Ituiutaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ituiutaba
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Ituiutaba
Bandeira
Brasão de armas de Ituiutaba
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Platina"
Gentílico ituiutabano[1]
Localização
Localização de Ituiutaba em Minas Gerais
Localização de Ituiutaba em Minas Gerais
Mapa de Ituiutaba
Coordenadas 18° 58' 08" S 49° 27' 54" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária[2] Uberlândia
Região imediata[2] Ituiutaba
Municípios limítrofes Gurinhatã, Ipiaçu, Capinópolis, Canápolis, Monte Alegre de Minas, Prata, Campina Verde e o Estado de Goiás
Distância até a capital 685 km
História
Fundação 16 de setembro de 1901 (120 anos)
Aniversário 16 de setembro
Administração
Prefeito(a) Leandra Guedes[3] (AVANTE, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [5] 2 598,046 km²
População total (Estimativa IBGE/2021[6]) 105 818 hab.
 • Posição MG: 31º
Densidade 40,7 hab./km²
Clima tropical (Awh)
Altitude 605 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 38300-000 a 38309-999[4]
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [7]) 0,739 alto
PIB (IBGE/2016[8]) R$ 2 869 099 mil
PIB per capita (IBGE/2016[8]) R$ 27 602,09
Outras informações
Padroeiro(a) São José[9]
Sítio www.ituiutaba.mg.gov.br (Prefeitura)
www.ituiutaba.mg.leg.br (Câmara)

Ituiutaba é um município do interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Sua população em 2021, de acordo com a estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), era de 105 818 habitantes.[6]

História[editar | editar código-fonte]

O município teve vários nomes no decorrer de sua história: Campanhas do Tijuco, Capela do São José do Rio Tijuco (1833), Distrito de São José do Tijuco (1839), Vila Platina (1901) e, finalmente, Ituiutaba (1915), termo tupi que significa "aldeia do lamaçal do rio", pela junção de 'y (rio), tyîuka (lamaçal) e taba (aldeia)[10], ou ainda "povoação do rio Tijuco". Tijuco significa "lama". Seus principais fundadores foram os desbravadores e viajantes Joaquim Morais e José da Silva Ramos, cujos descendentes permaneceram nessa região.

Os habitantes da região eram os ameríndios caiapós, chamados de tabajaras ou "bilreiros", pertencentes ao grupo jê, popularmente chamados de "bugres".[por quem?]

Por volta de 1819, chegaram, à região do Rio Tijuco, Joaquim Antonio de Morais e José da Silva Ramos, com suas famílias. José da Silva Ramos propôs ao concunhado mais jovem, Joaquim Antonio de Morais, separarem uma parte de suas glebas para a construção de uma capela e um cemitério.

Em 1830, chegou à região o padre Antônio Dias Gouveia, em companhia de seus sobrinhos. Empenhou-se em concretizar a construção da capela e do cemitério com o apoio dos moradores da região.

Por volta de 1832, foi edificada a primeira capela em honra a São José, e, em torno dela, nasce o "Arraial São José do Rio Tijuco", pertencendo ao município de Prata. A emancipação aconteceu por força da Lei Estadual de nº 319, de 16 de setembro de 1901, passando a chamar-se Vila Platina.

Em 1915, o município passou a chamar-se Ituiutaba.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Está localizado no pontal do Triângulo Mineiro, no Planalto Central do Brasil.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Rio Tejuco
  • Ribeirão São Lourenço que, junto ao Tijuco, é responsável pelo abastecimento da cidade.[11]
  • Córrego Sujo
  • Ribeirão São José [12]
  • Rio da Prata
  • Rio Paranaíba

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da cidade é classificado como de tropical de altitude, com precipitações concentradas nos meses de outubro a abril. O restante do ano é caracterizado pela seca. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1980 a menor temperatura registrada em Ituiutaba foi de −0,1 °C em 7 de julho de 2019, superando o recorde anterior de 0 °C em julho de 2000, nos dias 17 e 18. A máxima recorde atingiu 41,7 °C em 7 de outubro de 2020, batendo os 41,4 °C registrados em 16 de outubro de 2000 e novamente em 15 de outubro de 2014. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 144,2 mm em 16 de dezembro de 2008. Outros acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram 124,9 mm em 16 de janeiro de 1991, 120 mm em 17 de janeiro de 1992, 118 mm em 3 de fevereiro de 2008, 109 mm em 26 de fevereiro de 1999 e 105,1 mm em 19 de março de 1998.[13][14]

