Usain Bolt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Usain Bolt
campeão olímpico
Atletismo
Nome completo Usain St. Leo Bolt
Modalidade 100 m, 200 m
Nascimento 21 de agosto de 1986 (29 anos)
Trelawny, Jamaica
Nacionalidade Jamaica jamaicano
Compleição Peso: 86 kg Altura: 1,96 m [1]
Recorde mundial 100 m: 9,58s
200 m: 19,19s
4x100 m: 36,84s
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Londres 2012 100 m
Ouro Londres 2012 200 m
Ouro Londres 2012 4x100 m
Ouro Pequim 2008 100 m
Ouro Pequim 2008 200 m
Ouro Pequim 2008 4x100 m
Campeonatos Mundiais
Ouro Pequim 2015 100 m
Ouro Pequim 2015 200 m
Ouro Moscou 2013 100 m
Ouro Moscou 2013 200 m
Ouro Moscou 2013 4x100 m
Ouro Daegu 2011 200 m
Ouro Daegu 2011 4x100 m
Ouro Berlim 2009 100 m
Ouro Berlim 2009 200 m
Ouro Berlim 2009 4x100 m
Prata Osaka 2007 200 m
Prata Osaka 2007 4x100 m

Usain St. Leo Bolt OJ, OD (Trelawny, 21 de agosto de 1986) é um velocista jamaicano, multicampeão olímpico e mundial, recordista mundial dos 100 e 200 metros rasos, além do revezamento 4 x 100 metros como integrante da equipe da Jamaica. É o único atleta na história do atletismo a se tornar bicampeão em todas as três modalidades em Jogos Olímpicos de forma consecutiva e a conquistar seis medalhas de ouro em provas de velocidade, sendo dez vezes campeão mundial.

Suas conquistas no atletismo o fizeram ser chamado de Lightning Bolt (relâmpago, raio) pela imprensa internacional e entre os muitos prêmios que já recebeu tem como mais expressivos os de Atleta do Ano da IAAF e o Laureus World Sportsman of the Year, que recebeu por três vezes. Entre as honrarias que recebeu fora do atletismo estão a Ordem da Jamaica (OJ) e a Ordem da Distinção (OD), outorgadas pelo governo de seu país.

O mais bem pago atleta da história do atletismo,[2] ele é considerado por Jacques Rogge, ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional, por especialistas e por ex-atletas, como uma lenda viva e o maior velocista de todos os tempos.[3] [4] [5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Nascido numa pequena cidade da Jamaica, seus pais Wellesley e Jennifer Bolt tinham um pequeno mercado na área rural onde ele passava o tempo na rua jogando críquete e futebol com seu irmão Sadiki – ele também tem uma irmã, Shirine. Ainda criança, cursou a escola primária Waldensia, onde começou a demonstrar seu potencial para a velocidade e aos 12 anos era o mais rápido aluno nos 100 m rasos. Depois de entrar na escola secundária, passou a praticar outros esportes mas seu técnico de críquete notou a velocidade do garoto no campo de jogo e insistiu que ele se dedicasse ao atletismo. A escola já tinha um histórico de sucesso com estudantes anteriores e Bolt passou a ser treinado por um ex-velocista olímpico jamaicano, Pablo McNeil. Ele ganhou sua primeira medalha no campeonato interescolar em 2001, aos 15 anos, uma prata nos 200 m rasos, com um tempo de 22s04.[6] Mc Neil se tornou seu primeiro técnico efetivo e a dupla fez uma boa parceria, apesar das reclamações do técnico com a falta de dedicação de Bolt aos treinamentos e sua propensão para brincadeiras quando elas eram indevidas.[7]

Neste mesmo ano de 2001 ele disputou sua primeira competição internacional pela Jamaica, ganhando duas medalhas de prata nos 200 m e nos 400 m da categoria sub-17 dos CARIFTA Games, uma competição regional no Caribe, realizados em Bridgetown, Barbados; nestes Jogos, com 16 anos, marcou 21s81 para os 200 m, a que seria sua prova favorita;[8] ele ainda não levava o atletismo nem a si próprio muito a sério e levou essa incorreção a novas alturas quando se escondeu na traseira de uma van quando deveria estar se preparando para as finais dos 200 m; Bolt foi detido pela polícia pela brincadeira e a comunidade local culpou McNeil pelo incidente.

