Mancini (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mancini
Mancini
Informações pessoais
Nome completo Alessandro Faioli Amantino
Data de nasc. 1 de agosto de 1980 (39 anos)
Local de nasc. Ipatinga (MG), Brasil
Altura 1,83 m
destro
Apelido Mancini
Informações profissionais
Equipa atual Foggia
Posição Ex-meia e ponta
Função Técnico
Clubes de juventude
1997–1999 Atlético Mineiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1999–2002
2000
2001
2003
2003–2008
2008–2011
2010
2011–2013
2012
2014
2014–2015
2016
Atlético Mineiro
Portuguesa (emp.)
São Caetano (emp.)
Venezia
Roma
Internazionale
Milan (emp.)
Atlético Mineiro
Bahia (emp.)
Villa Nova-MG
América Mineiro
Villa Nova-MG
0122 000(19)
0000 0000(0)
0020 0000(2)
0013 0000(0)
0222 000(59)
0029 0000(1)
0007 0000(0)
0051 0000(8)
0016 0000(1)
0010 0000(8)
0056 000(15)
0009 0000(6)
Seleção nacional
1999–2000
2004–2008
Brasil Sub-23
Brasil
0009 0000(0)
0009 0000(0)
Times/Equipas que treinou
2019– Foggia 0000(0)

Alessandro Faiolhe Amantino, mais conhecido como Mancini (Ipatinga, 1 de agosto de 1980), é um técnico e ex-futebolista brasileiro que atuava como meio-campista ou ponta. Atualmente comanda o Foggia.

Ao contrário do que muitos pensam o nome Mancini é um apelido e não o sobrenome do jogador. A origem do apelido remonta à infância do atleta. Quando era pequeno, sua avó tinha o costume de chamá-lo de Mansinho. Porém, ao chegar ao Atlético Mineiro, o treinador na época, Evaldo Cruz, alegou que Mansinho não era nome de jogador de futebol, tratando de adaptá-lo para um italianizado Mancini.

Iniciou sua carreira jogando pela lateral-direita. Foi assim durante seus anos no Brasil, porém, ao ir para Europa, passou a ser usado muito mais ofensivamente, jogando numa função semelhante a de um ala, posição que o próprio jogador já admitiu que é onde sempre preferiu jogar. Em pouco tempo, se tornou titular absoluto do time da Roma.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Início no Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Com um talento promissor, Mancini iniciou a carreira no Atlético Mineiro, por onde jogou de 1999 a 2002. Em 1999 o meio-campista fez seu primeiro jogo como profissional, atuando pelo Atlético contra o Ipatinga.

No mesmo ano, Mancini conquistou seu primeiro título como profissional, foi Campeão Mineiro pelo Galo e no ano seguinte, conseguiu ser bicampeão mineiro com o Atlético.

Portuguesa e São Caetano[editar | editar código-fonte]

Em 2000 foi emprestado para a Portuguesa, por onde teve uma passagem relâmpago. Já em 2001, mostrou um bom futebol pelo São Caetano. Conseguiu fazer uma ótima campanha no Campeonato Brasileiro de 2001, e na semifinal Mancini enfrentou o Atlético-MG, seu ex-clube. O São Caetano eliminou o Atlético-MG vencendo por 2 a 1, com Mancini sendo um destaque do jogo depois de ter dado uma assistência.[1] Na final, o Atlético-PR sagrou-se Campeonato Brasileiro de 2001, vencendo o jogo de ida por 4 a 2 e o jogo de volta por 1 a 0. Mesmo perdendo, Mancini foi importante novamente, tendo marcado um gol na derrota do Azulão.

Mancini em ação com a camisa da Inter.


Mancini jogou nos maiores clubes da Itália: Roma, Inter e Milan.

Venezia[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Mancini foi observado pelo diretor de futebol da Roma, Franco Baldini, e foi comprado pela Roma que o emprestou para o Venezia.

Após 13 jogos pela equipe, Mancini assinou com a Roma para substituir seu compatriota Cafu, que foi para o Milan.

Roma[editar | editar código-fonte]

Após uma rápida passagem pelo Venezia, Mancini chegou a Roma para substituir Cafu e se tornou ídolo. Durante cinco temporadas na equipe italiana, foi peça intocável no time, só que atuando no sistema defensivo e ofensivo, como ponta-direita e ala.

