Raposos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Raposos
""Moscou Mineira""
Bandeira de Raposos
Brasão de Raposos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 16 de fevereiro
Fundação 1690
Gentílico raposense
Prefeito(a) Sérgio da Bota (Serginho) (PSB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Raposos
Localização de Raposos em Minas Gerais
Raposos está localizado em: Brasil
Raposos
Localização de Raposos no Brasil
19° 58' 01" S 43° 48' 14" O19° 58' 01" S 43° 48' 14" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte IBGE/2008 [1]
Microrregião Belo Horizonte IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Belo Horizonte
Municípios limítrofes Nova Lima, Sabará, Caeté e Rio Acima
Distância até a capital 30 km
Características geográficas
Área 71,850 km² [2]
População 15 345 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 213,57 hab./km²
Clima Tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,758 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 56 213,160 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 645,94 IBGE/2008[5]
Página oficial

Raposos é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2010 era de 15.345 habitantes. Pertence à Região Metropolitana de Belo Horizonte.

História[editar | editar código-fonte]

Como começou[editar | editar código-fonte]

A história da fundação do povoado dos Raposos teve seu início em princípios de 1690, quando a capitania de Minas gerais ainda não existia. Arthur de Sá Meneses, governador geral das Capitanias do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas, designou Pedro de Morais Rapôso para descobrir ouro e pedras preciosas nos sertões de Minas, região dos índios Cataguás.

Ele trouxe consigo muitos membros de sua família, vários amigos e todos aqueles que queriam "ficar rico" e não tinham medo do desconhecido ou dos índios, entraram pela região de Sabarabuçu e seguindo o caminho de Paes Leme, acompanhando o leito do Rio Guaicuy (atual Rio das Velhas), encontraram o local ideal para garimpar e faiscar ouro na confluência de um volumoso ribeirão (atual Ribeirão da Prata).

A terra era fértil e o ouro era encontrado em aluvião, então fundou-se o Arraial dos Rapôsos, eles começaram a semear os gêneros de subsistência, aos poucos foi-se colhendo milho, feijão, mandioca e cana de açúcar para produção de melado, rapadura, farinha de mandioca e cachaça.

O Rio Guaicuy, que orientou a penetração dos bandeirantes era navegável e se tornou fundamental para o escoamento dos produtos, sendo assim, o Arraial dos Rapôsos passou a abastecer Sabarabuçu, Arraial Velho, Gaya (atual Honório Bicalho) e Santo Antônio do Rio Acima.

Como era costume dos bandeirantes edificaram um templo, ergueu-se uma pequena ermida de pau-a-pique que foi consagrada como capela de Nossa Senhora da Conceição, no dia 08 de Dezembro de 1690. Esta pequena capela foi se transformando e recebendo todo o estilo da época, o Barroco, e em 1724 é criada a vigária colatícia por alvará de Dom João V e as primeiras paróquias de Minas, tornando-se assim a 1a. Matriz de Minas Gerais, adornada com peças de ouro vindas de Portugal, móveis de cedro, obras de arte e altares no estilo barroco.

Em 1832 começaram a chegar os primeiros ingleses para operar nas Minas de St. Jonh D'El Rey Mining Co. (hoje Anglo Gold), sendo a 1a. indústria aurífera do mundo.

Em 1907 instalou-se aqui, uma fabrica de fósforos, o Luz Mineira, aproveitando a madeira que cobria grande parte dos vales, fornecendo emprego a quase toda a população local.

Em 27 de Dezembro de 1948 o Arraial dos Rapôsos é elevado a categoria de município, denominado Raposos, desmembrando-se de Nova Lima em 1o. de Janeiro de 1949 quando assumiu a intendência do município o Dr. Afonso Penna Fernandes e em 1950 assumiu a 1a. Administração municipal a cargo do prefeito Lindouro Duarte Batista.

