José Carlos Bernardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras pessoas com o mesmo cognome, veja Zé Carlos.
José Carlos Bernardo
Nascimento 28 de abril de 1945
Juiz de Fora
Morte 12 de junho de 2018 (73 anos)
Belo Horizonte
Cidadania Brasil
Estatura 172 centímetros
Ocupação futebolista

José Carlos Bernardo, mais conhecido como Zé Carlos (Juiz de Fora, 28 de abril de 1945 - Belo Horizonte, 12 de junho de 2018), foi um futebolista brasileiro.

Zé Carlos começou a carreira no Sport Club Juiz de Fora e, aos dezessete anos, era considerado o melhor volante da cidade.[1] Em 1965, o Cruzeiro contratou-o por sete milhões de cruzeiros e manteve-o na reserva, geralmente entrando para substituir um dos titulares do meio-campo, Piazza, Tostão e Dirceu Lopes.[1] Foi o técnico Gérson dos Santos que acabou com o problema, mudando o esquema do time para acomodar Zé Carlos entre os titulares.[1] O novo esquema passou a ser chamado de "quadrado", por ter os quatro jogando juntos.[1] Tostão foi deslocado para jogar no ataque e o esquema deu certo.

Habilidoso, antevia as jogadas e executava passes e lançamentos preciosos. Outra qualidade sua eram as cobranças de falta e as finalizações a gol. Até 2015 era o jogador que por mais vezes havia atuado com a camisa estrelada, foram 619 jogos entre 1965 e 1977. Em 2015 a marca foi ultrapassada pelo goleiro Fábio. Nesse período foi campeão, dentre outros, da Taça Brasil e da Copa Libertadores.

Sua primeira partida com a seleção brasileira foi em 1968, em um amistoso contra a Alemanha no Maracanã.[1] Em fevereiro de 1970, chegou a ser convocado para os preparativos para a Copa do Mundo após o corte de Toninho Guerreiro,[1] mas acabaria cedendo o lugar a Clodoaldo.

Em 1978, foi levado pelo técnico Carlos Alberto Silva para jogar no Guarani de Campinas e foi um dos principais jogadores na conquista do Campeonato Brasileiro daquele ano.

No fim de sua vida, Zé Carlos sofria de sequelas de um acidente vascular cerebral isquêmico e contou com a ajuda não só do Cruzeiro, mas também dos torcedores do clube mineiro. O ex-jogador morreu em 12 de junho de 2018, aos 73 anos.[2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

Guarani[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f «Fontana já esperava; para Zé Carlos foi surprêsa». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (29 100): 28. 19 de fevereiro de 1970. ISSN 1516-2931. Consultado em 6 de julho de 2019 
  2. Morre Zé Carlos, segundo jogador que mais atuou pelo Cruzeiro BOL