Sua primeira aparição no cenário global foi disputando o Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo de 2001, na Hungria, onde não se classificou para a final dos 200 metros mas mesmo assim abaixou sua melhor marca pessoal para 21s73; em 2002, continuou quebrando recordes pessoais vencendo os 100 e os 200 m do Campeonato Júnior de Atletismo do Caribe e América Central em 2002.[9] Foi neste ano que ele começou a ganhar proeminência, ao vencer os 200 m no Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo realizado em Kingstown, na Jamaica. Com 15 anos e 1,96 m, muito mais alto que seus adversários, venceu em 20s61, o mais jovem medalha de ouro num campeonato júnior de atletismo.[10] A expectativa da multidão no estádio com seu jovem atleta o deixou tão nervoso que ele colocou as sapatilhas de corrida nos pés trocados; esta experiência, porém, foi reveladora para Bolt que jurou que nunca mais se deixaria afetar por tensões pré-corrida.[11]

2003-2008[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte, Bolt continuou a ganhar medalhas no CARIFTA, sendo considerado o atleta do torneio depois de ganhar quatro medalhas de ouro e ganhou outra nos 200 m do Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo de 2003, marcando 20s40.[12] Seu foco passou a ser apenas esta prova e no mesmo ano igualou o recorde mundial júnior para a distância, marcando 20s13 no Campeonato Pan-americano Júnior de 2003, em Barbados. Esta performance atraiu a atenção da imprensa especializada e suas marcas ,tanto nos 200 quanto nos 400 m, o fizeram ser apontado como um possível sucessor de Michael Johnson; aos 16 anos, seus tempos nestas provas eram superiores aos de Johnson antes dos 20 anos e a marca dos 200 m era melhor que a do velocista americano Maurice Greene, campeão olímpico dos 100 m em Sydney 2000, naquele ano.[13]

Sua popularidade começou a aumentar em seu país, a ponto do Defensor Público da Jamaica, Howard Hamilton, pressionar a Federação Jamaicana para nutri-lo e evitar o desgaste prematuro, chamando-o de "o mais fenomenal velocista que esta ilha já produziu". [13] A popularidade crescente e as atrações da cidade grande – ele havia se mudado da pequena Trelawny para a capital, Kingstown – começaram a fazer efeito sobre o corredor ainda adolescente. Cada vez mais ele perdia a concentração no atletismo e preferia comer fast-food, jogar basquetebol e ir a festas na cidade. Na ausência de um estilo de vida disciplinado, ele se tornou cada vez mais dependente de sua habilidade natural ao invés dos treinamentos para bater seus concorrentes na pista.[14] Mesmo sendo ainda um atleta júnior, foi escalado para disputar o Campeonato Mundial de Atletismo de 2003, em Paris, mas uma conjuntivite no período anterior ao campeonato arruinou seus treinos e a Federação jamaicana o proibiu de participar.[6]

Em 2004, aos 17 anos, Bolt virou profissional e se tornou o primeiro velocista júnior a quebrar os 20s para os 200 m rasos, fazendo 19s93 nas Bermudas. Sua primeira participação olímpica, Atenas 2004, foi, entretanto, arruinada por uma contusão no tendão que o impediu de avançar além das eliminatórias. Universidades americanas lhe ofereceram diversas bolsas de estudo mas Bolt recusou todas preferindo ficar em sua Jamaica natal. Em 2005, trabalhando com novo técnico, Glen Mills, que lhe fez ter uma atitude mais comprometida e profissional com a carreira, fez sua melhor marca da temporada nos 200 m em Crystal Palace, Londres, 19s99.[15] Em 2005, Bolt começou a enfrentar lesões mais constantemente, tendo apenas 18 anos, e que o impediu de realizar o treinamento planejado em sua totalidade. No Campeonato Mundial de Atletismo de Helsinque naquele ano, foi o último na final dos 200 m, sentindo uma contusão durante a prova; mesmo assim, era então o mais novo atleta a correr uma final num Mundial.[16] Passou os anos de 2005 e 2006 melhorando suas marcas e lutando com contusões. Uma destas, na panturrilha, o deixou fora dos Jogos da Commonwealth de 2006. Depois de sua recuperação, sempre focado nos 200 m e recusando os pedidos de seu técnico de que passasse também a tentar os 400 m, começou novamente a vencer, batendo o recorde anterior de Justin Gatlin do meeting de Ostrava, na República Tcheca, e marcando 19s88, recorde pessoal, em Lausanne, na Suíça, numa prova em que chegou em terceiro atrás de Xavier Carter e Tyson Gay.[17]

