Hat-trick

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por pelo álbum musical, veja Hat Trick.

Um triplete,[1][2][3] também conhecido pelo seu nome em inglês: hat-trick, é associado com alguma coisa que ocorre sucessivamente três vezes, geralmente de modo consecutivo, em algum esporte.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Na Era Vitoriana, o termo "hat-trick" referia-se a um comum truque de magia, no qual o mágico aparecia envergando uma cartola. O truque consistia em colocar a cartola, com a abertura virada para cima, sobre uma mesa próxima. Depois, o mágico retiraria três coelhos, um depois do outro, de dentro da cartola.[carece de fontes?] Nos tempos modernos, esta expressão é muito utilizada como referência à marcação de três pontos num só encontro, tanto em futebol como em outras modalidades.

O termo "hat-trick" foi utilizado pela primeira vez num jogo de críquete, para descrever a actuação de H. H. Stephenson, em 1858.[4] O termo foi usado num artigo de jornal pela primeira vez em 1878.[5]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Automobilismo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Hat-trick (automobilismo)

No automobilismo, um hat-trick é quando um piloto ganha a prova, faz a pole position e marca a volta mais rápida da prova.

Beisebol[editar | editar código-fonte]

No beisebol, quando um batedor é eliminado por strikes três vezes num único jogo, é, às vezes, jocosamente referido como um hat-trick. Quatro strikeouts num jogo são referidos como um "sombreiro dourado" (golden sombrero), e seis são conhecidos como um Horn, após Sam Horn, do Baltimore Orioles, ter conseguido a façanha num jogo de entradas extras em 1991. Alex S. Gonzalez, do Toronto Blue Jays, empatou o recorde em 1998.

O hat-trick original no beisebol é um feito efetivo, conhecido como "rebater pelo ciclo". Isto implica o jogador rebater uma simples, uma dupla, uma tripla e um home run durante uma mesma partida.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Hat-tricks em Copas do Mundo FIFA

Um hat-trick ocorre no futebol quando um futebolista faz, no mesmo jogo, três gols, apesar de haver várias divergências quanto a um hat-trick válido. São contados os gols feitos no tempo regulamentar, acréscimos ou prorrogação, sendo apenas para alguns essa a condição de ser um hat-trick válido. Os gols de pênalti na disputa por pênaltis após o término da partida não são contados.

Também existe o conceito largamente aceito do hat-trick "sem falhas", em que os gols teriam de ser marcados consecutivamente em apenas um tempo de partida. Um exemplo deste foi o hat-trick do atacante Rodrygo, pelo Santos, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro de 2018, contra o Vitória, quando o atacante fez três gols no primeiro tempo da partida. Também há o "hat-trick perfeito" (também chamado de "hat-trick de ouro" ou "hat-trick clássico"). Trata-se de um hat-trick em que os gols são marcados em uma mesma partida, um com cada pé e o outro com a cabeça. Um exemplo disto foi o hat-trick de Peter Crouch pelo Liverpool contra o Arsenal, em março de 2007. Na temporada 2009-10 da Liga dos Campeões da UEFA o croata Ivica Olić, do Bayern de Munique marcou um hat-trick perfeito no segundo jogo da semifinal contra o Lyon na cidade francesa; na ocasião o clube alemão venceu a partida por 3 a 0 e avançou às finais da Liga. Em 2014, Neymar, atuando pela seleção brasileira em um amistoso diante do Japão, em Cingapura, marcou um hat-trick perfeito, além de mais um tento.

Existem também hat-tricks feitos de maneiras curiosas, como o do escocês Ray McKinnon, que marcou o primeiro hat-trick feito somente em cobranças de falta, em fevereiro de 1997.[6] No ano seguinte, o sérvio Siniša Mihajlović (Lazio 5–2 Sampdoria) e Marcos Assunção[7] (Santos 3–3 Bahia, pela Copa do Brasil de 1998) também lograriam este feito.

Em 1999, o goleiro paraguaio Chilavert seria o primeiro — e por enquanto segue sendo o único — goleiro a marcar três gols em uma partida, sendo todos de pênalti.[8] Em 2004, o atacante brasileiro Ronaldo repetiria o feito, ao marcar três gols de pênalti na vitória brasileira por 3–1 sobre a Argentina.[9]

Um hat-trick no futebol também é conhecido como a reivindicação da bola do jogo, tradicionalmente levada pelo goleador como recordação da partida.