Dados climatológicos para Ituiutaba
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,7 37,3 37,5 36,1 35,2 34,2 35,2 38,1 40,7 41,7 38 37,7 41,7
Temperatura máxima média (°C) 31,5 31,9 31,7 31,5 29,6 29 29,8 31,8 33,3 33,1 32,1 31,4 31,4
Temperatura média compensada (°C) 25,4 25,4 25,1 24,3 21,5 20,4 20,7 22,6 25,1 25,8 25,5 25,3 23,9
Temperatura mínima média (°C) 21,1 21 20,5 19,1 15,4 14,2 13,9 15,2 18,6 20 20,6 20,9 18,4
Temperatura mínima recorde (°C) 15,8 13 10,1 7 3,4 1,6 −0,1 5 2,2 11,3 12,8 12,6 −0,1
Precipitação (mm) 305,4 193,5 191,9 83,9 37 16,8 6,5 14 49 127,3 161,5 235,4 1 422,2
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 16 13 12 6 3 1 1 1 5 9 11 15 93
Umidade relativa compensada (%) 79,1 77,1 78,2 74,2 71,6 68,6 60,9 53,1 56,3 64,4 72,3 77,3 69,4
Horas de sol 164,8 163,1 189 215,6 227,3 225 244,6 245,7 190,5 192,2 186,1 175,4 2 419,3
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica
de 1981-2010;[15] recordes de temperatura: 01/03/1980-presente)[13][14]

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade é um polo regional, atendendo, com serviços variados, a região do Pontal do Triângulo Mineiro. Referência pode ser feita aos municípios de Capinópolis, Santa Vitória (Minas Gerais), Gurinhatã, Canápolis e Cachoeira Dourada de Minas, Ipiaçu, pela proximidade.

Tem no agronegócio (agricultura da soja e milho e pecuária de corte e leite) e na prestação de serviços (comércio variado, advocacia, assessoria e consultoria de informática, etc) seus principais elementos e fonte de divisas. Em relação ao setor secundário, destacam-se: Nestlé, Syngenta Seeds, BP Biocombustíveis, Frigorífico JBS, Canto de Minas, Laticínios Baduy, entre outras.

Bairros[editar | editar código-fonte]

Urbanisticamente, a cidade não possui um padrão de crescimento, sendo que tal estende bairros de classe alta ao lado de classe baixa, etc. Tais são possíveis de observar até mesmo em imagens de satélite. Outra forte questão urbanística da cidade é o crescimento da cidade no extremo sul (próximo ao campus da Universidade Federal de Uberlândia com loteamentos e um futuro projeto no qual irá construir um bairro ao lado da unidade SESC - MG que ainda não está instalada.

Ao todo são 91 bairros. São eles:

  • Alcides Junqueira
  • Alvorada
  • Bela Vista
  • Brasil
  • Camargo
  • Carvalho
  • Central
  • Cidade Jardim
  • Centro
  • Cristina
  • Distrito Industrial
  • Elândia
  • Eldorado
  • Esperança
  • Gerson Baduy
  • Gardênia
  • Gilca Vilela Cancella
  • Guimarães
  • Hélio
  • Independência
  • Ipiranga
  • Jamila
  • Jardim Copacabana (Residencial Camilo Chaves)
  • Jardim do Rosário
  • Jardim Europa I
  • Jardim Europa II
  • Jerônimo Mendonça (Novo Tempo I)
  • Lagoa Azul I
  • Lagoa Azul II
  • Maria Vilela
  • Marta Helena
  • Mirim
  • Morada do Sol
  • Natal
  • Nossa Senhora Aparecida
  • Novo Horizonte
  • Novo Mundo
  • Novo Tempo II
  • Paranaíba
  • Pedreira
  • Pirapitinga
  • Platina
  • Portal dos Ipês
  • Portal do Lago
  • Progresso
  • Residencial Buritis
  • Residencial Canaã I,
  • Residencial Canaã II
  • Residencial Carlos Dias Leite
  • Residencial Drummond I, II eIII
  • Residencial Estados Unidos
  • Residencial Leste
  • Monte Verde
  • Portal dos Ypês
  • Residencial Spazio Colina
  • Residencial Nadime Dherze I
  • Residencial Nadime Dherze II
  • Residencial Nova Ituiutaba I, II, III e IV
  • Ribeiro
  • Santa Edwiges
  • Santa Maria
  • Santo Antônio
  • São José
  • Satélite Andradina
  • Setor Norte
  • Setor Norte Industrial
  • Setor Sul
  • Sol Nascente II
  • Tiradentes
  • Tupã
  • Universitário
  • Vila Miisa

Educação[editar | editar código-fonte]

Vista aérea do IFTM - Campus Ituiutaba.

