Estádio José Américo de Almeida Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Estádio Almeidão
Estádio José Américo de Almeida Filho

Sisbrace: [1]

Almeidão em 2014.

Nome Estádio José Américo de Almeida Filho
Características
Local João Pessoa, Paraíba, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 25.770 espectadores [2]
19.000 espectadores[2]
Inauguração
Data 9 de março de 1975
Partida inaugural Botafogo-PB 0 x 2 Botafogo-RJ
Primeiro gol Tiquinho (Botafogo-RJ)
Recordes
Público recorde 44.268 pessoas
Data recorde 15 de novembro de 1998
Partida com mais público Botafogo-PB 2 x 0 Campinense
Outras informações
Proprietário Governo do Estado da Paraíba
Administrador Sejel

O Estádio José Américo de Almeida Filho, ou simplesmente Almeidão, é um estádio de futebol localizado em João Pessoa, na Paraíba.

História[editar | editar código-fonte]

Feito em 14 meses, Almeidão teve a sua partida inaugural no dia 9 de março de 1975, no jogo entre Botafogo Futebol Clube, de João Pessoa, contra o seu xará do Rio de Janeiro, Botafogo de Futebol e Regatas. O Botafogo carioca venceu por 2 a 0, sendo o primeiro gol marcado por Tiquinho, aos 30 segundos do primeiro tempo. Durante o evento, soltaram uma bomba em uma parte da arquibancada, com o público indo em direção às grades. Apesar do tumulto, não houve vítimas fatais e a partida recomeçou quando estabilizou-se a situação.[3]

Em comemoração ao novo estádio, em 1975 e 1976 foi realizado o Torneio José Américo de Almeida Filho.

O recorde de público aconteceu em 15 de novembro de 1998, entre Botafogo e Campinense, pela final do Campeonato Paraibano. Naquele dia, compareceram 44.268 torcedores, número bem próximo da capacidade total que o estádio poderia receber, 45 mil na época, que viram o Botafogo vencer por 2 a 0 e se tornar campeão.[3][4][5]

Em 2000 e 2001, junto com o Estádio Rei Pelé (Maceió-AL), sediou a Copa dos Campeões, competição nacional organizada pela CBF, sendo palco do primeiro jogo da final de 2001 (Flamengo 5 a 3 São Paulo).[6]

O estádio passou por sua primeira grande reforma entre os anos de 2013 e 2014. Além do novo gramado com padrão FIFA, a estrutura foi toda recuperada, incluindo banheiros, vestiários, cabines de imprensa, bares, marquise, revestimento das arquibancadas, reimplantação das cadeiras. Na área externa foram construídas duas quadras poliesportivas, uma pista de skate, quatro quiosques, uma calçada para caminhada contornando todo o estádio e amplo estacionamento pavimentado e iluminado. A reforma custou cerca de R$ 35 milhões. A reinauguração do Almeidão aconteceu em 3 de julho de 2014, em partida amistosa entre Botafogo e América de Natal (vitória potiguar por 1 a 0).[7][8][9]

Em 14 de janeiro de 2021, o governador da Paraíba João Azevêdo publicou um decreto de concessão do estádio à iniciativa privada.[10]

Nome[editar | editar código-fonte]

O nome homenageia José Américo de Almeida Filho, ex-jogador e ex-presidente do Botafogo, falecido por acidente de carro em 1973.[nota 1][12][14][15][16] O nome de fundação era Estádio Ministro Ernâny Sátyro (Satirão) — político que emprestou seu nome também em Campina Grande, no título oficial do Estádio Amigão, mas referenciado como governador, cargo que então ocupava —, mudando ainda em 1975, por decreto do governador Ivan Bichara.[12][17][18] Ambas obras foram feitas conjuntamente e os projetos originais eram praticamente idênticos, com uma leve diferença: arcos da fachada (retirados depois da mesma reforma nos dois) para cima no Almeidão e para baixo no Amigão.[18]

