100 metros rasos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
100 metros rasos
Largada da prova
Olímpico desde 1896 H / 1928 S
Desporto Atletismo
Praticado por Ambos os sexos
Campeões Olímpicos
Tóquio 2020
Homens Marcell Jacobs
 Itália
Mulheres Elaine Thompson
 Jamaica
Campeões Mundiais
Doha 2019
Homens Christian Coleman
 Estados Unidos
Mulheres Shelly-Ann Fraser-Pryce
 Jamaica

100 metros rasos ou 100 metros é uma modalidade olímpica de corrida de velocidade no atletismo. A mais curta das distâncias disputadas em eventos ao ar livre, é também uma das mais populares modalidades do esporte. Dura por volta de 10 segundos no masculino e 11 segundos no feminino e os respectivos vencedores são geralmente apelidados de homem / mulher mais rápido do mundo.[1]

Disputada numa pista de atletismo padrão de 400 m, ela ocupa uma reta inteira da pista, com uma extensão fora da curva para alcançar a distância exata. Os atletas largam de blocos firmados no chão ao som de um sinal de partida e correm dentro de raias demarcadas na pista. A velocidade máxima dos atletas é geralmente alcançada entre os 50/60 m da distância total.[2]

Os 100 metros rasos foram introduzidos no programa olímpico desde os primeiros Jogos em Atenas 1896 para homens e desde Amsterdã 1928 para mulheres. Os primeiros campeões olímpicos foram, respectivamente, Tom Burke e Betty Robinson, dos Estados Unidos.[3][4]

O recorde mundial pertence a Usain Bolt, da Jamaica, obtido durante o Campeonato Mundial de Atletismo de 2009 em Berlim, na Alemanha, com a marca de 9s58.[5] O recorde feminino é de 10s49 da norte-americana Florence Griffith Joyner, em Indianápolis, Estados Unidos, em julho de 1988.[6] O italiano Marcell Jacobs e Elaine Thompson, da Jamaica, são os atuais campeões olímpicos e o norte-americano Christian Coleman e a jamaicana Shelly-Ann Fraser-Pryce são os atuais campeões mundiais.

História[editar | editar código-fonte]

Na Antiguidade, o estádio de Olímpia, o "stadion", tinha uma pista de 192 metros, onde era disputada uma corrida em volta dela. Nos tempos modernos, os ingleses, os primeiros a modernizarem o atletismo, adotaram uma distância padrão de 110 jardas (100,58 m), de acordo com seu sistema de medidas, para esta corrida, mas a distância métrica de 100 m tem sido disputada desde os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna.[2]

Nos tempos modernos não existe um registro preciso de quando esta prova começou a ser disputada; ainda assim existe um tempo de 11.0, atribuído ao inglês William McLaren, registrado em 27 de julho de 1867. Quando da fundação da Federação Internacional de Atletismo – IAAF em 1912, foi considerado como recorde inicial o tempo de 10.8, obtido por Ralph Craig em Estocolmo 1912 em 6 de julho de 1912, na final da V Olimpíada.[7]

Uma marca inferior a 10 segundos para a distância sempre foi perseguida desde o início de sua disputa. O primeiro homem a correr a distância oficialmente em tempo inferior por cronometragem eletrônica foi o norte-americano Jim Hines, que o fez na altitude da Cidade do México na final da prova nos Jogos Olímpicos da Cidade do México 1968, em 9.95.[8] Antes disso, por cronometragem manual e não-oficial atualmente, Hines, Ronnie Ray Smith e Charles Greene marcaram 9.9 numa prova meses antes dos Jogos do México, na chamada "Noite da Velocidade", em Sacramento, Califórnia.[9]

Regras[editar | editar código-fonte]

Os atletas largam de blocos firmados no chão ao som de um sinal de partida e correm dentro de raias demarcadas na pista. As solas têm pregos de comprimento máximo fixado em 8,4 milímetros, e a espessura da sola não pode ultrapassar treze milímetros. O vencedor é determinado pelo primeiro a cruzar o torso na linha de chegada; pernas e braços são desconsiderados. Quando a avaliação do vencedor não é possível ao olho humano, é usado um sistema de photo finish para determinar o campeão.[10]

Provas disputadas com uma velocidade de vento favorável maior que 2 m/s não são aceitáveis para a homologação de recordes. Sensores colocados no bloco de largada marcam o tempo de reação dos atletas ao sinal de largada; um tempo de reação inferior a 0.1s é considerado como largada falsa, os velocistas são chamados de volta à largada, e o responsável desclassificado. Um atleta também pode ser desclassificado caso pise fora da linha que delimita sua raia de corrida.[2]

