDO DE CASO: Ribeirão das Neves» (PDF) 
  47. a b «Ribeirão das Neves - Conjunto Arquitetônico da Penitenciária José Maria Alkimim -ipatrimônio». Consultado em 29 de julho de 2021 
  48. Ethos Urbanismo. «Plano diretor de Ribeirão das Neves: Nota técnica» (PDF) 
  49. a b Silva, Osmar. «O PLANO DIRETOR DE RIBEIRÃO DAS NEVES - MG: ANÁLISE DE UMA CIDADE FORA DO PLANO» (PDF) 
  50. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 1 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 1 de outubro de 2018 
  51. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 1 de outubro de 2018 
  52. Coelho, Andre Luiz Nascentes (2 de dezembro de 2003). «O histórico da ocupação e impactos socioambientais no eixo Norte da RMBH (Região Metropolitana de Belo Horizonte) em áreas do Município de Ribeirão das Neves - MG». Consultado em 8 de outubro de 2021 
  53. «Lajinha». www.ribeiraodasneves.net. Consultado em 8 de outubro de 2021 
  54. «Parque Ecológico de Ribeirão das Neves.». www.portalminas.com. Consultado em 26 de dezembro de 2018 
  55. Gerais, Portal Minas. «Portal Minas Gerais». Portal Minas Gerais. Consultado em 26 de fevereiro de 2020 
  56. «www.sistemadivinaprovidencia.org/cidade-dos-meninos». www.sistemadivinaprovidencia.org. Consultado em 3 de fevereiro de 2020 
  57. «Catálogo de Paróquias». catalogo.arquidiocesebh.org.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2020 
  58. «Paróquia Nossa Senhora da Piedade Justinópolis (2021)». www.localprayers.com. Consultado em 15 de outubro de 2021 
  59. Gerais, Portal Minas. «Turismo em Minas Gerais | Viveiro Municipal». Portal Minas Gerais. Consultado em 29 de julho de 2021 
  60. admin. «Espaço invertido – Um lugar Maquiavelicamente planejado». Consultado em 29 de julho de 2021 
  61. User, Super. «Igreja da Colina». Enciclopédia Nevense. Consultado em 29 de julho de 2021 
  62. User, Super. «Cervejaria Falke Bier». Enciclopédia Nevense. Consultado em 29 de julho de 2021 
  63. Culturais, Mapas (6 de outubro de 2015). «Quilombo de Nossa Senhora do Rosário». Mapas Culturais. Consultado em 29 de julho de 2021 
  64. TEMPO, O. (25 de abril de 2013). «Guardas do Congado fazem festa em Neves». Cidades. Consultado em 29 de julho de 2021 
  65. a b c d e f cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/ribeirao-das-neves/pesquisa/23/22107. Consultado em 14 de outubro de 2021  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  66. «Ribeirão das Neves - Festa em honra à Nossa Senhora do Rosário -ipatrimônio». Consultado em 14 de outubro de 2021 
  67. «Igreja Universal RIBEIRAO DAS NEVES - Universal.org – Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus». Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  68. «Paroquia Nossa Senhora Das Neves na cidade Ribeirão das Neves». br.worldorgs.com. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  69. «Associacao Brasileira D'a Igreja De Jesus Cristo Dos Santos Dos Ultimos Dias em Ribeirão das Neves-MG». Diário Cidade. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  70. «Igreja Metodista Central Em Ribeirao Das Neves | Solutudo - A cidade em detalhes». Solutudo. Consultado em 14 de outubro de 2021 
  71. «Primeira mulher negra da ALMG foi eleita com apoio de movimento de renovação». Consultado em 1 de novembro de 2021 
  72. Globo Esporte MG | Na corda bamba: campeão mundial de slackline dá aulas para crianças em MG Assista online | Globoplay, consultado em 22 de outubro de 2021 
  73. «Biografia de Henfil». eBiografia. Consultado em 7 de outubro de 2021 
  74. vagner. «Maicon Siqueira — Rede do Esporte». rededoesporte.gov.br. Consultado em 1 de novembro de 2021 
  75. «Dos Campos à Gestão: a História de um Nevense Ilustre». Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus Ribeirão das Neves. Consultado em 7 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Ribeirão das Neves