O setor educacional, conta com creches, escolas de ensino fundamental (1º a 9º ano), ensino médio (10º a 12º ano) e ensino superior em 5 universidades.

Universidades Privadas[editar | editar código-fonte]

A Faculdade Mais de Ituiutaba (FacMais), com 10 cursos de graduação: Administração, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Farmácia, Odontologia, Psicologia e Publicidade e Propaganda.[16]

A UNOPAR com vários cursos de ensino semi-presencial-conectado (EAD).[17] E ainda cursos de Especialização e MBA.[18]

Universidades Públicas[editar | editar código-fonte]

A Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), funcionava na cidade como instituição privada associada à UEMG, porém com a Fundação Educacional de Ituiutaba (FEIT) como mantenedora. A partir de junho de 2014 foi encampada, e passou a ser UEMG - Unidade Ituiutaba. Localizada no Bairro Universitário, atualmente conta com 13 cursos de graduação.[19]

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU), cujo campus da cidade de Ituiutaba recebe o nome de Faculdade de Ciências Integradas do Pontal (FACIP). A FACIP/UFU oferta anualmente 648 vagas para 11 cursos de graduação com uma capacidade de aproximadamente 3 mil alunos.[20] Também são desenvolvidos no campus programas de pós-graduação Stricto sensu, de mestrado acadêmico em Geografia do Pontal, mestrado profissional em Ensino de Ciências e Matemática, e um curso de especialização Lato Sensu em Educação Infantil.[21][22][23]

O Instituto Federal do Triângulo Mineiro - Campus Ituiutaba, localizado no bairro Novo Tempo II, oferece atualmente 5 cursos superiores, 8 cursos técnicos e 3 de pós-graduação Lato Sensu.[24]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Outro destaque da cidade de Ituiutaba é a Superintendência de Água e Esgotos (SAE), uma autarquia municipal, responsável pelo tratamento e distribuição de água na cidade e pela coleta, disposição e tratamento do esgoto. A SAE tem certificado ISO 9001 e o Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento (PNQS).

Está sendo construído um novo estádio em Ituiutaba. Segundo a assessoria responsável pelas obras, a arena municipal, que ainda não foi batizada, terá capacidade para 18 mil pessoas e, num segundo momento, podendo ser ampliada para 22 mil. Ainda de acordo com as informações, o local, está recebendo o gramado e as arquibancadas, devendo esse processo ficar pronto em dezembro de 2013. Em seguida, iniciar-se-á a terceira e última etapa que contempla: vestiários, camarotes, iluminação, acabamento, grama sintética, bilheterias, salas, banco de reservas, etc. A obra total está orçada em aproximadamente R$ 16 milhões, em 2018 a obra está parada sem previsão de término.

Outra grande obra a ser entregue em breve é o lago artificial e centro turístico Camilo Chaves, que estão sendo construídos na região sul da cidade. O primeiro será entregue no final de 2012. Em 2018 as obras ainda não foram concluídas.

Esporte[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com equipes representantes nas modalidades Futebol, Rugby, Natação, Handebol, Lacrosse, entre outros.

A mais bem sucedida equipe de futebol da cidade, o Ituiutaba Esporte Clube, fundado em 1947, conquistou título de Campeão Mineiro do Interior de 2009. Passou a mandar seus jogos na cidade de Varginha em 2011, após o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, devido a construção do Estádio Municipal Júlia do Prado, em Ituiutaba. Com a mudança de cidade também passou a se chamar Boa Esporte Clube. Mesmo mandando seus jogos em Varginha sua sede administrativa fica em Ituiutaba, inclusive com o seu ônibus oficial tendo placa de Ituiutaba.[carece de fontes?]

A Associação Esportiva Ituiutabana, que disputou o torneio da Segunda Divisão de Minas em 2012, chegando até as semi-finais. Atualmente a equipe não disputa o torneio.

Há ainda uma terceira equipe profissional de futebol, chamado Atlético Ituiutabano, que disputou o Campeonato Mineiro da Segunda Divisão de 2014, terminando em décimo lugar.