Recordes[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[11][12]

Homens
Recorde Tempo Atleta País Data Local
Recorde mundial 9.58 Usain Bolt Jamaica 16 agosto 2009 Berlim
Recorde olímpico 9.63 Usain Bolt Jamaica 5 agosto 2012 Londres 2012
Mulheres
Recorde Tempo Atleta País Data Local
Recorde mundial 10.49 Florence Griffith-Joyner Estados Unidos 16 julho 1988 Indianápolis
Recorde olímpico 10.61 Elaine Thompson Jamaica 31 julho 2021 Tóquio 2020

Melhores marcas mundiais[editar | editar código-fonte]

As marcas abaixo são de acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[13][14]

Homens[editar | editar código-fonte]

Posição Tempo Atleta País Data Local
1 9.58 Usain Bolt Jamaica 16 agosto 2009 Berlim
2 9.63 Usain Bolt Jamaica 5 agosto 2012 Londres
3 9.69 Usain Bolt Jamaica 16 agosto 2008 Pequim
9.69 Tyson Gay Estados Unidos 20 setembro 2009 Xangai
9.69 Yohan Blake Jamaica 23 agosto 2012 Lausanne
6 9.71 Tyson Gay Estados Unidos 16 agosto 2009 Berlim
7 9.72 Usain Bolt Jamaica 31 maio 2008 Nova York
9.72 Asafa Powell Jamaica 2 setembro 2008 Lausanne
9 9.74 Asafa Powell Jamaica 9 setembro 2007 Rieti
9.74 Justin Gatlin Estados Unidos 15 maio 2015 Doha

Mulheres[editar | editar código-fonte]

Posição Tempo Atleta País Data Local
1 10.49 Florence Griffith-Joyner Estados Unidos 16 julho 1988 Indianápolis
2 10.54 Elaine Thompson Jamaica 21 agosto 2021 Eugene
3 10.60 Shelly-Ann Fraser-Pryce Jamaica 26 agosto 2021 Lausanne
4 10.61 Florence Griffith-Joyner Estados Unidos 17 julho 1988 Indianápolis
10.61 Elaine Thompson Jamaica 31 julho 2021 Tóquio
6 10.62 Florence Griffith-Joyner Estados Unidos 24 setembro 1988 Seul
7 10.63 Shelly-Ann Fraser-Pryce Jamaica 5 junho 2021 Kingston
8 10.64 Carmelita Jeter Estados Unidos 20 setembro 2009 Xangai
10.64 Elaine Thompson Jamaica 26 agosto 2021 Lausanne
10 10.65 Marion Jones Estados Unidos 12 setembro 1998 Joanesburgo
10.65 Elaine Thompson Jamaica 9 setembro 2021 Zurique

Melhores marcas olímpicas[editar | editar código-fonte]

As marcas abaixo são de acordo com o Comitê Olímpico Internacional – COI.[15]

Homens[editar | editar código-fonte]

Posição Tempo Atleta País Medalha Local
1 9.63 Usain Bolt Jamaica ouro Londres 2012
2 9.69 Usain Bolt Jamaica ouro Pequim 2008
3 9.75 Yohan Blake Jamaica prata Londres 2012
4 9.79 Justin Gatlin Estados Unidos bronze Londres 2012
5 9.80 Marcell Jacobs Itália ouro Tóquio 2020
6 9.81 Usain Bolt Jamaica ouro Rio 2016
7 9.82 Justin Gatlin Estados Unidos Londres 2012
8 9.83 Bingtian Su China Tóquio 2020
9.83 Ronnie Baker Estados Unidos Tóquio 2020
10 9.84 Donovan Bailey Canadá ouro Atlanta 1996
9.84 Fred Kerley Estados Unidos prata Tóquio 2020
9.84 Marcell Jacobs Itália Tóquio 2020

* Os tempos de Justin Gatlin (9.82), Bingtian Su (9.83), Ronnie Baker (9.83) e Marcell Jacobs (9.84), não indicados por medalhas, foram feitos nas semifinais de Londres 2012 e Tóquio 2020.