Na temporada de 2005–06, Mancini encontrou sua melhor forma, se tornou peça intocável na equipe. Após o escândalo no futebol italiano, a Roma se classificou para a UEFA Champions League, dando a Mancini a chance de jogar ao mais alto nível do clube do futebol mundial.

Na Liga dos Campeões de 2006-07, Mancini marcou 8 gols no time da Roma e deixou sua marca com um gol de placa contra o Lyon, da França[2][3]

Nesse mesmo ano, Mancini também comemorou seu primeiro troféu desde que chegou a Itália com a Roma, venceu a Copa da Itália, derrotando a Inter de Milão na final.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Muito assediado pelos principais clubes do mundo, no dia 15 de julho de 2008 Mancini decidiu continuar no país e resolveu assinar por quatro temporadas com a Internazionale de Milão, que desembolsou 13 milhões de euros.[4] Ao lado dele, chegaram também o português Ricardo Quaresma e o ganês Sulley Muntari.

Mancini marcou o primeiro gol com a camisa Nerazzurri no dia 16 de setembro de 2008, pela Liga dos Campeões, contra o Panathinaikos. O jogo foi realizado em em Atenas e a Inter venceu por 2 a 0. No restante da temporada 2008-2009, no entanto, devido ao estilo de jogo do técnico José Mourinho, Mancini não conseguiu ser titular da equipe.

Milan[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de fevereiro de 2010, Mancini foi emprestado para o Milan.[5] Mancini fez sua estreia com a camisa Rossoneri no empate sem gols contra a equipe do Bologna.

Após não obter êxito em sua passagem pela equipe, foi devolvido a Inter no final da temporada.

Retorno ao Atlético[editar | editar código-fonte]

Depois de oito anos na Europa, no dia 5 de janeiro de 2011, foi anunciado como novo reforço do Atlético Mineiro pelo presidente do clube, Alexandre Kalil, assinando um contrato de 3 anos.[6] Esta foi sua segunda passagem pelo clube no qual foi revelado.

Mancini reestreou com a camisa do Galo no amistoso contra o River Plate, do Uruguai. Posteriormente teve boas atuações no Campeonato Mineiro de 2011, mesmo com o Atlético perdendo para o Cruzeiro. No primeiro jogo da final, Mancini foi decisivo e marcou um belo gol.[7]

Devido a má forma física, ele não conseguiu se firmar como titular durante o Campeonato Brasileiro. O Atlético passou por um ano difícil, onde quase foi rebaixado para a Série B e também foi eliminado precocemente da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana.

Em 2012, após ter sido destaque na pré-temporada, nos jogos-treinos e nos jogos do Galo pelo Campeonato Mineiro, Mancini se tornou uma esperança atleticana para reencontrar seu futebol e ajudar o clube que ama. No entanto, após o retorno de empréstimo do Bahia, Mancini não teve chances no elenco atleticano e rescindiu seu contrato em abril de 2013.[8]

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de junho de 2012, Mancini foi anunciado como novo reforço do Bahia.[9] O jogador foi emprestado pelo Atlético Mineiro até o final do ano.

Vila Nova[editar | editar código-fonte]

No dia 7 de janeiro de 2016, o Villa Nova de Nova Lima acertou o retorno de Mancini ao clube para a disputa do Campeonato Mineiro de 2016.[10]

Carreira como técnico[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de agosto de 2019, foi anunciado como novo técnico do Foggia, que disputa a Série D do futebol italiano.[11]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Em 1999, com a Seleção Brasileira, Mancini disputou a Copa do Mundo Sub-20 na Nigéria. Entre 1999 e 2000, Manicini jogou 9 jogos pela Seleção Olímpica, participando do Torneio Pré-Olímpico Sul-Americano Sub-23. Em 28 de abril, Mancini fez sua estreia pela Seleção Principal em Budapeste, num amistoso contra a Hungria onde o Brasil venceu por 4 a 1. Mancini também fez parte da Seleção Brasileira que conquistou a Copa América de 2004, disputada no Peru. O último jogo de Mancini pela Seleção Brasileira foi no dia 19 de novembro de 2008, em uma goleada por 6 a 2 contra Portugal.[12]

Acusação de estupro[editar | editar código-fonte]