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • O recorde mundial do mais rápido hat-trick ocorreu em 28 de novembro de 1964, quando o jogador escocês Tommy Ross, do Ross County F.C., marcou três gols com uma diferença de apenas noventa segundos entre o primeiro e o terceiro. A partida foi contra o Nairn County F.C., no Victoria Park.[10]
  • O primeiro jogador a fazer três gols em uma partida entre seleções foi o escocês John McDougall, contra a Inglaterra, em 2 de março de 1878.[11]
  • O primeiro jogador a fazer três gols em uma partida de Copa do Mundo foi o norte americano Bert Patenaude, em 1930, no jogo entre Estados Unidos e Paraguai.[12]

Hóquei no gelo[editar | editar código-fonte]

No hóquei no gelo, o hat-trick é quando um mesmo jogador marca três gols numa mesma partida. Se os gols são consecutivos, sem sequer um gol adversário entre eles, tem-se o chamado hat-trick natural. É comum em jogos da NHL que hat-tricks sejam seguidos por uma "chuva" de chapéus e bonés arremessados por torcedores.[13] Em Pittsburgh, os bonés são recolhidos por uma tropa de escoteiros, que os distribui a entidades assistenciais para doação.[13]

Existe ainda o que é conhecido como "hat-trick de Gordie Howe", que consiste, em um gol, uma assistência e uma briga no mesmo jogo, algo que era visto como uma curiosidade até o semanário The Hockey News começar a computar a estatística, em 1996.[14] O líder na estatística desde que ela começou a ser computada pela revista é o ex-atacante do Detroit Red Wings Brendan Shanahan, com 17.[14]

Rugby[editar | editar código-fonte]

Em ambas as regras de rugby (Rugby union e Rugby league) um hat-trick é feito quando um jogador converte três ou mais Tries em um só jogo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Claudia Garcia (7 de junho de 2015). «Da suspensão ao triplete: o triunfo pessoal do goleador e garçom Suárez». GloboEsporte.com. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  2. EFE (19 de setembro de 2018). «Messi marca 8º 'triplete' da carreira na Champions». FolhaPE.com. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  3. Goal (3 de outubro de 2017). «O que o Barcelona possui que o Real Madrid ainda não alcançou». Goal.com. Consultado em 17 de outubro de 2019 
  4. Acertar em três wickets com três bolas dava ao jogador direito a ganhar um chapéu oferecido pelo seu clube, ou dava-lhe o direito de passar um chapéu para que lhe dessem gorjetas. Extended Oxford English Dictionary edição de 1999: "It came into use after HH Stephenson took three wickets in three balls for the all-England eleven against the twenty-TWO THOUSAND of Hallam at the Hyde Park ground, Sheffield in 1858. A collection was held for Stephenson (as was customary for outstanding feats by professionals) and he was presented with a cap or hat bought with the proceeds."
  5. The Oxford Companion to Australian Cricket (editado pela Oxford University Press em 1996) refere que a palavra "hat-trick" foi publicada pela primeira vez em The Sportsman para descrever como Spofforth eliminou três batedores num jogo contra Hastings & Districts no estádio Oval em 29 de Agosto de 1878.
  6. doentesporfutebol.com.br/ "O dia que Siniša Mihajlović marcou um hat-trick cobrando falta"
  7. ocuriosodofutebol.com.br/ "Marcos Assunção fazendo três de falta no mesmo jogo pelo Santos em 1998"
  8. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome chilavert
  9. noticias.uol.com.br/ "Brasil vence Argentina com três gols de pênalti de Ronaldo"
  10. maisfutebol.iol.pt/ "O dia em que um jogador fez um hat trick em 90 segundos"
  11. Scotland – International Matches 1872–1880 Rec.Sport.Soccer Statistics Foundation. Retrieved 11 September 2015.
  12. radios.ebc.com.br/ "Primeiro jogador a fazer 3 gols, fato foi reconhecido 76 anos depois"
  13. a b "Findlay teen makes sure hats on ice are put to good use", Andrea Iglar, Pittsburgh Post-Gazette, 21/1/2010, acessado em 21/1/2010
  14. a b "Inside the 'Gordie Howe Hat Trick'", John McGourty, NHL.com, 26/1/2010, acessado em 28/1/2010