Nesta época, Bolt insistia com seu técnico para correr também os 100 m rasos, com o que Mills não concordava, o achando mais adequado para os sprinters mais longos, 200 e 400 m, mas diante da insistência prometeu que o deixaria disputar os 100 m em provas de nível internacional se ele quebrasse o recorde nacional da Jamaica nos 200 metros – 19s86 – que pertencia a Donald Quarrie desde 1971. Quarrie era o ídolo de Bolt e o campeão olímpico dos 200 m em Montreal 1976. No campeonato nacional jamaicano de atletismo de 2007, Bolt venceu os 200 m em 19s75, quebrando o recorde de 36 anos de Quarrie em 0.11s.[6] Mills cumpriu a promessa e o inscreveu nos 100 m de um meeting em Creta; Bolt venceu em 10s03, derrotando os americanos Leroy Dickson e Wallace Spearmon, e aumentou o entusiasmo pela distância.[18]

No pódio do Mundial de Osaka 2007, com sua medalha de prata ao lado de Tyson Gay, o campeão mundial dos 200 m, e Wallace Spearmon.

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2007, em Osaka, Japão, Bolt não disputou os 100 m; competiu nos 200 m e ficou com a medalha de prata, perdendo para Tyson Gay, em seu auge, que também venceu os 100 m; o então maior nome da Jamaica nos 100 m e recordista mundial, Asafa Powell, ficou apenas com o bronze nos 100 m.[19] Bolt não ganhou nenhum grande torneio em 2007 mas seu técnico Mills achou que sua técnica de corrida teve um grande desenvolvimento, com um melhor equilíbrio nas curvas dos 200 m e um aumento na frequência das suas passadas, resultando num maior poder de condução do corpo na pista.

Primeiro recorde mundial[editar | editar código-fonte]

A medalha de prata em Osaka despertou em Bolt um maior desejo pela corrida e ele continuou fixado na ideia de correr os 100 m, treinando cada vez mais na distância; em maio de 2008, seu técnico o inscreveu nos 100 m do Kingstown Invitational, na capital jamaicana, e correndo apenas pela segunda vez a distância num torneio profissional ele marcou 9s76, a segunda melhor marca do mundo, atrás apenas do recorde mundial de Powell. Michael Johnson, que acompanhou o torneio, observou como ele tinha melhorado tão rapidamente nos 100 m; menos de um mês depois, no Reebok Grand Prix de Atletismo de Nova York, com uma enorme torcida de jamaicanos empunhando bandeirinhas do país, ele estabeleceu novo recorde mundial para os 100m – 9s72 – sendo essa apenas sua quinta competição oficial na distância;[20] em junho, abaixou seu tempo pessoal nos 200 m para 19.67, novo recorde jamaicano, em Atenas, Grécia.[21]

Apesar de Mills preferir que Bolt corresse os sprints mais longos – ainda insistia nos 400 m o que atleta recusava – a determinação de Bolt em correr os 100 m e a aquiescência do técnico quanto a isso, acabou funcionando a contento para os dois; Bolt ficou mais focado nas corridas e um planejamento de treinos para aumentar sua velocidade e sua estamina, em preparação para os Jogos Olímpicos, acabou funcionando para as duas distâncias, 100 e 200 m.[22] A confiança de Bolt em si mesmo crescia e ele acreditava que faria um bom papel em Pequim 2008.[21]

Pequim 2008[editar | editar código-fonte]

A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por MachoCarioca (D C) 10 horas atrás. (Recarregar)

Nos 100 metros rasos estabeleceu o recorde mundial três vezes, marcando 9,72 s no Reebok Grand Prix de Atletismo de Nova Iorque em 2008, depois 9,69s na final olímpica em Pequim 2008 e 9,58 s no Campeonato Mundial de Atletismo de 2009, em Berlim.[23]

Nos 200 m rasos, bateu o recorde mundial com 19s30, superando a antiga marca do ex-atleta norte-americano Michael Johnson que era de 19s32, na final olímpica em Pequim 2008. Em Berlim, em 2009, Usain Bolt quebrou seu próprio recorde, ao estabelecer nova marca mundial de 19s19, durante o Campeonato Mundial de Atletismo .[24]

Com a ajuda de Asafa Powell, Michael Frater e Nesta Carter, conquistou o revezamento 4x100 metros. A Jamaica bateu o antigo recorde mundial que era dos Estados Unidos e vigorava há 15 anos - 37s40 - e estabeleceram o tempo de 37s10 na final olímpica em Pequim 2008. No Campeonato Mundial de Atletismo de 2011, Bolt e o revezamento da Jamaica bateram novamente o recorde mundial com 37s04.

