Massimo Carrera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Massimo Carrera
Massimo Carrera
Carrera em 2016.
Informações pessoais
Nome completo Massimo Carrera
Data de nasc. 22 de abril de 1964 (59 anos)
Local de nasc. Sesto San Giovanni, Itália
Altura 1,79 m[1]
Apelido La Bandera
Informações profissionais
Clube atual Sem clube
Posição Ex-zagueiro
Função Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1982–1983
1983–1984
1984–1985
1985–1986
1986–1991
1991–1996
1996–2003
2003–2004
2004–2005
2005–2008
Pro Sesto
Russi
Alessandria
Pescara
Bari
Juventus
Atalanta
Napoli
Treviso
Pro Vercelli
0030 0000(4)
0028 0000(5)
0031 0000(0)
0019 0000(1)
0156 0000(4)
0114 0000(1)
0207 0000(3)
0026 0000(0)
0012 0000(0)
0063 0000(1)
Seleção nacional
1992 Itália 0001 0000(0)
Times/clubes que treinou
2009–2012
2012
2012–2014
2014–2016
2016
2016–2019
2019–2020
2021
Juventus (categorias de base)
Juventus (interino)
Juventus (auxiliar-técnico)
Itália (auxiliar-técnico)
Spartak Moscou (auxiliar-técnico)
Spartak Moscou
AEK Atenas
Bari

Massimo Carrera (Sesto San Giovanni, 22 de abril de 1964) é um ex-futebolista e treinador de futebol italiano que atuava como zagueiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Revelado pelo Pro Sesto, clube de sua cidade natal, Carrera estreou profissionalmente em 1982, aos 18 anos de idade.

Foi cedido por pouco tempo a duas equipes de pouca expressão: o Russi (1983-84) e o Alessandria (1984-85). Em 1985, foi contratado pelo Pescara, cujo desempenho pelos azuis levou a ser contratado pelo Bari no ano de 1986.

Suas prestações pela maior equipe do sul da Itália fizeram com que Carrera fosse contratado pela poderosa Juventus. Em cinco anos na Vecchia Signora, foram 114 jogos e apenas 1 gol marcado.

Carrera atingiu o auge da carreira na Atalanta, que o contratou após seu contrato com a Juve ter-se encerrado. O zagueiro vestiu a camisa nerazzurra por sete anos (1996-2003), atuando em 207 partidas e marcando 3 gols.

Nos últimos quatro anos de sua trajetória como atleta, La Bandera defendeu ainda as camisas de Napoli e Treviso. Já pensando em virar treinador, encerrou a carreira em 2008, aos 44 anos, quando atuava pelo Pro Vercelli.

Carreira internacional[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter construído uma sólida carreira com as camisas de Juventus e Atalanta, o zagueiro teve apenas uma oportunidade pela Seleção Italiana, em 1992, quando a Squadra Azzurra enfrentou San Marino, em Cesena.

Pós-aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Em 2009, assinou com a Juventus para ser o treinador das categorias de base da Vecchia Signora. Com a suspensão do técnico Antonio Conte, em 2012, chegou a trabalhar interinamente na função por 3 meses. No mesmo ano, foi “rebaixado” para auxiliar-técnico de Conte. Entre 2014 e 2016, exerceu a função na Seleção Italiana.

Ainda em 2016, foi contratado pelo Spartak Moscou para auxiliar Dmitriy Alenichev. Com a demissão do ex-meia em agosto, assumiu o cargo interinamente e, com bons resultados, foi efetivado.

Envolvimento em acidente[editar | editar código-fonte]

Na véspera da virada do ano de 2010, Carrera se envolveu em um acidente na Autostrada A4, que culminou na morte de duas meninas.

Assim como um dos motoristas envolvidos no acidente, Carrera foi investigado por homicídio culposo (sem a intenção de matar). Ações judiciais a favor do ex-zagueiro alegam que ele não teria outra forma de evitar o acidente.

Títulos Como treinador[editar | editar código-fonte]

Spartak Moscou

Referências

  1. a b «Massimo Carrera». Consultado em 18 de maio de 2012 
Bandeira de ItáliaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas italianos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.