Yohan Blake

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yohan Blake
campeão olímpico
Atletismo
Modalidade 100 m, 200 m
Nascimento 26 de dezembro de 1989 (26 anos)
Saint James, Jamaica
Nacionalidade Jamaica jamaicano
Compleição Peso: 78 kg Altura: 1,80 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Londres 2012 4x100 m
Ouro Rio 2016 4x100 m
Prata Londres 2012 100 m
Prata Londres 2012 200 m
Campeonatos Mundiais
Ouro Daegu 2011 100 m
Ouro Daegu 2011 4x100 m
Campeonato Mundial Júnior
Ouro Pequim 2006 4x100 m
Prata Bydgoszcz 2008 4x100 m
Bronze Pequim 2006 100 m

Yohan Blake (nascido em 26 de Dezembro de 1989), é um velocista jamaicano dos 100 metros e 200 metros de corridas de curta distância. Ele ganhou o ouro no 100 m no Campeonato Mundial de 2011 como o mais novo 100 m campeão mundial de sempre, e uma medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres nos 100 m e 200 m corridas para a equipe jamaicana. Ele é conhecido pelo apelido de "The Beast".

Blake é o segundo homem mais rápido de em ambos os 100 m e 200 m. Ele está empatado com Tyson Gay a 100m, com um recorde pessoal de 9,69 segundos como o segundo mais rápido depois Usain Bolt.

Ele é treinado por Glen Mills e seus parceiros de treino são Usain Bolt e Daniel Bailey. [7]

Início[editar | editar código-fonte]

Ex-praticante de críquete que passou para o atletismo, por insistência do técnico impressionado com sua velocidade,[1] em 2007 ele quebrou o recorde jamaicano júnior para os 100 m rasos, com a marca de 10s11, no CARIFTA Games, em Turks e Caicos, no Caribe, onde também integrou a equipe do revezamento 4x100 m jamaicano que conquistou a medalha de ouro no evento.[2]

Em julho de 2009, aos 19 anos, quebrou a barreira dos 10s na prova, marcando 9,96s no Golden Gala, em Roma, chegando atrás apenas de Asafa Powell e Tyson Gay. Uma semana depois, abaixou novamente seu tempo pessoal para 9,93s no Meeting Areva, em Paris, em prova vencida por Usain Bolt.[3]

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Blake participou St. Jago High School, em Spanish Town, onde seu primeiro amor desportivo foi cricket. Blake era um jogador rápido, e só depois o diretor da escola viu a rapidez com que ele correu para o postigo que ele foi instado a tentar corrida. [8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começo[editar | editar código-fonte]

Blake estabeleceu o melhor tempo por um velocista jamaicano júnior mais de 100 m, com 10.11 segundos. [9] O recorde foi estabelecido nos Jogos CARIFTA 2007, realizada nas ilhas Turks e Caicos, onde ele também levou sua equipe ao ouro no revezamento 4 × 100 metros. [10] Nessa ocasião, ele foi premiado com o Austin Sealy Trophy para o atleta de maior destaque dos Jogos CARIFTA 2007. [11] [12] [13]

Em 2008, quando Usain Bolt foi perguntado em uma entrevista se havia alguma velocistas que poderiam desafiá-lo, Bolt nomeou seu parceiro de treino Blake, dizendo "Cuidado com Yohan Blake. Ele trabalha como um animal. Ele está lá comigo passo a passo na formação . Ficou conhecido como " The Beast".

Blake ganhou a 100 metros de corrida "B" em 2009 no Reebok Grand Prix. [15] Suas façanhas na Gala de Ouro em julho representou uma melhora significativa. Ele provou ser um sério concorrente no nível sênior: ele ficou em terceiro lugar, atrás de Tyson Gay e Asafa Powell e melhorou o seu recorde pessoal com a quebra da barreira dos 10 segundos fazendo 9,96 segundos, [16] tornando-se o atleta mais jovem a fazê-lo. [17] Ele melhorou para 9,93 segundos, pouco depois, em terceiro lugar, atrás de parceiros de treino de Bolt e Daniel Bailey na reunião Areva. [18]

Doping[editar | editar código-fonte]

Pouco antes do Campeonato Mundial de Atletismo de 2009, em Berlim, Blake e mais quatro atletas jamaicanos testaram positivo para o estimulante dimetilamilamina.[4] Um comitê disciplinar da Comissão Anti-Doping da Jamaica inocentou os atletas de cometerem alguma infração, já que a droga não consta da lista de substâncias proibidas pela WADA, a Agência Mundial Anti-Doping. Entretanto, a comissão apelou do veredito de seu próprio comitê disciplinar afirmando que os atletas deveriam ser penalizados já que a droga é muito similar em estrutura à substância banida tuamine.[5] Como o Comitê deixou para resolver sobre a apelação após o Mundial, a Federação de Atletismo Amador da Jamaica tomou a precaução de retirar Blake da prova para a qual estava incrito, o revezamento. Após o torneio, o tribunal de apelação decidiu que uma suspensão seria mais apropriada e Blake e os demais foram suspensos das competições por três meses.[6]

Daegu 2011 e Londres 2012[editar | editar código-fonte]