Nos Jogos Olímpicos de Pequim, Bolt foi um dos grandes nomes ao vencer os 100, 200 e o revezamento 4x100 metros, quebrando os recordes mundiais das três provas.

Em maio de 2009, em Manchester, quebrou o recorde dos 150 m rasos, prova não disputada em mundiais ou olimpíadas, com o tempo de 14s35. Na ocasião declarou: "Meu objetivo é me transformar em uma lenda, e estou trabalhando muito duro para conseguir."[25]

Bolt e sua famosa pose de raio após as vitórias.

Em agosto de 2009, disputou o Campeonato Mundial de Atletismo e após vencer a prova dos 200 metros, com novo recorde mundial de 19s19, Bolt disse o que ficará marcado em sua história, o que o consagra como grande atleta, profissional e lendário.

Sempre há limites. Eu não conheço os meus.
 
Usain Bolt.

Em Londres 2012, Bolt conquistou o bicampeonato olímpico dos 100 m, ao vencer a prova quebrando seu próprio recorde olímpico de Pequim com 9s63 [26] e dos 200 m, tornando-se o primeiro atleta na história olímpica bicampeão das duas distâncias em Jogos consecutivos.[27]

Em agosto de 2013, venceu os 100 [28] [29] e os 200 metros [30] no Campeonato Mundial de Atletismo em Moscou e o revezamento 4x100 [31] tornando-se o maior vencedor de mundiais de atletismo da história.[32]

Dois anos depois, em Pequim 2015 tornou-se tricampeão mundial dos 100 metros rasos, no mesmo estádio Ninho do Pássaro onde sete anos havia conquistado três medalhas de ouro olímpicas com três recordes mundiais.[33]

Melhores marcas[editar | editar código-fonte]

2002 Campeonato Mundial de Atletismo Juvenil Kingston, Jamaica Silver medal icon.svg 4 × 100 m 39,15 NJR icon.png
2002 Campeonato Mundial de Atletismo Juvenil Kingston, Jamaica Silver medal icon.svg 4 × 400 m 3:04,06 NJR icon.png
2003 Campeonato Mundial de Atletismo Juvenil Sherbrooke, Canada Gold medal icon.svg 200 m 20,40
2005 Campeonatos de Atletismo da América Central e Caraíbas Nassau, Bahamas Gold medal icon.svg 200 m 20.03
2007 Campeonato do Mundo de Atletismo Osaka, Japão Silver medal icon.svg 200 m 19,91
2007 Campeonato do Mundo de Atletismo Osaka, Japão Silver medal icon.svg 4x100 m 37,89
2008 Reebok Grand Prix Nova Iorque, EUA Gold medal icon.svg 100 m 9,72 World record icon.svg
2008 Jogos Olímpicos de Pequim Pequim, China Gold medal icon.svg 100 m 9,69 OR icon.PNG World record icon.svg
2008 Jogos Olímpicos de Pequim Pequim, China Gold medal icon.svg 200 m 19,30 OR icon.PNG World record icon.svg
2008 Jogos Olímpicos de Pequim Pequim, China Gold medal icon.svg 4x100 m 37,10 OR icon.PNG World record icon.svg
2009 Campeonato do Mundo de Atletismo Berlim, Alemanha Gold medal icon.svg 100m 9,58 World record icon.svg[34]
2009 Campeonato do Mundo de Atletismo Berlim, Alemanha Gold medal icon.svg 200 m 19,19 World record icon.svg[35]
2009 Campeonato do Mundo de Atletismo Berlim, Alemanha Gold medal icon.svg 4x100 m 37,31
2011 Campeonato do Mundo de Atletismo Daegu, Coreia do Sul Gold medal icon.svg 200 m 19,40
2011 Campeonato do Mundo de Atletismo Daegu, Coreia do Sul Gold medal icon.svg 4x100 m 37,04 World record icon.svg
2012 Jogos Olímpicos de Londres Londres, Reino Unido Gold medal icon.svg 100 m 9,63 OR icon.PNG
2012 Jogos Olímpicos de Londres Londres, Reino Unido Gold medal icon.svg 200 m 19,32
2012 Jogos Olímpicos de Londres Londres, Reino Unido Gold medal icon.svg 4x100 m 36,84 OR icon.PNG World record icon.svg
2013 Campeonato do Mundo de Atletismo Moscou, Rússia Gold medal icon.svg 100 m 9,77
2013 Campeonato do Mundo de Atletismo Moscou, Rússia Gold medal icon.svg 200 m 19,66
2013 Campeonato do Mundo de Atletismo Moscou, Rússia Gold medal icon.svg 4x100 m 37,36
2015 Campeonato Mundial de Atletismo Pequim, China Gold medal icon.svg 100 m 9,79