Amistoso da Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Filho do ex-governador José Américo de Almeida (1887 — 1980), jogador (meia-atacante) do Belo na década de 1930, presente no primeiro Botauto oficial (1 a 1; estádio do EC Cabo Branco), em 1938, e presidente do clube na década de 1950, quando organizou o seu primeiro jogo internacional, contra o Vélez Sarsfield-ARG (derrota por 3 a 2; Estádio da Graça), em 1951.[11][12][13]

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. a b «CNEF - Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (Rev. 6)» (PDF). CBF. 18 de janeiro de 2016. Consultado em 2 de junho de 2016 
  3. a b Wanderley, Hévilla (9 de março de 2015). «Almeidão em cinco atos: os 40 anos do maior estádio de João Pessoa». globoesporte.com 
  4. «Botafogo da Paraíba completa 80 anos nesta quarta». wscom.com.br. Consultado em 21 de novembro de 2016 
  5. Sérgio, Wellington (8 de março de 2015). «Almeidão e Amigão — Quatro décadas de muito futebol» (PDF). João Pessoa. A União. CXX1 (030): 21–22. Consultado em 21 de novembro de 2016 
  6. «Reinaldo recorda final da Copa dos Campeões de 2001, entre Flamengo e São Paulo, em João Pessoa». ge. Consultado em 28 de fevereiro de 2023 
  7. «Estádio Almeidão passa por primeira grande reforma desde a inauguração». Governo da Paraíba 
  8. «Governo reinaugura Almeidão com jogo entre Botafogo e América-RN». Governo da Paraíba 
  9. «América-RN vence o Botafogo-PB na reinauguração do Estádio Almeidão». globoesporte.com 
  10. «Projeto do Governo prevê reforma no Almeidão e no Amigão, mas a pandemia deve ser um entrave». ge. Consultado em 7 de novembro de 2022 
  11. SOARES, Raniery. A rivalidade entre Brasil e Argentina no imaginário do futebol da Paraíba de 1950. Ludopédio, São Paulo, v. 138, n. 33, 2020. Disponível em: https://ludopedio.org.br/arquibancada/a-rivalidade-entre-brasil-e-argentina-no-imaginario-do-futebol-da-paraiba-de-1950/.
  12. a b c SANTOS, João Manuel Casquinha Malaia; FORTES, Rafael. ‘Brasil-grande, estádios gigantescos’: toponímia dos estádios públicos da ditadura civil-militar brasileira e os discursos de reconciliação, 1964-1985. Tempo. Niterói, v. 27, n. 1, p. 166-183, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tem/a/dxyZ4FpZVhkw6KB6sb7K4Tn/.
  13. «Jornalista resgata primeiros amistosos internacionais de Treze e Botafogo-PB - Portal Correio». portalcorreio.com.br. Consultado em 9 de outubro de 2022 
  14. Caldas, Phelipe. «Gafe na reinauguração do Almeidão | Blog Carrinho por Trás». globoesporte.com. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  15. «Botafogo da Paraíba». Museu do Futebol. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  16. Alves, Pedro. «Botafogo-PB lança camisa retrô da década de 1950 e homenageia ex-diretor que dá nome ao Almeidão». Globo Esporte. Consultado em 4 de agosto de 2022 
  17. «IBGE | Biblioteca | Detalhes | Estádio José Américo de Almeida Filho : João Pessoa, PB». biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  18. a b Caldas, Phelipe; Batista, Silas; Wanderley, Hévilla. «40 anos de Amigão e Almeidão: veja curiosidades que cercaram as obras». globoesporte.com. Consultado em 14 de janeiro de 2022 
  19. Francisco Ângelo Brinati (2015). «Maracanazo e Mineiratzen Imprensa e Representação da Selecao Brasileira nas Copas do Mundo de 1950 e 2014» (PDF). Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Consultado em 1 de Março de 2021 
  20. «brasil 0 x 0 iugoslavia». futebol da selecao brasileira. 14 de Novembro de 1989. Consultado em 1 de Março de 2021 
  21. Redação (1989). «A Próxima Experiência». Placar. Consultado em 1 de Março de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.