Habitação[editar | editar código-fonte]

Ituiutaba se destaca no cenário regional como uma das cidades que mais conseguiram investimentos na habitação nos últimos anos, sobretudo no programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida. Foram 5.800 casas e apartamentos construídos (Residenciais: Carlos Dias Leite, Canaã I, Canaã II, Buritis, Nadime Derze I, Nadime Derze II, Jardim Europa, Gilca Vilela, Tupã II, ( Edifícios Adobe I e II) ou em construção (Nova Ituiutaba, Estados Unidos, dentre outros ) pelo mesmo programa. Além disso, outras milhares de casas em conjuntos habitacionais privados foram lançados, como: Residencial Camilo Chaves (500 casas), Jardim Europa (500 casas), Portal dos Ipês (540 casas), etc. Loteamentos: Residencial Drummond I, Residencial Drummond II (Aproximadamente 700 unidades), Spacio Colina (400 unidades), Cidade Jardim (500 unidades), condomínio fechado Portal do Lago (85 unidades). Vários edifícios de 4 a 10 andares e outros vários projetos de apartamentos, residenciais e condomínios a serem lançados ainda em 2012 e início de 2013.

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Emissoras de TV[editar | editar código-fonte]

TV por assinatura[editar | editar código-fonte]

Operadoras de telefonia[editar | editar código-fonte]

Fixa
  • CTBC
  • CLARO FIXO
Celular
  • CTBC
  • Tim
  • Vivo
  • Oi
  • Claro

Rádios[editar | editar código-fonte]

FM
  • Rádio Cancela - 97,3
  • Rádio Sertaneja FM - 95,7
  • Rádio Interativa - 101,3
  • Rádio Dimensão - 87,9
  • Favorita FM - 100,3
AM
  • Rádio Cancella AM - 710 kHz
  • Rádio Difusora AM - 1.470 kHz
  • Rádio Jovem Pan News AM - 1.240 kHz

Jornais[editar | editar código-fonte]

  • Jornal do Pontal (Diário)
  • Gazeta do Pontal de Minas (Bissemanário)


Feriados municipais[editar | editar código-fonte]

A Lei nº 2 205, de 10 de agosto de 1983, declarou os seguintes feriados municipais:

  • 15 de agosto - N. Sra da Abadia
  • Sexta Feira da Paixão
  • Corpus Christi
  • 16 de Setembro, dia de São Cornélio e aniversário da cidade.

Além destes, são comemorados os seguintes dias:

  • 19 de março - é comemorado o dia de São José, o padroeiro da cidade.
  • 15 de agosto - dia de N. Sra da Abadia, considerada a 2ª padroeira da cidade
  • 16 de setembro - Aniversário da cidade

Referências

  1. «Ituiutaba». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 22 de fevereiro de 2021 
  2. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  3. «Prefeita e vereadores de Ituiutaba tomam posse; veja lista de eleitos». G1 Triângulo e Alto Paranaíba. 1 de janeiro de 2021. Consultado em 17 de junho de 2021 
  4. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  5. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b IBGE, IBGE (27 de agosto de 2021). «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1º de julho de 2021» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 28 de agosto de 2021 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 13 de setembro de 2013 
  8. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 1 de abril 2019 
  9. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 7. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  10. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  11. SAE. «SAE Histórico». Sítio oficial. Consultado em 22 de outubro de 2011 
  12. «Máquinas trabalham nas margens do Ribeirão São José». TM.com. 26 de julho de 2009. Consultado em 22 de outubro de 2011 
  13. a b Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Banco de dados meteorológicos». Consultado em 14 de julho de 2020 
  14. a b INMET. «Estação: ITUIUTABA (A512)». Consultado em 14 de julho de 2020 
  15. INMET. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Consultado em 14 de julho de 2020 
  16. http://www.ftm.edu.br/cursos.php
  17. http://polos.unoparead.com.br/ituiutaba-mg
  18. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de agosto de 2014. Arquivado do original em 16 de agosto de 2014 
  19. «Cópia arquivada». Consultado em 13 de agosto de 2014. Arquivado do original em 14 de agosto de 2014 
  20. «Catalogo de Graduação UFU 3ª Edição 2020» (PDF). Consultado em 23 de maio de 2021 
  21. «Institucional | Programa de Pós-graduação em Geografia do Pontal». www.ppgep.ich.ufu.br. Consultado em 23 de maio de 2021 
  22. «Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática». Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Consultado em 23 de maio de 2021 
  23. «Especialização em Educação Infantil: Docência, Gestão, Saberes e Práticas Educacionais | Faculdade de Ciências Integradas do Pontal». www.facip.ufu.br. Consultado em 23 de maio de 2021 
  24. «Cópia arquivada». Consultado em 14 de agosto de 2014. Arquivado do original em 14 de agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Ituiutaba