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2011, em Daegu, na Coreia do Sul, Blake ganhou a prova dos 100 m, com a marca de 9s92, depois do grande favorito Usain Bolt ser desqualificado por ter feito uma largada falsa.[7] Com 21 anos e 245 dias de idade, ele tornou-se também o mais jovem campeão mundial dos 100 m, substituindo o norte-americano Carl Lewis, que venceu a mesma prova na edição inaugural do Mundial, em Helsinque 1983, quando tinha 22 anos e 38 dias de idade.[8] Dias depois, junto com Bolt, Nesta Carter e Michael Frater, ganhou mais uma medalha de ouro no revezamento que quebrou o recorde mundial da prova - 37s04 - neste evento.[9]

Em setembro do mesmo ano, na edição de Zurique da Diamond League, ele derrotou Asafa Powell pela primeira vez, vencendo os 100 m em 9s82, sua melhor marca pessoal até então. Na semana seguinte, no meeting final da Liga em Bruxelas, venceu os 200 m rasos em 19s26, a segunda melhor marca de todos os tempos para a distância, atrás apenas do recorde mundial de Bolt e mais de meio segundo mais rápido que seu melhor tempo anterior, 19s75, de 2010.[10]

Blake começou a temporada de 2012 de maneira avassaladora, fazendo a primeira marca abaixo dos 10s para os 100 m no UTech Classic, em Kingston, na Jamaica - 9s90.[11] No torneio qualificatório para os Jogos Olímpicos, ele derrotou Usain Bolt nos 100 m rasos, com a marca de 9,75s, o que fez dele o quarto homem mais rápido da história da prova. Além dos 100 m, ele também derrotou Bolt nos 200 m, com o tempo de 19s80.[12]

Londres 2012 foram os primeiros Jogos Olímpicos de que Blake participou. Ele chegou a Londres com a fama de ser o mais sério desafiante à supremacia de Bolt nas duas provas de velocidade. Nas finais de ambas, entretanto, Usain Bolt manteve sua coroa e ele teve que se contentar com a medalha de prata nas duas provas, marcando 9s75 para os 100 m - igualando sua melhor marca - e 19s44 para os 200 rasos.[13] Ele veio a tornar-se campeão olímpico integrando o revezamento 4x100 junto com Bolt, Frater e Carter, que quebrou mais uma vez o recorde mundial da prova - 36s84 - no último dia dos Jogos.[14]

2013[editar | editar código-fonte]

Blake sofreu uma lesão muscular em abril de 2013. Depois de correr 20,72 segundos sobre 200m nas Nationals Jamaica em 8 de junho, deixando assim de se qualificar para o evento 200m nos 2013 campeonatos mundiais em Moscou, Blake ganhou o evento dos 100m do Campeonato Mundial, para o qual ele tinha uma entrada automática como o campeão do mundo.

2014[editar | editar código-fonte]

Blake tentou competir novamente em 2014, mas ficou colocado em sexto na 200 m no evento Lausanne Diamond League, com um tempo de 20,48 segundos. Em seguida, ele sofreu outra lesão no tendão e caiu na marca de 40 metros durante o Glasgow Diamond League na marca dos 100 m de corrida, pouco depois, terminando sua temporada.

2015[editar | editar código-fonte]

Blake decidiu que estava pronto para correr novamente em 2015 após se recuperar de lesões em 2013 e 2014. Ele não conseguiu avançar da Jamaica ao ar livre do campeonato nacional semi-final nos 100 metros, ficando em nono com um tempo de 10,36 segundos, com o top 8 avançando para as finais. Ele não participou nos 200 m ensaios depois disso. [34]

2016[editar | editar código-fonte]

Blake terminou em quarto lugar nos 100 m nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro com um tempo de 9,93 s. Ele não conseguiu chegar à final do 200m, terminando em sexto na sua semi-final. No entanto, Blake ganhou seu segundo ouro olímpico da carreira no 4 x 100 m revezamento.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Bolt faces enemy from within». Sydney Morning Herald. Consultado em 16/08/2012. 
  2. Finisterre, Terry 10.11 sec Jamaican junior record run by Blake at CARIFTA Games – Day One IAAF, 8 April 2007; Retrieved 14 February 2009
  3. «Bolt beats rain again, 9.79sec into slight head wind in Paris - REPORT - ÅF Golden League». IAAF. Consultado em 16/08/2012. 
  4. «Row in Jamaica over athletes cleared of doping». Insidethegames. Consultado em 16/08/2012. 
  5. «IAAF waits on Jamaica drug ruling». BBC Sport. Consultado em 16/08/2012. 
  6. «Jamaicans given three-month ban». BBC Sport. Consultado em 16/08/2012. 
  7. «Bolt sensationally disqualified as Blake wins 100m». CNN. Consultado em 16/08/2012. 
  8. «With Blake, cricket's loss is track and field's gain». IAAF. Consultado em 16/08/2012. 
  9. «Daegu 2011: Jamaica Shatters Relay Record as USA Fall». ThisDayLive. Consultado em 16/08/2012. 
  10. «Diamond League: Yohan Blake and Usain Bolt star in Brussels». BBC. Consultado em 16/08/2012. 
  11. «Bolt opens with relay leg; Blake dashes 9.90 in Kingston». IAAF. Consultado em 16/08/2012. 
  12. «More upsets in Kingston - Blake defeats Bolt at 200m, Fraser-Pryce a double winner - Jamaican Olympic Trials, Day 4». IAAF. Consultado em 16/08/2012. 
  13. «Bolt Sprints Into Olympic Record Books With a Regal Wave». BLOOMBERG L.P. Consultado em 16/08/2012. 
  14. «Men's 4 x 100m Relay». london2012.com. Consultado em 16/08/2012.