José Leandro de Souza Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Leandro
Informações pessoais
Nome completo José Leandro de Souza Ferreira
Data de nasc. 17 de março de 1959 (62 anos)
Local de nasc. Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,82 m
ambidestro
Apelido Peixe-frito
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição lateral-direito
Clubes de juventude
1976–1978 Flamengo
Clubes profissionais
Anos Clubes
1978–1990 Flamengo
Seleção nacional
1981–1986 Brasil

José Leandro de Souza Ferreira, mais conhecido apenas como Leandro (Cabo Frio, 17 de março de 1959), é um ex-futebolista brasileiro que atuou a maior parte de sua carreira como lateral-direito.[1]

Ambidestro, é considerado por alguns autores um dos maiores laterais brasileiros de todos os tempos. Em 1982, foi eleito Bola de Prata da revista Placar. Em 1985, por conta das inúmeras contusões no joelho, foi deslocado para o miolo da zaga do Flamengo, mas sem comprometer a eficiência de sempre. Tanto que, jogando nesta posição, ganhou pela segunda vez o prêmio Bola de Prata.

Enquanto lateral, utilizava a camisa 2 do clube. Quando virou zagueiro, passou a utilizar a camisa 3. Foi expulso apenas uma única vez (em 23 de novembro de 1983, quando se desentendeu com o ponteiro Ado, do Bangu, no Campeonato Carioca daquele ano).

Em uma enquete realizada pelo jornal O Globo em parceria com o Jornal Extra em 2020, Leandro foi considerado o 3º maior ídolo da história do Flamengo[2], atrás apenas de Zico e Júnior.[3] É, ao lado de Carlinhos "Violino", um dos dois únicos jogadores que defenderam somente a camisa do Flamengo em toda a sua carreira.

Em abril de 2010, foi eleito pela revista Placar o 28º melhor jogador brasileiro dos últimos 40 anos.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Leandro dedicou toda a sua carreira ao Flamengo, desde as categorias de base, entre 1976 e 1978, até os últimos dias dela em 1990.[5]

Rubro-negro de coração, foi um lateral-direito muito técnico, que apoiava bastante o ataque, mas que também marcava atrás com eficiência. Participou da era gloriosa do Flamengo, que sob o comando de Zico, conquistou no início dos anos 80 três Campeonatos Brasileiros, a Copa União, a Copa Libertadores da América de 1981 e a Copa Europeia/Sul-Americana de 1981.[6]

Em 1985, em virtude de um série de contusões nos joelhos, Leandro passou a jogar como zagueiro e, nesta nova posição, fez parte do time rubro-negro campeão do Módulo Verde (Copa União) em 1987.[6]

Encerrou sua carreira precocemente em 1990, aos 31 anos contabilizando 415 jogos e 14 gols marcados com a camisa rubro-negra.[7] Durante seus onze anos como atleta profissional, Leandro atuou em todas as funções no time do Flamengo, exceto a de goleiro. Na final da Libertadores de 1981, por exemplo, ele jogou como ponta-direita, no lugar de Lico, que havia se machucado.

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Considerado por muitos jogadores, treinadores e críticos esportivos como o maior lateral-direito que o Brasil já produziu, Leandro também integrou a Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo FIFA de 1982.[5]

Leandro também participou da Copa América de 1983, onde o Brasil ficou em segundo lugar.

Mesmo jogando como zagueiro, Leandro foi convocado por Telê Santana para a Copa do Mundo FIFA de 1986. Entretanto, durante os preparativos para a competição, Leandro e Renato Gaúcho escaparam da concentração da Seleção para curtir a noite belo-horizontina (a Seleção estava hospedada na Toca da Raposa I). No retorno, Leandro não conseguiu escalar o muro e, em solidariedade ao companheiro, Renato também permaneceu do lado de fora. Em seguida, Telê cortou Renato do grupo, mas manteve o nome de Leandro. Retribuindo o gesto de solidariedade, Leandro recusou-se a participar daquela Copa.[8]

Problemas nos joelhos[editar | editar código-fonte]

Leandro encerrou sua carreira precocemente, aos 31 anos, vítima de problemas crônicos nos joelhos - artrose no direito e tendinite no esquerdo. O problema crônico era conhecido como "Mal de cowboy", que segundo especialistas, só teria curado se o jogador tivesse usado gesso com aparelho ortopédico entre os dois e cinco anos, além de ser submetido a uma cirurgia até os dez.

Pós-carreira[editar | editar código-fonte]

Após sua aposentadoria da carreira como futebolista, Leandro passou a dedicar-se ao ramo empresarial, fundando a Pousada do Leandro em sua cidade natal, Cabo Frio.

Ele chegou a trabalhar no Flamengo com Júnior em 1997 e dois anos depois foi coordenador da Cabofriense, que tinha Sócrates como treinador.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 10 de setembro de 1990

Clubes[editar | editar código-fonte]

Leandro defendeu as cores de apenas um clube em sua carreira, a do Flamengo. De acordo com o livro "Almanaque do Flamengo", de Roberto Assaf e Clóvis Martins, ele disputou 411 jogos (236 vitórias, 98 empates e 77 derrotas), e marcou 14 gols.

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist. Jogos Gols Assist.
Flamengo 1978 2 0 0 18 0 0 20 0 0
1979 6 0 0 13 1 0 19 1 0
1980 0 0 0 12 1 0 12 1 0
1981 6 0 0 13 0 1 37 2 1 56 2 2
1982 22 2 0 4 0 0 20 2 0 46 4 0
1983 24 3 0 4 0 0 26 0 0 54 3 0
1984 16 0 0 8 1 0 23 0 0 47 1 0
1985 18 0 0 28 1 0 46 1 0
1986 8 0 0 15 0 0 23 0 0
1987 12 0 0 29 0 0 41 0 0
1988 1 0 0 3 0 0 31 1 0 35 1 0
1989 2 0 0 1 0 0 1 0 0 4 0 0
1990 12 0 0 12 0 0
Total 117 5 0 0 0 0 33 1 1 265 8 1 415 14 2
Total na carreira 117 5 0 0 0 0 33 1 1 265 8 1 415 14 2

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão listados todos jogos e gols do futebolista pela Seleção Brasileira. Abaixo da tabela, clique em expandir para ver a lista detalhada dos jogos de acordo com a categoria selecionada.

