Itatiaiuçu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Itatiaiuçu
"Itatiaia"
Igreja de Nossa Senhora Aparecida.

Igreja de Nossa Senhora Aparecida.
Bandeira de Itatiaiuçu
Brasão de Itatiaiuçu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1º de Março
Fundação 1° de março de 1963
Gentílico itatiaiuçuense
Prefeito(a) Matarazo José da Silva
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Itatiaiuçu
Localização de Itatiaiuçu em Minas Gerais
Itatiaiuçu está localizado em: Brasil
Itatiaiuçu
Localização de Itatiaiuçu no Brasil
20° 11' 49" S 44° 25' 15" O20° 11' 49" S 44° 25' 15" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte IBGE/2008 [1]
Microrregião Itaguara IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Belo Horizonte
Municípios limítrofes Mateus Leme, Igarapé, Brumadinho, Rio Manso, Itaguara, Carmo do Cajuru e Itaúna
Distância até a capital 72 km
Características geográficas
Área 295,062 km² [2]
População 10 674 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 36,18 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,727 elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 371 670,406 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 39 998,97 IBGE/2008[5]

Itatiaiuçu é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Localizado em plena Cordilheira do Espinhaço, nas encostas da Serra do Itatiaiuçu, na Zona Metalúrgica, o município, com 267 quilômetros quadrados, tem como principal atividade econômica a mineração de ferro. É, também, grande produtor de hortifrutigranjeiros além de possuir pecuária de corte e leite. Num clima temperado tendendo para o frio, a cidade-sede está a 890 metros de altitude e a 70 quilômetros de Belo Horizonte, localizada às margens da BR-381 (Rodovia Fernão Dias), que liga o estado de Minas Gerais ao estado de São Paulo.

O município é dividido em 8 povoados e dois distritos: Santa Terezinha de Minas e Pinheiros.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

"Itatiaiuçu" é um vocábulo tupi que significa "grande pedra pontuda", através da junção dos termos itá ("pedra"), atîaî ("pontudo") e usu ("grande")[6].

História[editar | editar código-fonte]

Descoberta meados de 1670, suas origens relatadas ligam-se à chegada dos bandeirantes paulistas na região que, vencidos na guerra dos Emboabas, embrenharam-se pelos sertões do oeste da província, liderados por Borba Gato, em busca do ouro da serra do Itatiaiuçu.

Na época do descobrimento do Brasil pelos portugueses, a região onde se encontra o município de Itatiaiuçu era cercada de florestas, água, caça e pesca. Era povoada por índios Cataguás. Ainda hoje, em muitos lugares, quando são feitas escavações em terrenos no meio rural, principalmente arando a terra, em preparação para o plantio ou abrindo estradas, são encontrados muitos objetos que eram usados pelos índios como cachimbos, machados de pedra, panelas de barro, colares, etc. Com a chegada dos Portugueses, as terras do Brasil passaram a pertencer ao rei de Portugal.

Com isto surgiria mais tarde o Bandeirismo, ou seja, a desbravarão das terras do interior com o objetivo de aquisição de pedras preciosas para a coroa de Portugal.

Assim, no dia 21 de junho de 1674 saía a expedição de Fernão Dias Pais, contando com a participação de sertanistas experientes como seu genro Manoel de Borba Gato e de seu filho Garcia Rodrigues entre outros.

O objetivo desta expedição foi muito além do que a aquisição e povoamento da região pode-se dizer que a descoberta de Itatiaiuçu deu-se ao interesse dos portugueses pelo ouro que se encontrava por estas "bandas".

A história de Itatiaiuçu, propriamente dita, começa quando Bartolomeu Bueno de Siqueira, bandeirante, saindo da região dos campos em frente ao Itatiaia, parecendo-lhe ver nos recortes da serra do Morro Velho Itacolomi, só conseguiu certificar-se que estava enganado. Recordou-se então que em Santana do Paraopeba era corrente entre os índios, a notícia de uma serra chamada Itatiaia. Assim no ano de 1963 era descoberta Itatiayussú (assim foi escrito por vários anos) que na linguagem indígena significa Pedra/Pontada ou Denteada/Grande. Esta terra viria anos mais tarde a ser explorada principalmente por paulistas e portugueses devido a presença de ouro.

Geografia[editar | editar código-fonte]

  • Localização: Central
  • Área: 295,64 km
  • Altitude:
    • Máxima: 1334 m
    • Local: Pico do Itatiaiuçu
    • Mínima: 993 m
    • Local: Represa de Benfica
    • Ponto central da cidade: 880m
  • Temperatura:
    • Média anual: 20,5 C
    • Média anual máxima: 27,8 C
    • Média mínima anual: 14,2 C
  • Índice médio pluviométrico anual: 1480 mm
  • Relevo:
    • Topografia: %
    • Plano 5
    • Ondulado 80
    • Motanhoso: 15
  • Principais rios:
  • Bacia: Bacia Rio São Francisco

População[editar | editar código-fonte]

Anos[7] Urbana Rural Total
1970 1.543 3.787 5.330
1980 2.077 3.349 5.426
1991 3.735 3.631 7.366
2000 5.018 3.490 8.508

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodoviário[editar | editar código-fonte]

Atividades econômicas[editar | editar código-fonte]

Principais empresas industriais classificadas segundo o número de empregados (2000).[9]

  • Extração de minerais metálicos
    • Ferrous [10]
    • London Mining do Brasil
    • Somisa Siderurgica Oeste de Minas
    • Mineração Usiminas
    • MBL - Materiais Básicos Ltda
    • Minerita Minérios Itauna Ltda
    • CMC Companhia Mineira de Concentração de Minérios Ltda
  • Produtos químicos
    • Orica Brasil Ltda.
  • Metarlurgia básica
    • Siderúrgica São Sebastião de Itatiaiuçu S/A.
    • Vicente Alves Pedrosa - ME.

Turismo e lazer[editar | editar código-fonte]

No meio turístico, destaca-se na cidade o Cristo Redentor, que do alto de uma das serras abre seus braços rumo a cidade. A Cachoeira do Chaves é outro ponto bastante visitado por apresentar uma paisagem exuberante.

Nos finais de semana, o ponto de encontro da galera jovem é a praça Antônio Quirino da Silva, "O coração da cidade", localizada bem no centro da cidade, onde também se encontram os principais comércios da região.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Estimativas populacionais para os municípios brasileiros em 1 de julho de 2014». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 8 de fevereiro de 2015. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. NAVARRO, E. A. Método Moderno de Tupi Antigo. Terceira edição. São Paulo: Global, 2005. pp. 312-313
  7. *Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (1) Dados Preliminares
  8. Fonte: Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais
  9. *Fonte: Cadastro de Empresas do IBGE - CEMPRE
  10. Jornal Hoje em Dia - Nairo Alméri (janeiro de 2010). «Ferrous dá partida no porto e o mineroduto». São Paulo. Hoje em Dia. Consultado em 27 de janeiro de 2012.. Arquivado do original em 21 de março de 2012 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.