Valeriy Karpin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Valeriy Karpin
Валерий Карпин
Valeriy KarpinВалерий Карпин
Karpin em 2012.
Informações pessoais
Nome completo Valeriy Georgievich Karpin
Data de nasc. 2 de fevereiro de 1969 (48 anos)
Local de nasc. Narva, União Soviética
Nacionalidade Russo e estoniano
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador (Ex-meio-campista)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1986–1988
1988
1989
1990–1994
1994–1996
1996–1997
1997–2002
2002–2005
Sport Tallinn
CSKA Moscou
Fakel Voronezh
Spartak Moscou
Real Sociedad
Valencia
Celta de Vigo
Real Sociedad
25 (1)
3 (0)
27 (7)
146 (38)
77 (17)
46 (6)
214 (36)
117 (20)
Seleção nacional
1992
1992–2003
CEI
Rússia
1 (0)
72 (17)
Times/Equipas que treinou
2009–2012
2012–2014
2014–2015
2015–2016
Spartak Moscou
Spartak Moscou
Mallorca
Torpedo Armavir



Valeriy Georgievich Karpin - em russo Валерий Георгиевич Карпин (Narva, 2 de fevereiro de 1969) é um ex-futebolista russo, nascido na atual Estônia.[1]

Karpin foi o primeiro jogador nascido na Estônia a jogar uma Copa do Mundo FIFA, mas pela Rússia, terra de suas origens étnicas. Foi justamente dele o primeiro gol da seleção russa, em 1992, após o desmembramento da União Soviética.[2] Ele está entre os dez jogadores que mais defenderam a Rússia (72 vezes), chegando a ser o segundo, depois sendo ultrapassado por outros que desenvolveram a maior parte da trajetória na seleção após 2003. Também já foi o segundo maior artilheiro da seleção (17 gols), seguindo atualmente entre os cinco primeiros.[3] É o jogador com mais minutos jogados pela Rússia em Copas do Mundo, desconsiderando-se o período soviético.[4]

Teve grande sucesso no período áureo do Spartak Moscou nos primórdios do campeonato russo pós-URSS e do Celta de Vigo a nível nacional e continental, brilhando também em outra equipe espanhola, a Real Sociedad.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início no futebol soviético e russo[editar | editar código-fonte]

Karpin começou a carreira ainda na terra natal, no Sport Tallinn, da capital da então RSS da Estônia; o jogador chegou inclusive a ser registrado em alguns veículos como se fosse natural de Tallinn,[1][5] como nos álbuns de figurinhas oficiais da Panini para a Eurocopa 1996 e para a Copa do Mundo FIFA de 2002.[6][7]

Começou a jogar no campeonato de forças armadas. Transferiu-se em 1988 ao CSKA Moscou, o "clube do Exército", aonde estava terminando seu serviço, sofrendo ameaça de ir à Sibéria caso recusasse.[8] Disputou apenas 3 partidas pela equipe, assinando em seguida com o Fakel Voronezh, pelo qual atuou 25 vezes em 1989. Voltou a Moscou em 1990, desta vez para jogar no Spartak. Pelos Krasno-Belye, ganhou três campeonatos russos e 1 Copa da Rússia, em 1992.[2] Na temporada 1990-91, a equipe chegou a eliminar o Real Madrid nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da UEFA, vencendo por 3-1 dentro do estádio Santiago Bernabéu após empate de 0-0 em Moscou. Karpin jogou as duas partidas inteiras.[9]

A nível continental, Karpin destacou-se na temporada europeia de 1992-93, comandando um baile de 4-2 sobre o Liverpool pela extinta Recopa sobre a velha potência inglesa, que voltava às competições internacionais após anos de banimento em função da tragédia de Heysel.[10] Naquela temporada, marcou outros dois gols também sobre o Feyenoord, em vitória por 3-1. Na temporada europeia seguinte, pela Liga dos Campeões da UEFA, marcou gols em dois jogos contra o Barcelona,[11] que terminaria vice-campeão daquela edição.