Como acabou[editar | editar código-fonte]

Em 1800 com a redução do ouro de aluvião, começou o abandono do Arraial dos Rapôsos e em 1850 restavam apenas três famílias, os Gouvêas, os Torres e os Sabarenses, a Matriz Nossa Senhora da Conceição estava em total abandono, o ouro dos altares foi raspado e muitas obras de arte das paredes se perderam.

Em 1900 com o objetivo de proteger da rapinagem sacrílega, muitas das relíquias do acervo de peças de ouro e prata e obras de arte barroca da Matriz foram levados para Congonhas, Mariana e outras igrejas, com isso seus altares se despovoaram. Mas nem tudo foi levado, restaram os altares, o lavabo, a pia batismal, algumas imagens e a pintura a óleo de Nossa Senhora da Conceição no teto da Matriz.

Em 01 de Maio de 1998, a empresa de extrativismo mineral, encerrou suas atividades na Mina de Raposos, fechando 300 postos de trabalho diretos e centenas de indiretos, desestabilizando a economia local que não se recuperou até hoje.

Depois de 300 anos de exploração mineral, vegetal e humana, o ouro ficou difícil de extrair, grande parte da mata nativa foi substituídas por eucaliptos e a população ativa teve que procurar emprego em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Estados Unidos e Europa.

Nosso acervo e monumentos foram destruídos ou transferidos para outras cidades com o passar dos anos, das gerações e das administrações publicas que apoiadas nos interesses políticos e na exploração do ouro, negligenciaram o nosso patrimônio histórico.

Hoje[editar | editar código-fonte]

Raposos se tornou uma cidade dormitório devido a sua proximidade de Nova Lima e um local de descanso nos fins de semana para muitas famílias da capital.

Raposos é cercados de matas e trilhas que levam a antigas nascentes, córregos e ribeirões de água cristalina, cascatas e poços naturais, onde se pode nadar, acampar e curtir a natureza.

Apesar de tantas belezas naturais a atividade turística é nula, a população e as autoridades locais ainda não acordaram para o ecoturismo, que pode ser a saída para a economia local. Os investimentos em uma infraestrutura necessária para atender os turistas, com a construção de praças, restaurantes, pousadas, área de camping, feiras de artesanato e shows ainda estão engatinhando.[carece de fontes?]

Pontos Turísticos[editar | editar código-fonte]

Histórico sobre os pontos turísticos da cidade de Raposos/MG

Igreja Matriz de N. Senhora da Conceição[editar | editar código-fonte]

A cidade de Raposos é dona da mais antiga Paróquia de Minas Gerais. Depois de fundado o seu povoado, em 1690, ergueu-se uma pequena Capela de pau-a-pique que servia para reunir os católicos. Enquanto o Arraial de desenvolvia os moradores iam aumentando a Capela. Com a ajuda da população foi transformada em Igreja, depois em Paróquia e por último em Matriz (1690 a 1724). Em estilo barroco e com obras de Aleijadinho, no fim do ciclo do ouro, a igreja foi abandonada e muitas de suas obras foram roubadas ou levadas para outras igrejas. Uma reforma feita em 1954 devolveu parte da beleza original da Matriz.

Matriz de N. Senhora da Conceição de Raposos
Matriz de N. Senhora da Conceição de Raposos

Ponte D. Pedro II[editar | editar código-fonte]

A Estrada de Ferro Central do Brasil, que foi inaugurada em 13 de fevereiro de 1891 com o nome de Estrada de Ferro Dom Pedro II, é a primeira linha ferroviária construída no Brasil. Os primeiros trilhos desta estrada foram assentados em Minas Gerais em 1º. de Maio de 1869, no trecho Ouro Preto – Raposos – Sabará, a estação de Raposos foi inaugurada em 13 de fevereiro de 1891. Sobre o Rio das Velhas, a 1 Km da estação, com destino a Honório Bicalho encontra-se a, Ponte de Ferro, com 300 Metros de comprimento, fabricada na Inglaterra e transportada em partes até Raposos, possuindo em ambos os lados as iniciais E.F.D.PII (Estrada de Ferro Dom Pedro II). Com a proclamação da república, a intolerância política retirou a talhadeiras, parte das inscrições das iniciais do Imperador. Em Ouro Preto, na mesma ocasião, furaram à faca os retratos dos imperadores banidos, que foram cedidos ao museu da Inconfidência.

