Estádio da Gávea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gávea
Estádio José Bastos Padilha
Gávea
Nome Estádio José Bastos Padilha
Características
Local Rua Ministro Raul Machado, Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 4000[1]
Construção
Data 28 de dezembro de 1933
Inauguração
Data 4 de setembro de 1938
Partida inaugural Flamengo 0–2 Vasco da Gama
Primeiro gol Niginho (Vasco da Gama)
Recordes
Público recorde 15.312
Data recorde 23 de novembro de 1941
Partida com mais público Flamengo 2–2 Fluminense
Outras informações
Proprietário Flamengo
Administrador Flamengo
Mandante Flamengo

O Estádio José Bastos Padilha, mais conhecido como Gávea, é um estádio de futebol localizado no bairro do Leblon, no município do Rio de Janeiro, no Brasil.

Popularmente, o estádio costuma ser chamado de "Estádio da Gávea", embora, legalmente, o estádio não se situe no bairro da Gávea, mas no bairro do Leblon.

História[editar | editar código-fonte]

Em de 14 de novembro de 1931, pelo decreto municipal 3.686, o Flamengo ficou com o direito de cessão e aforamento do terreno da Lagoa. Ali o clube construiu seu primeiro estádio de futebol, com cercas de madeira.

No dia 28 de dezembro de 1933, o então presidente José Bastos Padilha pagou a taxa de 497 contos de réis e o Flamengo pôde começar as obras de construção do estádio da Gávea o Estádio José Bastos Padilha, com capacidade para 6 mil espectadores na época.

No lançamento da pedra fundamental do estádio, o Prefeito do Distrito Federal já era Pedro Ernesto, que foi homenageado na ocasião. Em 10 de janeiro de 1935, pressionado pela Prefeitura, o presidente José Bastos Padilha anunciou o término da construção do muro de alvenaria em volta do terreno, uma das exigências do contrato de cessão do imóvel. Foram colocados quatro portões de madeira e construída uma pista de atletismo em volta do campo. Algum tempo depois, o Flamengo conseguiu a instalação de água para irrigação do gramado e chuveiro nos vestiários, além de luz elétrica e um telefone particular.

Em 14 de março de 1936, o Conselho Deliberativo autorizou o início das obras de construção das arquibancadas do estádio. Foram arrecadados 500 contos de réis para que a Comissão de Obras formada por Mário Rebello de Oliveira, Manuel Joaquim de Almeida, Comandante Alberto Lucena, José Manoel Fernandes, Gustavo de Carvalho e Alejandro Baldassini contratasse os construtores. A primeira estaca, de um total de 160 a cargo da firma Pieux-Franki, foi batida com uma grande solenidade no dia 9 de agosto de 1936. Custo da obra: 360 contos de réis. O preço total do estádio tinha sido avaliado em 1 milhão e 100 mil contos de réis, a cargo da Construtora Pederneiras S. A.

Para não parar a obra, era preciso arranjar dinheiro e isso foi feito através do lançamento de títulos de sócio proprietário autorizado pelo Conselho Deliberativo em sessão de 9 de janeiro de 1937. Inicialmente, foram lançados 100 títulos a 4 contos de réis cada um. Sucesso total, comprovando mais uma vez a enorme popularidade do Flamengo junto ao povo. Todos foram vendidos em 30 dias e o Flamengo arrecadou 400 contos de réis. Mais 100 títulos foram lançados - já com aumento - a 5 contos de réis cada e também vendidos. Mais 500 contos de réis no caixa do Flamengo.

As obras estavam sendo tocadas a pleno vapor quando o presidente José Bastos Padilha renunciou ao cargo alegando cansaço após cinco anos lutando pela construção do estádio. Raul Dias Gonçalves assumiu e completou o mandato até 31 de dezembro de 1938.

No meio do mandato de Raul Gonçalves, o conselheiro Oscar Esposel propôs a inauguração do Estádio da Gávea em 15 de novembro de 1938, quando o Flamengo estivesse completando 43 anos de fundação. Mas a festa aconteceu antes. No dia 4 de setembro de 1938, o Estádio da Gávea, logo depois batizado “Estádio José Bastos Padilha”.

O jogo de estreia do Flamengo no estádio foi contra o Vasco da Gama em 4 de setembro de 1938 pelo campeonato carioca daquele ano. Na ocasião, a equipe vascaína ganhou por 2 a 0 e o primeiro gol do estádio foi marcado por Niginho, mas a alegria era mesmo rubro-negra, por estar com a nova casa concluída.

O Fla-Flu da Lagoa, realizado em 23 de novembro de 1941, entrou para a história. Neste embate, os jogadores do Fluminense chutaram de propósito bolas na direção da Lagoa Rodrigo de Freitas (na época, a distância do estádio para a lagoa era pequena), tentando ganhar tempo no jogo disputado no estádio da Gávea, e os remadores do Flamengo teriam se lançado às águas para resgatar as bolas. O emocionante empate por 2 a 2 garantiu o título para o Flu, conforme fatos publicados em O Globo Esportivo, edição 171 de 1941, em sua página 5.[2]

Em 1994, o então presidente Luiz Augusto Veloso implantou, em parceria com uma empresa privada, uma arquibancada tubular no estádio, já retirada, ampliando a capacidade para 25.000, de modo a poder usar o estádio em partidas contra equipes de menor porte e, dessa maneira, reservar o Maracanã somente para partidas contra times de maior expressão. O Estádio da Gávea passou a servir como palco para eventos, gerando uma fonte alternativa de receita para o clube.

O Flamengo não utiliza mais o Estádio da Gávea para partidas oficiais. Seu último jogo no local foi em 27 de abril de 1997, quando venceu por 3 a 0 o Americano.

Desde então, o clube passou a mandar suas partidas apenas no Maracanã.

Projeto[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o Flamengo não joga no Estádio da Gávea. O clube sempre utiliza o Maracanã ou outros estádios. O Flamengo tem um projeto de revitalização da Gávea, tornando-a uma arena para enfrentar equipes de menor expressão.

Em outubro de 2013 o clube assinou contrato com a concessionária 'Maracanã SA' em que consta o compromisso de que a construtora Odebrecht (sócia majoritária do consórcio administrador do Maracanã) realizará estudo de viabilidade para a construção ou reforma do estádio para ampliação do estádio para 25.000 pessoas, estudo esse que deveria ter sido finalizado até o fim do ano de 2014.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Não desportivos[editar | editar código-fonte]

Eventos de destaque realizados na Gávea:

  • O estádio recebeu público de mais de 20 000 espectadores na apresentação de Ronaldinho Gaúcho pela equipe do Flamengo, em 12 de janeiro de 2011.

Espetáculos[editar | editar código-fonte]

Data Artista(s) Público Turnê/Show Notas Ref.
19 de março de 1994 Brasil Roberto Carlos [carece de fontes?]
24 de novembro de 1995 Inglaterra Elton John 60 mil Made in England Tour Um megashow recebido pelo estádio, saiu posteriormente em DVD. [carece de fontes?]
9 de maio de 1999 Estados Unidos Metallica Garage Remains the Same Tour [carece de fontes?]
Brasil Tim Maia [carece de fontes?]

Fotos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (PDF) http://cdn.cbf.com.br/content/201601/20160121152439_0.pdf  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. O Globo Esportivo, edição 171 de 1941, página 5 http://memoria.bn.br/DOCREADER/DOCREADER.ASPX?BIB=104710  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio da Gávea
Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.