Sucesso no futebol espanhol[editar | editar código-fonte]

Após a Copa de 1994, foi para o futebol espanhol, onde destacou-se principalmente no Celta de Vigo e na Real Sociedad,[2] seu primeiro clube no exterior. Após duas temporadas na equipe de San Sebastián, cidade em que sua filha nasceu em fevereiro de 1996,[8] foi vendido por 9 milhões de dólares para o Valencia, uma das maiores transferências da temporada 1996-97, cuja maior negociação foram os 23 milhões que envolveram a transferência de Alan Shearer do Blackburn Rovers ao Newcastle United.[12] Na pré-temporada, Karpin esteve no título do amistoso Troféu Naranja sobre o Flamengo.[13] Mas, após uma temporada de meia dúzia de gols e na qual a equipe não foi exitosa, chegou ao Celta.[2]

Karpin em agosto de 1996.

No clube da Galiza, Karpin passou 5 temporadas, ajudando a equipe a classificar-se para a Copa da UEFA em todas elas - em quatro por boas colocações no campeonato espanhol (foram dois sextos lugares, em 1998 e 2001, e dois quintos, em 1999 e 2002) e uma pelo título da Copa Intertoto de 2000, além de chegar ao vice-campeonato da Copa do Rei em 2001. Tal período áureo rendeu o apelido de "Eurocelta" ao elenco.[2]

Karpin foi eleito o melhor estrangeiro da temporada 1998/99, formando no clube galego uma verdadeira espinha dorsal com o brasileiro Mazinho, o israelense Haim Revivo, o argentino Gustavo López, o bósnio Vladimir Gudelj e o compatriota Aleksandr Mostovoy, com quem estava entrosado desde os tempos de Spartak.[2] Naquela temporada, o clube havia ficado a um ponto da classificação à Liga dos Campeões da UEFA e quatro do vice-campeão Real Madrid, além de eliminar Liverpool e Aston Villa na Copa da UEFA, vencendo ambos tanto em casa como dentro da Inglaterra. Já na temporada seguinte, o "Eurocelta" chegou a vencer por 7-0 o Benfica e por 4-0 a Juventus na competição continental.[14] No 7-0 sobre os portugueses, Karpin marcou duas vezes.[11]

Karpin chegou a ser eleito para o time dos sonhos do mês de janeiro de 1999 na temporada europeia.[15] Foi eleito pelo veículo Don Balón o melhor estrangeiro daquela temporada espanhola.[8] Em agosto, o Celta venceu o tradicional torneio amistoso Troféu Teresa Herrera, batendo na final o Boca Juniors.[16]

Na temporada 2000-01, o clube, campeão da Copa Intertoto, chegou ao vice-campeonato na Copa do Rei (perdendo de virada para o Real Zaragoza após ter eliminado o Barcelona nas semifinais) e foi até declarado o melhor do mundo na época pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol.[14]

No segundo semestre de 2002, Karpin retornou à Real Sociedad. Ajudou o clube basco a chegar ao vice-campeonato de La Liga,[2] 21 anos após a conquista do último título. Marcou oito vezes, incluindo o primeiro gol da campanha, em vitória por 4-2 na rodada inicial em pleno clássico com o Athletic Bilbao.[17] Surpreendendo, a Real chegou com chances de título na última rodada, mas remotas desde a rodada anterior, em que perdeu ironicamente a liderança em derrota para o ex-clube do russo, o Celta - que, também vivendo grande temporada, se classificaria com um quarto lugar à Liga dos Campeões da UEFA.[14] Em dezembro de 2002, voltou a ser eleito para o time dos sonhos do mês na temporada europeia.[15]

O campeonato espanhol, porém, acabou ficando com o Real Madrid de Luís Figo, Raúl, Zinédine Zidane e Ronaldo, restando o consolo de chegar à Liga dos Campeões da UEFA. Karpin foi uma das peças-chave da equipe de San Sebastián, ao lado do turco Nihat Kahveci, o sérvio Darko Kovačević, e os espanhóis Javier de Pedro e Xabi Alonso, a revelação daquela temporada. Deixou a equipe basca em 2005, ano em que deixou pela primeira vez de jogar.[2]

Retorno breve aos gramados[editar | editar código-fonte]