Ponte de D Pedro II
Ponte D. pedro II

Mina de Morro Velho[editar | editar código-fonte]

A Mina de Morro Velho é a mina mais profunda do mundo com 2.500 metros de profundidade e 4.000 metros de extensão. Descoberta em 1814, com o passar dos tempos, o ouro foi ficando mais difícil de ser garimpado e a Mineração Morro Velho se instalou no município. Em 1830 ela foi adquirida pela empresa inglesa St. John d'El Rei Mining Company Ltd., que a inaugurou em 1834.

Mina de morro velho


Poço das Pedras - Poço Azul[editar | editar código-fonte]

Tanto o poço das pedras, como o poço azul, possuem um diâmetro de aproximadamente 8 metros, profundidade de 2,5 metros e temperatura variada em torno de 15º C. Eles são consequência de uma pequena represa que fornece energia à MBR. A água é cristalina e reflete uma cor esverdeada, com exceção de algumas épocas do ano que o tom da água fica azulado. A vegetação ao redor é pouco expressiva, constituída de pequenas árvores e vegetação rasteira. O peixe predominante no ribeirão é a piabinha. No local existem rústicas armações de cabanas que servem como bar nos fins de semana. Há também uma pequena plataforma utilizada como trampolim. A flora é composta de arbustos e flores silvestres.

Poço azul

Rio das Velhas[editar | editar código-fonte]

Cortando a cidade de Raposos, ao centro, e sendo considerado um importante rio em se tratando do desbravamento de Minas Gerais, o Rio das Velhas, antigo Rio Guaicuy, outrora navegável, recebeu este nome por ocasião da chegada dos bandeirantes que avistaram na beira do rio algumas velhas índias lavando roupa. Hoje, o rio serve ao garimpo e abastece grande parte de Belo Horizonte.

Rio das velhas
Represa pocinho Raposos
Quedas d'água Raposos
Poço das pedras de raposos
Placa de raposos
Estação da cidade de Raposos

[6] [7]

[8]

[9]

[10]

[11]


Geografia[editar | editar código-fonte]

Bairros de Raposos: Água Limpa, Bela Vista, Boa Vista, Centro, Matadouro, Morro das Bicas, Novo Horizonte, Ponte de Ferro, Recanto Feliz, Retirinho(São Judas Tadeu), Turma, São Sebastião (Galo Velho - Divisa com Nova Lima), Varela, Várzea do Sítio, Vila Bela, Vila Vitória.

Distrito: Cândidas e Povoado Ribeirão das Pratas.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE MUNICÍPIOS – CNM: Portal municipal. História do Município Raposos – MG. Disponível em: < http://www.portalmunicipal.org.br/historia.asp?iIdMun=100131629> Acesso em: 13 set. 2007.
  7. DESCUBRA MINAS. Raposos: Atrativos. Disponível em: http://www.descubraminas.com.br/DestinosTuristicos/lst_atrativo_municipio.asp Acesso em: 13 set. 2007.
  8. ESTAÇÕES FEROVIÁRIAS DO BRASIL. E. F. Central do Brasil (1891-1975). RFFSA (1975-1996). Disponível em: <http://www.estacoesferroviarias.com.br/efcb_mg_linhacentro/raposos.htm> Acesso em: 13 set. 2007.
  9. FÉRIAS.TUR.BR. Raposos. Disponível em: < http://www.ferias.tur.br/informacoes/3677/raposos-mg.html> Acesso em: 13 set. 2007.
  10. INSTITUTO ESTRADA REAL. Raposos. Disponível em: <http://www.estradareal.org.br/cidad/a_cidad.asp?codigo=82> Acesso em: 13 set. 2007.
  11. WWW.RAPOSOS.COM.BR. Disponível em: < http://www.raposos.com.br/historia/pontef.htm> Acesso em: 13 set. 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.