Mesquita Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mesquita
MesquitaFC.gif
Nome Mesquita Futebol Clube
Alcunhas Tubarão da Baixada
Torcedor/Adepto Mesquitense
Mascote Tubarão
Fundação 9 de maio de 1920 (100 anos)
Estádio Louzadão, antes Valdemar Silva
Capacidade 6.000 pessoas[1]
Presidente Cleber Louzada
Material (d)esportivo Oceânica Sports
Competição Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B2
Website Facebook
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

Mesquita Futebol Clube é uma agremiação esportiva, da cidade de Mesquita, no estado do Rio de Janeiro, fundada a 9 de maio de 1920.

Equipe profissional do Mesquita em 2010

História[editar | editar código-fonte]

O Mesquita Futebol Clube é uma das agremiações mais antigas da Baixada Fluminense, criado no dia 9 de maio de 1920. Quando Mesquita era um distrito subordinado à Nova Iguaçu, com quase 200 mil habitantes, o clube já competia assiduamente nos certames profissionais e amadores do estado, tendo conquistado a Copa Vale do Paraíba em 1976 e o Campeonato Estadual da Terceira Divisão em 1981, o qual venceu de maneira invicta na gestão Pedro Nunes. Anteriormente disputava os certames da Liga de Desportos de Nova Iguaçu. O escrete comandado pelo treinador Nelson Correia era: Reinaldo; Arsênio, José Luiz, Edinho (Malaquias) e Arialdo; Beto, Jorge Luís e Pirita; Luisinho, Carlos Luís e Jorge. No banco ficavam: Orlando, Duim, Gelson e Deco.

Em 1977, vencera a Copa da Cidade, competição promovida pela Liga de Desportos de Nova Iguaçu ao vencer o Filhos de Iguaçu.

Após ficar licenciado das competições oficiais em 1984, o Tubarão da Baixada realizou campanha irretocável na Segunda Divisão do Campeonato Estadual de 1985, ingressando à elite do Campeonato Estadual. O clube foi superado apenas pelo Campo Grande Atlético Clube, campeão invicto do torneio.

Em 1986, ano que marcou a sua estréia na Primeira Divisão, o Mesquita alcançou a oitava colocação, ficando à frente de Goytacaz Futebol Clube (9º), Americano Futebol Clube (10º), Olaria Atlético Clube (11º) e Associação Atlética Portuguesa (12º). Na sua campanha, merecem destaques o empate com o Fluminense (1 a 1) e a vitória sobre o Botafogo (1 a 0). Vale registrar que nesse campeonato, o Mesquita foi dirigido por René Simões, que após uma proposta do futebol árabe, deixou o comando, dando lugar ao preparador físico Waldemar Lemos, que se consagraria na função de treinador anos mais tarde.

O elenco de 1986 ainda contou com atletas que se tornariam técnicos no futuro: Milton Mendes, com passagens por Vasco e Athletico-PR, que atuava como lateral-direito; Lucho Nizzo, ex-técnico das divisões de base da Seleção Brasileira; e Manicera, que dirigiu diversos clubes de menor investimento do Rio de Janeiro.

Em 1987, o Mesquita não obteve o notável desempenho do ano anterior. Apesar do empate em 1 a 1 com o Fluminense, o clube terminou na 13ª posição, não escapando do rebaixamento. Foram somente duas vitórias em 26 jogos disputados.

A trajetória do Mesquita na divisão principal do futebol fluminense, serviu de inspiração para outros clubes da Baixada, que repetiram tal façanha depois de surgir ou profissionalizar seus departamentos de futebol, como o Esporte Clube Nova Cidade (1989 e 1990), Nova Iguaçu Futebol Clube (2006), Duque de Caxias Futebol Clube (2008), Tigres do Brasil (2009) e Audax Rio de Janeiro Esporte Clube (2013). Apesar da curta passagem, o clube pôde concretizar os sonhos de jogar no Maracanã e de enfrentar os grandes esquadrões da Primeira Divisão.

Camisas do Mesquita
Estádio Louzadão

Sagra-se campeão da Terceira Divisão de Profissionais do Rio de Janeiro, em 1981, a primeira organizada pela FFERJ.

Em 1985, é vice-campeão da Segunda Divisão, perdendo o título para o Campo Grande Atlético Clube, subindo para a Primeira Divisão, onde permaneceu até 1987, quando foi rebaixado.

Em 2003, já de volta à Terceira, é vice-campeão, conseguindo o acesso de volta à Segundona com o campeão Bonsucesso Futebol Clube.

Em 2007, o Mesquita Futebol Clube formado por jovens entre 17 e 22 anos, retornou para a 1ª divisão.

Em 2008, 21 anos depois de ser rebaixado, o Tubarão retorna à Primeira Divisão Carioca.

Em 2008, após muita luta, consegue se manter na elite carioca e disputa o carioca em 2009.

Em 2009, após ter permanecido na elite, o clube promete tudo em busca da afirmação e solidificação na Divisão Principal do Estado. Após uma Taça Guanabara boa para o time da Baixada, chegando inclusive a disputar a final do Troféu Moisés Mathias de Andrade, onde foi vice-campeão. Porém após 8 derrotas seguidas na Taça Rio, sendo a última para o Duque de Caxias por 4 x 2, o Tubarão da Baixada acabou sendo rebaixado mais uma vez.

Em 2010, 2011 e 2012 ficou no Grupo X da Segunda Divisão.

Em 2013, o clube disputou a série B, sendo que em 2014 e 2015, o clube se licencia de competições da FFERJ.

Em 2016, o clube volta à atividade, e fica em sétimo lugar na Terceira Divisão; em 2017, o Mesquita foi campeão do 1o turno da serie B2 (terceira divisão), mas foi eliminado nas semifinais da competição, nao repetindo o mesmo resultado em 2018, sendo o 12o colocado na serie B2; voltou a participar tambem da Copa Rio no mesmo ano, sendo eliminado na 1a fase.

Suas cores oficiais são preto e branco. Manda seus jogos no Estádio Niélsen Louzada, conhecido como “Louzadão”, com capacidade para 6 mil pessoas.

Vista da entrada do estádio Louzadão

Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Estaduais

Campanhas no Carioca da 1ª Divisão[editar | editar código-fonte]

Escudo antigo
Ano Posição Observação
1986
1987 13º rebaixado
2008 14º
2009 16º rebaixado

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CBF» (PDF). Consultado em 27 de janeiro de 2010. Arquivado do original (PDF) em 10 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]