Dois anos após abandonar a carreira, Karpin tentou retomá-la, em 2007. Assinou um contrato com o Coruxo, uma equipe de pequeno porte da Galiza que disputa a Quarta Divisão Espanhola. Porém, não chegou a entrar em campo nenhuma vez, e encerrou oficialmente a carreira de jogador.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Jogou uma partida pela Seleção da CEI, como a antiga Seleção Soviética subsistiu para as disputas da Eurocopa 1992.[2] Foi em abril, em empate de 2-2 com a Inglaterra, ainda antes da competição. Karpin, entretanto, ficou de fora do torneio e aquela foi sua única exibição pela CEI.[18] Naquela partida, Karpin começou entre os reservas, entrando no minuto 63 no lugar de Andrey Kanchelskis.[19]

Após a dissolução da equipe, escolheu jogar pela Seleção Russa. Marcou o primeiro gol desta após o fim da URSS, em vitória por 2-0 em amistoso contra o México.[2] Foi de pênalti, no minuto 60, contra o goleiro Jorge Campos no estádio Lokomotiv de Moscou.[20] Karpin foi convocado para a Copa do Mundo de 1994, se tornando assim o primeiro jogador nascido na Estônia a participar da competição, ainda que seja etnicamente russo.[2] A convocação veio mesmo após apenas duas partidas nas eliminatórias; às vésperas da competição, diversos jogadores rejeitaram a convocação em função de desentendimentos com o técnico Pavel Sadyrin, justamente algumas das principais estrelas da equipe (como o citado Kanchelskis), que já atuavam nas principais ligas europeias.[1] Os astros ainda se fizeram presentes no álbum oficial de figurinhas lançado pela Panini e Karpin, não.[21] Já na competição ele foi o terceiro jogador mais utilizado pelos russos.[4]

Além do mundial de 1994, disputou a Eurocopa 1996 e a Copa de 2002. Nestes dois torneios, a Rússia cairia novamente na fase de grupos. Destacou-se ainda nas eliminatórias à Eurocopa 2000. Karpin fez dois gols em vitória por 3-2 sobre a França em pleno Stade de France em Saint-Denis,[18] contra a seleção recém-campeã da Copa do Mundo FIFA de 1998 e que venceria a própria Eurocopa. Os russos faziam boa campanha e eram os líderes do grupo nas eliminatórias, mas perderam a classificação após um inesperado empate contra a Ucrânia,[5] um 1-1 com gol de Karpin em Moscou.[18] Ele não escondeu as lágrimas de decepção ainda no gramado ao fim da partida.[8]

Na Copa de 2002, Karpin fez na estreia, contra a Tunísia, seu único gol em Copas do Mundo. Foi também seu último gol pela Rússia, que venceu por 2-0.[18] Foi de pênalti. Karpin foi um dos jogadores russos melhor avaliados no torneio, mas adiante perdeu as duas partidas seguintes e o país voltou a ser eliminado na primeira fase.[22] Depois do mundial, Karpin jogou uma última vez em fevereiro de 2003, em vitória por 1-0 sobre o Chipre.[18]

Vida além do futebol[editar | editar código-fonte]

Karpin considera, por razões familiares, sua cidade natal de Narva como a sua favorita no mundo.[8] Ela situa-se na fronteira com a Rússia, sendo a cidade mais a leste na Estônia, separada da cidade russa de Ivangorod apenas pelo estreito rio também chamado Narva. Terceira maior cidade estoniana, ela é habitada quase que exclusivamente por russos étnicos, chegando a ser rotulada pelo Lonely Planet como "uma cidade russa do lado errado da fronteira".[23]

Karpin é cristão ortodoxo. Embora tenha adotado a seleção russa, considera a terra natal da Estônia um de seus lugares favoritos. Por outro lado, já declarou que tem fluência na língua espanhola, mas nem tanto na estoniana, ainda que a houvesse estudado na escola. Segundo ele, porém, não havia como praticar este idioma em Narva, repleta de russos; disse que só passou a ter amigos etnicamente estonianos quando mudou-se aos 15 anos para a capital Tallinn.[8] Em 2003, ele obteve oficialmente a nacionalidade estoniana.[24] Na terra natal, seu nome é apenas Valeri Karpin.

