Tiquinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tiquinho
Informações pessoais
Nome completo Onofre Aluísio Batista
Data de nasc. 7 de janeiro de 1956
Local de nasc. Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 15 de junho de 2009 (53 anos)
Local da morte Maracanaú (CE),  Brasil
Apelido O Herói do Tetra[1][2]
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes de juventude
1974–1975 Brasil Botafogo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1975–1976
1976
1977
1978–1980
1980
1980
1981
1982
1982–1984
1985
1985
Brasil Botafogo
Brasil Treze
Brasil Botafogo
Brasil Ceará
Brasil Botafogo
Brasil Remo
Brasil Fortaleza
Brasil Ceará
Brasil Rio Negro
Brasil Marília
Brasil Nacional-AM
00002 000(3)
00010 000(0)
00004 000(0)
00045 000(9)


00009 000(1)
00009 000(0)
00013 000(2)

00004 000(1)
Seleção nacional
1975–1976 Brasil Brasil (Sub-23) 00004 000(1)
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Ouro México 1975 Futebol

Onofre Aluísio Batista, mais conhecido como Tiquinho (Rio de Janeiro, 7 de janeiro de 1956- Maracanaú,15 de junho de 2009), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tiquinho iniciou sua carreira profissional no Botafogo do Rio de Janeiro em 1975. Ele estreou no Campeonato Brasileiro pelo Botafogo no dia 29 de novembro de 1975, na vitória por 2 a 1 sobre o Guarani de Campinas. Foi uma estreia de sucesso, pois Tiquinho marcou um dos gols da vitória.[3] No seu segundo jogo Tiquinho foi ainda mais bem sucedido, quando que ele marcou dois gols contra o Nacional-AM. Apesar do início bem sucedido no Botafogo, Tiquinho logo foi para o Treze de Campina Grande. Em 1977 ele retornou ao Botafogo, mas depois de jogar quatro partidas foi vendido para o Ceará, de Fortaleza. No Ceará ganhou o Campeonato Estadual de 1978. Em 1980 ele retornou ao Botafogo, em seguida, apareceu brevemente no Remo de Belém, Fortaleza e no Ceará novamente. De 1982 a 1984, ele atuou no Rio Negro de Manaus. No Rio Negro venceu o Campeonato Amazonense de 1982.

Ele encerrou sua carreira no Nacional-AM, em 1985. Tiquinho fez sua última partida pelo Campeonato Brasileiro no dia 21 de abril de 1985, quando o Nacional venceu o Botafogo-PB por 2 a 1. Seu adeus foi um sucesso, pois Tiquinho marcou um dos gols.[4] Entre os anos de 1975 e 1985, ele atuou no campeonato nacional em 96 partidas, marcando 16 gols ao todo.

Seleção[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 1975 e 1976, Tiquinho defendeu a seleção de novos do Brasil. No total foram quatro jogos e 1 gol marcado, que aconteceu no dia 14 de outubro de 1975, quando o Brasil bateu a Costa Rica por 3 a 1 em partida válida pelo Pan-americano do México. Ao final do torneio, o Brasil conquistou a medalha de ouro.[5]

Morte[editar | editar código-fonte]

No dia 15 de junho de 2009 Tiquinho foi encontrado morto em sua casa em Maracanaú, Ceará. Aos 50 anos de idade ele faleceu em decorrência de doenças causadas pelo consumo em excessivo de bebidas alcoólicas.[5][1][2]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ceará
Nacional-AM
Brasil

Referências

  1. a b «Morre Tiquinho, o herói do tetra alvinegro». Tribuna do Ceará. 15 de junho de 2009. Consultado em 14 de julho de 2014 
  2. a b «Morre Tiquinho, ídolo do tetra alvinegro de 78». OEstado. 15 de Junho de 2009. Consultado em 15 de julho de 2014 
  3. «Campeonato Brasileiro 1975, Terceira fase (Grupo A) - 6ª rodada - Botafogo 2x1 Guarani». Futpédia. 29 de novembro de 1975. Consultado em 14 de julho de 2014 
  4. «Campeonato Brasileiro 1985, Segundo turno (Grupo C) - 11ª rodada - Botafogo-PB 1x2 Nacional-AM». Futpédia. 21 de abril de 1985. Consultado em 14 de julho de 2014 
  5. a b «Tiquinho». Terceiro Tempo. Consultado em 14 de julho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.