No dia 28 de novembro de 2011, Mancini foi condenado a 2 anos e 8 meses por lesão corporal e estupro de uma modelo brasileira na Itália.[13][14][15] Pessoas próximas ao jogador afirmam que Mancini fora vítima de extorsão, mas posteriormente o exame de corpo de delito comprovou as acusações.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 21 de junho de 2012.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Atlético Mineiro 1998 0 0 - - 0 0
1999 15 1 2 0 17 1
2000 20 0 0 0 20 0
Total 35 1 2 0 37 1
Portuguesa 2001 0 0 - - 0 0
Total 0 0 - - 0 0
São Caetano 2001 14 2 6 0 20 2
Total 14 2 6 0 20 2
Atlético Mineiro 2002 25 15 7 0 32 15
Total 25 15 7 0 32 15
Venezia 2003–04 13 0 - - 13 0
Total 13 0 - - 13 0
Roma 2003–04 33 8 4 1 8 1 45 10
2004–05 34 4 6 1 5 0 45 5
2005–06 27 12 7 3 7 3 41 18
2006–07 29 8 8 3 7 1 1 1 45 13
2007–08 31 8 6 3 9 2 0 0 46 13
Total 154 40 31 11 36 7 1 1 222 59
Internazionale 2008–09 20 0 2 0 4 1 1 0 27 1
2009–10 6 0 0 0 1 0 0 0 7 0
Total 26 0 2 0 5 1 1 1 27 1
Milan 2010–11 7 0 0 0 0 0 0 0 7 0
Total 7 0 0 0 0 0 0 0 7 0
Internazionale 2010–11 2 0 0 0 1 0 0 0 2 0
Total 2 0 0 0 0 0 0 0 2 0
Atlético Mineiro 2011 16 1 1 0 2 0 12 2 31 3
2012 3 0 3 2 14 3 20 5
Total 19 1 4 2 2 0 26 5 51 8
Bahia 2012 15 1 1 0 16 1
Total 15 1 1 0 16 1
Villa Nova 2014 0 0 1 1 9 7 10 8
Total 0 ! 0 1 1 9 7 10 8
Total na carreira 310 52 53 14 44 8 37 12 444 95

Títulos[editar | editar código-fonte]

Atlético Mineiro
Roma
Internazionale
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Futpédia. «Ficha técnica: São Caetano 2 x 1 Atlético-MG». Futpedia.globo.com 
  2. Oleole. «Vídeo: Gol de Mancini contra el Lyon.». Br.oleole.com [ligação inativa]
  3. Terra (6 de março de 2007). «Com gol de Mancini, Roma vence e elimina Lyon». Noticiasar.terra.com.ar 
  4. Terra (15 de julho de 2008). «Inter de Milão apresenta brasileiro Mancini». Esportes.terra.com.br 
  5. «Sem chances na Inter de Milão, Mancini é emprestado para rival Milan». Universo Online. 1 de fevereiro de 2010 
  6. «Pelo Twitter Kalil anuncia Mancini, terceira contratação desta quarta-feira». UOL Esporte. 5 de janeiro de 2011. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  7. «Atlético 2 x 1 Cruzeiro em 2011». Globotv.globo.com 
  8. «Sem jogar desde o começo do ano, Mancini rescinde contrato com o Galo». Superesportes. 11 de abril de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  9. «Bahia anuncia contratação de Mancini, que estava no Atlético-MG». Blog do Torcedor. 21 de junho de 2012. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  10. Victor Moreira (7 de janeiro de 2016). «Após passagem pelo América, Mancini acerta retorno ao Villa Nova para disputar o Mineiro». Superesportes. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  11. «Mesmo após protestos da torcida, Mancini assume equipe italiana da Série D». UOL Esporte. 6 de agosto de 2019. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  12. «Contagiado, Brasil goleia Portugal em noite de Luis Fabiano». UOL Esporte. 19 de novembro de 2008. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  13. «Mancini é condenado a quase 3 anos de prisão por estupro na Itália, diz jornal». UOL Esporte. 28 de novembro de 2011. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  14. «Jogador Mancini é condenado a dois anos e oito meses de prisão». Jornal Nacional. 29 de novembro de 2011. Consultado em 7 de agosto de 2019 
  15. «Modelo revela que sofreu abuso sexual de jogador famoso». TV UOL. 7 de janeiro de 2013. Consultado em 7 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.