Troféu Copa União

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Brasileiro de Futebol
Copa União
Taça da Copa União.jpg
Ilustração do Troféu Copa União, este troféu foi criado em 1987, sendo um oferecimento da revista Placar.
Dados gerais
Organização CBF
Edições 2
Local de disputa  Brasil
Sistema Fase de grupos e mata-mata
editar

O Troféu Copa União, é um troféu criado, em 1987, pela revista Placar para ser oferecido ao campeão da competição planejada pelo Clube dos 13, a Copa União — competição esta que segundo os regulamentos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tratou-se apenas do Módulo Verde do Campeonato Brasileiro de 1987[nota 1] — e que foi vencido pelo Flamengo. No ano seguinte, o troféu da Placar foi levantado pelo Bahia.[1] Em 1990, a revista criadora do troféu entregou-a de presente ao jogador Zico em sua despedida dos gramados.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

O Troféu Copa União foi oferecido pela revista Placar, na época que o Clube dos 13 era criado e idealizava um campeonato, que segundo a revista estava dentro dos padrões que caracterizavam o futebol do mundo inteiro. E, como também, na opinião da Placar, a Copa União representava um passo sem precedentes na organização de um verdadeiro campeonato brasileiro, a referida revista encomendou um troféu que deveria ter uma modelação que permitisse ser erguido sem dificuldades por um jogador, como prova autêntica da conquista — ao contrário das enormes taças que vinham sendo oferecidas.[2]

A tarefa de construir o troféu foi entregue ao artista plástico Carlos Fajardo, que associou o tema esportivo à Grécia Antiga, palco das primeiras Olimpíadas. Para isso, o artista pesquisou em livros as rigorosas medidas que separavam os pilares gregos — o elemento com contorno ideal para se segurar um troféu com as mãos, segundo seu raciocínio. Quatro desenhos rascunhados no papel originaram a maquete em madeira. O passo seguinte foi encomendar as peças metálicas. "Praticamente nada é maciço para que o peso não se torne exagerado", explica Fajardo, que levantou sua criação inúmeras vezes como teste muscular. Após ele conseguir o que considerava ser o peso ideal. Os metais foram banhados em prata e foi utilizado um mármore negro especial importado da Bélgica para fabricar uma esfera que foi colocada no topo do troféu. Finalmente, depois de vinte dias de trabalho, a obra ficou pronta: quatro pilares incrustados numa base que sustentam um suporte para a esfera maciça. Suas linhas clássicas e detalhadas lhe conferiam um toque erudito, algo que ainda era inexistente nas salas de troféus de qualquer clube.[2]

O troféu foi apresentado para a imprensa no dia 23 de novembro de 1987, e como o encomendado, foi fabricado de modo que ficasse o mais leve possível, tendo somente cinquenta centímetros de altura e pesando doze quilogramas. Medidas estas que permitiria a volta do vitorioso gesto de se erguer uma taça de campeão para a torcida — notabilizado com os capitães do tricampeonato mundial pela Seleção Brasileira Bellini, Mauro e Carlos Alberto Torres.[2]

Em 13 de dezembro do mesmo ano, a taça foi erguida por Zico, após o Flamengo conquistar o Módulo Verde do Campeonato Brasileiro ao vencer o Internacional por 1 a 0 no Maracanã. Em 1988, foi a vez do Bahia levantar a taça, após o clube conquistar a segunda edição da Copa União. Desta vez o troféu da Placar foi erguido ao lado da réplica da taça oficial do Campeonato Brasileiro, o Troféu Copa Brasil (conhecido popularmente como "Taça das Bolinhas").[1]

No entanto, a Copa União de 1988 acabou representando a última edição da competição. Uma vez que no ano seguinte a CBF decide nomear o principal campeonato de futebol do Brasil, pela primeira vez, de Campeonato Brasileiro, extinguindo assim a Copa União.

Assim como a Taça das Bolinhas, o Troféu Copa União ficaria em posse definitiva do clube que conquistasse a taça três vezes seguidas ou cinco vezes alternadamente a partir de 1987. Entretanto, em 1990, a revista criadora do troféu, alegando que a competição não teve continuidade, entregou a "Taça da Bolona" de presente ao Zico, como uma forma de homenagear o jogador que havia encerrado sua carreira.[3]

Os campeões do Troféu Copa União[editar | editar código-fonte]

Por edição[editar | editar código-fonte]

Ano Campeão
1987 Rio de Janeiro Flamengo
1988 Bahia Bahia

Por clube[editar | editar código-fonte]

Clube Conquistas
Rio de Janeiro Flamengo 1 (1987)
Bahia Bahia 1 (1988)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Em 1987, houve oficialmente um único Campeonato Brasileiro dividido em dois módulos de 16 totalizando 32 clubes e que foi vencido pelo Sport Club do Recife.

Referências

  1. a b Imortais do Futebol (19 de abril de 2013). «Esquadrão imortal - Bahia 1988». Consultado em 30 de junho de 2016 
  2. a b c d Revista Placar (27 de novembro de 1987). «Copa União aqui está o troféu». Consultado em 15 de junho de 2016 
  3. a b IG - O Dia (17 de dezembro de 2011). «Zico e o troféu da Copa União: 'Nesse nem o Fla põe a mão'». Consultado em 15 de junho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]