Provas Não Olímpicas[editar | editar código-fonte]

  • 2009 - Recorde Mundial 150m - 14.35s[36] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IAAF Perfil Usain Bolt
  2. Badenhausen, Kurt. How Usain Bolt Earns $20 Million A Year Forbes. Visitado em 26 August 2015.
  3. IOC chief: Usain Bolt, indeed, an icon ESPN. Visitado em 19/01/2014.
  4. Usain Bolt: Unprecedented Double-Double Leaves No Doubt He's Best Sprinter Ever Bleacher Report. Visitado em 19/01/2014.
  5. Usain Bolt is the best of all time says Michael Johnson BBC Sports. Visitado em 19/01/2014.
  6. a b c Usain Bolt IAAF. Visitado em 26 August 2015.
  7. Jamaicans hail sprint king Bolt BBC Sport. Visitado em 26 August 2015.
  8. results - boys under 17 200 meters-dash 30TH CARIFTA GAMES 2001. Visitado em 26 August 2015.
  9. CENTRAL AMERICAN AND CARIBBEAN JUNIOR CHAMPIONSHIPS (UNDER 17) gbrathtletics. Visitado em 26 August 2015.
  10. Usain Bolt biography.com. Visitado em 26 August 2015.
  11. Usain Bolt: Fast and loose The Guardian. Visitado em 26 August 2015.
  12. 3rd IAAF World Youth Championships > 200 Metres - Boys IAAF. Visitado em 26 August 2015.
  13. a b Turnbull, Simon. "Athletics: The boy they call Lightning is frightening", The Independent on Sunday. Página visitada em 25 August 2008.
  14. Olympics: Jamaican speed freak The Guardian. Visitado em 26 August 2015.
  15. progression IAAF. Visitado em 26 August 2015.
  16. Statistics IAAF. Visitado em 26 August 2015.
  17. Liu eclipses Jackson with 110m hurdles record The Guardian. Visitado em 26 August 2015.
  18. 23rd Vardinoyiannia > 100 Metres - men IAAF. Visitado em 26 August 2015.
  19. 100 METRES MEN IAAF. Visitado em 27 August 2015.
  20. BOLT 9.72 IN NEW YORK! – WORLD 100M RECORD – IAAF WORLD ATHLETICS TOUR IAAF. Visitado em 27 August 2015.
  21. a b BOLT RUNS 200M IN 19.67SEC IN ATHENS – IAAF WORLD ATHLETICS TOUR IAAF. Visitado em 27 August 2015.
  22. Usain Bolt and Glen Mills: Long, winding journey to a world record Sports Jamaica. Visitado em 27 August 2015.
  23. O "Super-homem" que rompe os limites do seu próprio tempo, O Jogo, 18 de agosto de 2009.
  24. Bolt smashes 200 meters record to claim gold, CNN Sports, 21 de agosto de 2009.
  25. Bolt ganha os 150 m em rua de Manchester e pulveriza recorde, UOL Esporte, 17 de maio de 2009.
  26. Usain Bolt conquista o ouro e bate o recorde olímpico nos 100m O Globo. Visitado em 05/08/2012.
  27. Raio corta o céu olímpico e Bolt é bi nos 200m rasos O Globo. Visitado em 10/08/2012.
  28. Atleta-Digital (11/08/2013). Usain Bolt recuperou o trono (em português).
  29. Atleta-Digital (11/08/2013). De Bolt ao salto único de Isinbayeva (em português).
  30. Atleta-Digital (17/08/2013). Rússia a tentar fazer história (em português).
  31. Atleta-Digital (18/08/2013). Bolt chegou ao topo da história (em português).
  32. "Usain Bolt vence os 100m no Mundial de Moscou", O Globo, 11 de Agosto de 2013. Página visitada em 15 de Agosto de 2013.
  33. REPORT: MEN’S 100M FINAL – IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS, BEIJING 2015 IAAF. Visitado em 23 August 2015.
  34. Usain Bolt segura o sorriso por 9s58 e pulveriza o recorde mundial dos 100m Globo Esporte (16 de agosto de 2009). Visitado em 22-08-2009.
  35. Bolt supera expectativa, bate recorde mundial dos 200 m e faz história UOL Esporte (20 de agosto de 2009). Visitado em 20-08-2009.
  36. globoesporte.globo.com/ Usain Bolt volta ao Brasil em março para correr na praia de Copacabana

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Usain Bolt
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Usain Bolt