Morou em Vigo até 2008, onde casou-se com a viguense Alba Fernández, tendo sido empresário do setor imobiliário e patrocinador de equipes desportivas. Uma delas é a Karpin-Galicia, participante das duas últimas Voltas a Portugal em Bicicleta. Durante o último de sua estadia, foi criticado por ter sido um dos responsáveis pelo aumento da especulação imobiliária na cidade. Ele, inclusive, chegou a ser xingado de "mafioso" e "ladrão" em pichações feitas nos muros do desapropriado Convento das Hermanitas.

Voltaria a Moscou no mesmo ano para integrar a diretoria do Spartak Moscou, onde fez a sua estreia como treinador, com a demissão do dinamarquês Michael Laudrup. Seus bons desempenhos no comando do Spartak fizeram a diretoria efetivá-lo no cargo. Ele ainda chegou a treinar o clube entre 2012 e 2014, após a saída de Unai Emery.[25] Neste último ano, teve sua primeira experiência como técnico fora da Rússia, tendo assinado com o Mallorca, permanecendo por um ano na equipe espanhola.

O último clube treinado por ele foi o Torpedo Armavir, da Segunda Divisão russa.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Rússia (junho de 1994). Placar n. 1095. Editora Abril, pp. 34-37
  2. a b c d e f g h i j k l ZAVATI, Rodolfo (20 de agosto de 2010). «Valery Karpin: Ídolo eterno em Vigo». Trivela. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  3. ARNHOLD, Matthias; MAMRUD, Roberto (17 de agosto de 2017). «Russia - Record International Players». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  4. a b TRIFONOV, Dmitry (12 de janeiro de 2007). «Soviet Union and Russian National Team Players' Appearances in the World Cup Finals». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  5. a b A conquista do espaço (maio de 2002). Placar n. 1220. Editora Abril, pp. 144-147
  6. Rossija (1996). Europa/Europe'96. Panini, pp. 30-31
  7. Rossija (2002). 2002 FIFA World Cup Korea Japan. Panini, p. 59
  8. a b c d e f «Валерий КАРПИН». RusTeam. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  9. TORRE, Raúl (23 de novembro de 2007). «Official International Matches of Real Madrid since 1955». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  10. STEIN, Leandro (24 de agosto de 2017). «[História] 15 grandes jogos do passado que serão reeditados na fase de grupos da Champions». Trivela. Consultado em 30 de agosto de 2017 
  11. a b HAISMA, Marcel (15 de janeiro de 2010). «Valeri Georgevich Karpin - Matches in European Cups». Trivela. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  12. DUARTE, Marcelo (setembro de 1996). Milhões em jogo. Placar n. 1119. Editora Abril, pp. 30-32
  13. VERONESE, Andrea; GARBIN, Erik (23 de fevereiro de 2017). «Trofeo Naranja (Valencia-Spain) 1959-2016». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  14. a b c BRANDÃO, Caio (12 de maio de 2017). «Relembre o "Eurocelta", impulsionado por argentinos em Vigo na virada do século». Trivela. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  15. a b STOKKERMANS, Karel (14 de março de 2007). «ESM XI». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  16. BRAVO MAYOR, Luis Javier; TORRE, Raúl; VERONESE, Andrea; GARIN, Erik (4 de janeiro de 2013). «Trofeo Teresa Herrera (La Coruña-Spain) 1946-2012». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  17. SANTOS, Jorge; LÓPEZ MORAL, Alberto; MARTÍNEZ, Ángel David; DALENCE GARCÍA, Daniel (4 de julho de 2004). «Spain 2002/03». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  18. a b c d e MAMRUD, Roberto (31 de julho de 2008). «Valery Georgievich Karpin - International Appearances». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  19. COURTNEY, Barrie (13 de dezembro de 2012). «England - International Results 1990-1994 - Details». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  20. MORRISON, Neil (2 de fevereiro de 2005). «1992 MATCHES». RSSSF. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  21. Rossija (1994). USA '94 World Cup. Panini, pp. 14-15
  22. Os japoneses fazem bonito (julho de 2002). Placar n. 1231. Editora Abril, p. 107
  23. BAIN, Carolyn (2014). Narva e arredores. Lonely Planet: Leste Europeu, 1ª ed. São Paulo: Editora Globo, pp. 379-380
  24. Entrevista do Sport-Express
  25. "Спартак": Карпин - главный тренер (em russo). 26 de novembro de 2012