Mulheres[editar | editar código-fonte]

Posição Tempo Atleta País Medalha Local
1 10.61 Elaine Thompson Jamaica ouro Tóquio 2020
2 10.62 Florence Griffith-Joyner Estados Unidos Seul 1988
3 10.71 Elaine Thompson Jamaica ouro Rio 2016
4 10.73 Shelly-Ann Fraser-Pryce Jamaica Tóquio 2020
5 10.74 Shelly-Ann Fraser-Pryce Jamaica prata Tóquio 2020
6 10.75 Shelly-Ann Fraser-Pryce Jamaica ouro Londres 2012
7 10.76 Shericka Jackson Jamaica bronze Tóquio 2020
10.76 Elaine Thompson Jamaica Tóquio 2020
9 10.78 Shelly-Ann Fraser Jamaica ouro Pequim 2008
10.78 Carmelita Jeter Estados Unidos prata Londres 2012
10.78 Marie-Josée Ta Lou Costa do Marfim Tóquio 2020
  • Em Seul 1988, Flo-Jo correu a final dos 100 m em 10.54.[16] Esta marca, porém, não é considerada oficialmente por ter sido feita com vento a favor superior ao permitido pelas regras da IAAF (2 m/s), que são seguidas pelo COI. O mesmo ocorreu com a marca dela nas semifinais, 10.70.[17] A marca válida de Flo-Jo, 10:62, não indicada com medalha, foi conseguida nas quartas-de-final.[18] As marcas de Shelly-Ann Fraser-Pryce (10.73), Elaine Thompson (10.76) e Marie-Josée Ta Lou (10.78) em Tóquio 2020, não indicadas com medalhas, foram conseguidas nas eliminatórias e semifinais.[19]

Marcas da lusofonia[editar | editar código-fonte]

País Masculino Atleta Ano Local Feminino Atleta Ano Local
Portugal 9.86 Francis Obikwelu 2004 Atenas 11.21 Dorcas Bazolo 2016 Salamanca [20]
Brasil 10.00 Robson Caetano 1988 Cidade do México 10.91 Rosângela Santos 2017 Londres [21]
Guiné-Bissau 10.36 Holder da Silva
Arcuiam Lopes
2009
2013
Salamanca e Lisboa
Salamanca
12.54 Sténia Betuncal 2010 Lisboa [22]:605, 715
Angola 10.49 Afonso Ferraz 1992 Maia 11,69 Antónia de Jesus 2005 Porto [23]
São Tomé e Príncipe 10.61 Yazaldes Nascimento 2007 Leiria 11.61 Severina Cravid 1998 Lisboa [24]:582,716
Moçambique 10.71 Kurt Couto 2007 Windhoek 11.61 Elisa Cossa 2000 Girona [25]:582,716
Cabo Verde 10.75 Denielsan Martins 2014 Bambolim 12.38 Lidiane Gomes 2016 Rio de Janeiro [26]:581,715

Referências

  1. Romanelli, Amanda. «O homem mais rápido do mundo, Usain Bolt mostra ser um ser sem limites». OESP. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  2. a b c «100 metres». IAAF. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  3. Malon, Bill. «THE ¡896 OLYMPIC GAMES Results for All Competitors in All Events» (PDF). library.la84.org. Consultado em 31 de agosto de 2015. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  4. «official report» (PDF). library.la84.org/. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  5. «All time best». IAAF. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  6. «All time best W». IAAF. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  7. «Histórico das Provas - Masculino». CBat. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  8. «Jim Hines». Sportsreference. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  9. «Olympics - The Night of Speed». SportsMemorablia. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  10. Sandre-Tom <!-i- BOT GENERATED AUTHOR -->. «IAAF Competition Rules 2009, Rule 164» (PDF). IAAF. Consultado em 23 de agosto de 2009. Arquivado do original (PDF) em 3 de setembro de 2009 
  11. «SPRINTS - 100 METRES M». IAAF. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  12. «SPRINTS - 100 METRES W». IAAF. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  13. «All time best M». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2015 
  14. «All time best». IAAF. Consultado em 29 de agosto de 2015 
  15. «48 PAST OLYMPIC GAMES». OIC. Consultado em 24 de abril de 2013 
  16. «official report Games of XXIV Olympad Seoul 1988 pg.161» (PDF). library.la84.org/. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  17. «All-time women's best 100m / wind-assisted». alltime-athletics.com. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  18. «All-time women's best 100m». alltime-athletics.com. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  19. «100 METRES WOMEN». World Athletics. Consultado em 31 de julho de 2021 
  20. «Recordes de Portugal». Federação Portuguesa de Atletismo. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  21. «Recordes». CBat. Consultado em 11 de agosto de 2017. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  22. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  23. «estatisticas». FAA. Consultado em 1 de setembro de 2015 
  24. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  25. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  26. «IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 2 de agosto de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]