Estádio da Gávea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gávea
<Bastos Padilha
File estádio HPIM0892.JPG
zeca urubu
Nome Arena Flamengo
Características
Local Rua Ministro Raul Machado, Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 1000[1]
Construção
Data 28 de dezembro de 1933
Inauguração
Data 4 de setembro de 1938
Recordes
Público recorde 525 pessoas
Data recorde 23 de novembro de 1941
Outras informações
Proprietário Governo do Estado do Rio de Janeiro
Administrador Flamengo
Mandante Flamengo

O Estádio José Bastos Padilha, mais conhecido como Gávea, é um estádio de futebol localizado no bairro do Leblon, no município do Rio de Janeiro, no Brasil.

Popularmente, o estádio costuma ser chamado de "Estádio da Gávea", embora, legalmente, o estádio não se situe no bairro da Gávea, mas no bairro do Leblon.

História[editar | editar código-fonte]

Em de 14 de novembro de 1931, pelo decreto municipal 3.686, o Flamengo ficou com o direito de cessão e aforamento do terreno da Lagoa. Ali o clube construiu seu primeiro estádio de futebol, com cercas de madeira.

No dia 28 de dezembro de 1933, o então presidente José Bastos Padilha pagou a taxa de 497 contos de réis e o Flamengo pôde começar as obras de construção do estádio da Gávea o Estádio José Bastos Padilha, com capacidade para 6 mil espectadores na época.

No lançamento da pedra fundamental do estádio, o Prefeito do Distrito Federal já era Pedro Ernesto, que foi homenageado na ocasião. Em 10 de janeiro de 1935, pressionado pela Prefeitura, o presidente José Bastos Padilha anunciou o término da construção do muro de alvenaria em volta do terreno, uma das exigências do contrato de cessão do imóvel. Foram colocados quatro portões de madeira e construída uma pista de atletismo em volta do campo. Algum tempo depois, o Flamengo conseguiu a instalação de água para irrigação do gramado e chuveiro nos vestiários, além de luz elétrica e um telefone particular.

Em 14 de março de 1936, o Conselho Deliberativo autorizou o início das obras de construção das arquibancadas do estádio. Foram arrecadados 500 contos de réis para que a Comissão de Obras formada por Mário Rebello de Oliveira, Manuel Joaquim de Almeida, Comandante Alberto Lucena, José Manoel Fernandes, Gustavo de Carvalho e Alejandro Baldassini contratasse os construtores. A primeira estaca, de um total de 160 a cargo da firma Pieux-Franki, foi batida com uma grande solenidade no dia 9 de agosto de 1936. Custo da obra: 360 contos de réis. O preço total do estádio tinha sido avaliado em 1 milhão e 100 mil contos de réis, a cargo da Construtora Pederneiras S. A.

Para não parar a obra, era preciso arranjar dinheiro e isso foi feito através do lançamento de títulos de sócio proprietário autorizado pelo Conselho Deliberativo em sessão de 9 de janeiro de 1937. Inicialmente, foram lançados 100 títulos a 4 contos de réis cada um. Sucesso total, comprovando mais uma vez a enorme popularidade do Flamengo junto ao povo. Todos foram vendidos em 30 dias e o Flamengo arrecadou 400 contos de réis. Mais 100 títulos foram lançados - já com aumento - a 5 contos de réis cada e também vendidos. Mais 500 contos de réis no caixa do Flamengo.

As obras estavam sendo tocadas a pleno vapor quando o presidente José Bastos Padilha renunciou ao cargo alegando cansaço após cinco anos lutando pela construção do estádio. Raul Dias Gonçalves assumiu e completou o mandato até 31 de dezembro de 1938.

No meio do mandato de Raul Gonçalves, o conselheiro Oscar Esposel propôs a inauguração do Estádio da Gávea em 15 de novembro de 1938, quando o Flamengo estivesse completando 43 anos de fundação. Mas a festa aconteceu antes. No dia 4 de setembro de 1938, o Estádio da Gávea, logo depois batizado “Estádio José Bastos Padilha”.

O jogo de estreia do Flamengo no estádio foi contra o Vasco da Gama em 4 de setembro de 1938 pelo campeonato carioca daquele ano. Na ocasião, a equipe vascaína ganhou por 2 a 0 e o primeiro gol do estádio foi marcado por Niginho, mas a alegria era mesmo rubro-negra, por estar com a nova casa concluída.

O Fla-Flu da Lagoa, realizado em 23 de novembro de 1941, entrou para a história. Neste embate, os jogadores do Fluminense chutaram de propósito bolas na direção da Lagoa Rodrigo de Freitas (na época, a distância do estádio para a lagoa era pequena), tentando ganhar tempo no jogo disputado no estádio da Gávea, e os remadores do Flamengo teriam se lançado às águas para resgatar as bolas. O emocionante empate por 2 a 2 garantiu o título para o Flu, conforme fatos publicados em O Globo Esportivo, edição 171 de 1941, em sua página 5.[2]

Em 1994, o então presidente Luiz Augusto Veloso implantou, em parceria com uma empresa privada, uma arquibancada tubular no estádio, já retirada, ampliando a capacidade para 25.000, de modo a poder usar o estádio em partidas contra equipes de menor porte e, dessa maneira, reservar o Maracanã somente para partidas contra times de maior expressão. O Estádio da Gávea passou a servir como palco para eventos, gerando uma fonte alternativa de receita para o clube.

O Flamengo não utiliza mais o Estádio da Gávea para partidas oficiais. Seu último jogo no local foi em 27 de abril de 1997, quando venceu por 3 a 0 o Americano.

Desde então, o clube passou a mandar suas partidas apenas no Maracanã.

Projeto[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o Flamengo não joga no Estádio da Gávea. O clube sempre utiliza o Maracanã ou outros estádios. O Flamengo tem um projeto de revitalização da Gávea, tornando-a uma arena para enfrentar equipes de menor expressão.

Em outubro de 2013 o clube assinou contrato com a concessionária 'Maracanã SA' em que consta o compromisso de que a construtora Odebrecht (sócia majoritária do consórcio administrador do Maracanã) realizará estudo de viabilidade para a construção ou reforma do estádio para ampliação do estádio para 25.000 pessoas, estudo esse que deveria ter sido finalizado até o fim do ano de 2014.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Não desportivos[editar | editar código-fonte]

Eventos de destaque realizados na Gávea:

  • O estádio recebeu público de mais de 20 000 espectadores na apresentação de Ronaldinho Gaúcho pela equipe do Flamengo, em 12 de janeiro de 2011.

Espetáculos[editar | editar código-fonte]

Data Artista(s) Público Turnê/Show Notas Ref.
19 de março de 1994 Brasil Roberto Carlos [carece de fontes?]
24 de novembro de 1995 Inglaterra Elton John 60 mil Made in England Tour Um megashow recebido pelo estádio, saiu posteriormente em DVD. [carece de fontes?]
9 de maio de 1999 Estados Unidos Metallica Garage Remains the Same Tour [carece de fontes?]
Brasil Tim Maia [carece de fontes?]

Fotos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (PDF) http://cdn.cbf.com.br/content/201601/20160121152439_0.pdf  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. O Globo Esportivo, edição 171 de 1941, página 5 http://memoria.bn.br/DOCREADER/DOCREADER.ASPX?BIB=104710  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio da Gávea
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.