Seleção principal

Ano
Jogos Gols Assist. Média G/J
1981 2 1 0 0,5
1982 9 0 1 0
1983 7 0 0 0
1984 1 0 1 0
1985 4 1 0 0,25
1986 4 0 0 0
Total 27 2 0 0,06
  • Fonte:11v1.com[9]
# Data Partida Competição Info
1 17 de janeiro de 1979 Brasil 1–0 Bolívia Campeonato Sul-Americano Sub-19
2 26 de janeiro de 1979 Uruguai 1–0 Brasil Campeonato Sul-Americano Sub-19
3 24 de setembro de 1981 Brasil 6–0 Combinado da Liga Irlandesa Amistoso
4 28 de outubro de 1981 Brasil 3–0 Bulgária Amistoso Gol
5 26 de janeiro de 1982 Brasil 3–1 Alemanha Oriental Amistoso
6 21 de março de 1982 Brasil 1–0 Alemanha Ocidental Amistoso
7 19 de maio de 1982 Brasil 1–1 Suíça Amistoso
8 27 de maio de 1982 Brasil 7–0 Irlanda Amistoso
9 14 de junho de 1982 Brasil 2–1 USSR Copa do Mundo FIFA de 1982
10 18 de junho de 1982 Brasil 4–1 Escócia Copa do Mundo FIFA de 1982
11 23 de junho de 1982 Brasil 4–0 Nova Zelândia Copa do Mundo FIFA de 1982 Assistência
12 2 de julho 1982 Brasil 3–1 Argentina Copa do Mundo FIFA de 1982
13 5 de julho de 1982 Itália 3–2 Brasil Copa do Mundo FIFA de 1982
14 28 de abril de 1983 Brasil 3–2 Chile Amistoso
15 28 de julho de 1983 Chile 0–0 Brasil Amistoso
16 17 de agosto de 1983 Equador 0–1 Brasil Copa América de 1983
17 1 de setembro de 1983 Brasil 5–0 Equador Copa América de 1983
18 14 de setembro de 1983 Brasil 0–0 Argentina Copa América de 1983
19 20 de outubro de 1983 Brasil 0–0 Paraguai Copa América de 1983
20 27 de outubro de 1983 Uruguai 2–0 Brasil Copa América de 1983
21 10 de junho de 1984 Brasil 0–2 Inglaterra Amistoso
22 2 de junho de 1985 Bolívia 0–2 Brasil Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Assistência
23 8 de junho de 1985 Brasil 3–1 Chile Amistoso Gol
24 16 de junho de 1985 Paraguai 0–2 Brasil Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA
25 23 de junho de 1985 Brasil 1–1 Paraguai Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA
26 8 de abril de 1986 Brasil 3–0 Alemanha Oriental Amistoso
27 17 de abril de 1986 Brasil 3–0 Finlândia Amistoso
28 30 de abril de 1986 Brasil 4–2 Iugoslávia Amistoso
29 7 de maio de 1986 Brasil 1–1 Chile Amistoso

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

  • Leandro recebeu uma estátua de bronze em sua homenagem em Cabo Frio, sua cidade natal. A estátua, que fica em exposição gratuita na Praça das Águas, na Praia do Forte, frequentemente é alvo de vandalismo e depredação.[10][11]
  • Em março de 2019, um busto do Leandro foi inaugurado no hall de entrada da sede social do Clube de Regatas do Flamengo, na Gávea.[12]

Referências

  1. Rogério Micheletti. «Leandro - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 4 de julho de 2020 
  2. Marcello Neves (4 de maio de 2020). «Leandro se emociona ao ser eleito 3º maior ídolo do Flamengo: 'Minha paixão desde pequeno'». O Globo. Consultado em 4 de julho de 2020 
  3. «Os 30 maiores ídolos da história do Flamengo; veja ranking». O Globo. 4 de maio de 2020. Consultado em 20 de novembro de 2021 
  4. a b «Placar Magazine». Google Books. Abril de 2010. Consultado em 20 de novembro de 2021 
  5. a b «Leandro: meio século de um dos maiores que a nação rubro-negra já viu». GloboEsporte.com. 17 de março de 2009. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  6. a b Emmanuel do Valle (17 de março de 2019). «Leandro, 60 anos: mestre da lateral, ídolo (e torcedor) gigante do Flamengo». Trivela. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  7. Rafael Arantes (30 de novembro de 2013). «Por onde anda? Leandro: Flamenguista até morrer». O Dia. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  8. André Sollitto (16 de outubro de 2013). «Escapadas das Copas: Renato Gaúcho é cortado após balada em 1986». GQ. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  9. 11v11.com/
  10. Gustavo Garcia (19 de dezembro de 2016). «Estátuas de Leandro e de Victor Ribas são alvos de vandalismo em Cabo Frio». GloboEsporte.com. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  11. «Estátuas de Leandro e Victor Ribas de Cabo Frio são novamente alvos de vandalismo». GloboEsporte.com. 10 de agosto de 2017. Consultado em 11 de novembro de 2021 
  12. César Nogueira (23 de março de 2019). «Ex-lateral Leandro é eternizado com busto na sede do Clube». Site oficial do Flamengo. Consultado em 20 de novembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]