Fábio Bilica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fábio Bilica
Fabio Bilica.JPG
Informações pessoais
Nome completo Fábio Alves da Silva
Data de nasc. 4 de janeiro de 1979 (43 anos)
Local de nasc. Campina Grande (PB), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,87 m
destro
Apelido Bilica
Informações profissionais
Clube atual Forte Rio Bananal
Posição zagueiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1996–1998
1998–2002
2002
2003
2003–2004
2004
2004
2005–2006
2006–2007
2007–2008
2008–2009
2009–2012
2012–2015
2017–2017
2017–2017
2018
2019
2019
2020
2020
2021
2021–
Vitória
Venezia
Brescia
Palermo
Ancona
Goiás
Grêmio
Colônia
Istres
Universitatea Cluj
Sivasspor
Fenerbahçe
Elazığspor
Auto Esporte-PB
São Paulo Crystal
Atlético Cajazeirense
Batatais
Miramar
América de Pedrinhas
São Francisco
Fluminense de Feira
Forte Rio Bananal
0010 0000(2)
0075 0000(5)
0011 0000(0)
0012 0000(0)
0017 0000(1)
0000 0000(0)
0024 0000(1)
0015 0000(1)
0041 0000(4)
0015 0000(2)
0036 0000(3)
0059 0000(1)
0055 0000(0)
0012 0000(0)
0009 0000(0)
0004 0000(0)
0010 0000(0)
0005 0000(1)
0000 0000(0)
Seleção nacional
1999–2000 Brasil Sub-23 0016 0000(2)

Fábio Alves da Silva, mais conhecido como Fábio Bilica (Campina Grande, 4 de janeiro de 1979), é um futebolista brasileiro que atua como zagueiro. Atualmente joga no Forte Rio Bananal.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Cria das divisões de base do Vitória, foi emprestado ao Vila Branca da cidade de Solânea PB aos 17 anos, chegando até a final do paraibano naquele ano de 1998, em foi negociado com ainda 18 anos para o Venezia em 1998. Só foi tornar-se conhecido em seu país, entretanto, quando o então técnico da Seleção Brasileira, Vanderlei Luxemburgo, convocou-o em 1999 para o torneio pré-olímpico.[1]

Seleção Brasileira Sub-23[editar | editar código-fonte]

Para estar nas Olimpíadas de Sydney, o beque teve de lutar contra o clube, que não queria liberá-lo.[1] O esforço acabou não premiado: o Brasil caiu nas quartas-de-final para Camarões e Bilica afundaria com a maior parte do time, não recebendo mais chances na Seleção.

Futebol italiano[editar | editar código-fonte]

Ainda no Venezia, ficaria mais conhecido também na Itália dois anos depois por um momento ruim: em um jogo contra o Brescia, provocou a lesão no joelho de Roberto Baggio que impediu a estrela, que tinha chances reais de ir à Copa do Mundo FIFA de 2002, figurar no torneio.[1] Naquele verão europeu, Bilica trocaria o Venezia pelo Palermo e, em 2003, passaria pelo próprio Brescia, onde tornou-se colega de clube de Baggio, já tendo feito as pazes com o astro.[1] Ainda em 2003, iria para o Ancona.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Após seis anos fazendo o pé de meia no futebol italiano, em 2004 o zagueiro retornou ao futebol brasileiro, para jogar no Grêmio, após não conseguir acertar com Fluminense e Goiás.[1]

Fenerbahçe[editar | editar código-fonte]

Depois de seu curto retorno ao Brasil, Bilica retornou à Europa, passando por clubes pequenos e sem se destacar. Chegou ao Fenerbahçe em 2009.

Auto Esporte[editar | editar código-fonte]

Em 2017, o experiente zagueiro volta à sua terra natal, o estado da Paraíba, para defender as cores do Auto Esporte. O Auto não tem o sistema internacional para fazer as transferências de atletas vindos de fora; assim, teve de pedir ajuda ao Campinense para que este o trouxesse, rescindisse seu contrato e aí fosse confirmado como novo reforço do Macaco Autino.

São Paulo Crystal[editar | editar código-fonte]

Posteriormente, em parceria com seu técnico, atuou no São Paulo Crystal, dando ascensão a sua carreira que aos poucos vem sendo reerguida no Brasil.

Batatais e América de Pedrinhas[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de janeiro de 2019 foi contratado pelo Batatais para a disputa do Campeonato Paulista A3. Já no dia 1 de dezembro do mesmo ano, foi confirmado como reforço do América de Pedrinhas.[2]

Forte Rio Bananal[editar | editar código-fonte]

Em maio de 2021 foi confirmado como reforço do Forte Rio Bananal, equipe que disputa a segunda divisão do Campeonato Capixaba.[3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Vitória
  • Copa Maria Quitéria: 1998
Fenerbahçe
Seleção Brasileira Sub-23

Referências

  1. a b c d e "Lembram do Bilica?", Leandro Behs, Placar, setembro de 2004, Editora Abril, págs. 54-55
  2. «América de Pedrinhas anuncia zagueiro Fábio Bilica e lateral-direito Mattheus Gaúcho». GloboEsporte.com. 1 de dezembro de 2019. Consultado em 2 de dezembro de 2019 
  3. «Interminável Fábio Bilica vai disputar a Série B do Capixaba». oGol. 20 de maio de 2021. Consultado em 9 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]