Estádio Primeiro de Maio (São Bernardo do Campo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o Estádio Primeiro de Maio em São Bernardo do Campo. Para outros estádios com este nome, veja Estádio Primeiro de Maio (desambiguação).
Vila Euclides
Estádio Primeiro de Maio

Nomes
Nome Estádio Municipal Primeiro de Maio
Apelido Primeirão, Vila Euclides
Antigos nomes Estádio Distrital da Vila Euclides

Estádio Arthur da Costa e Silva

Características
Local São Bernardo do Campo, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 15.159 pessoas (12 578 liberados em dias de jogos)[1]
Construção
Data 30 de novembro de 1967 a 1968
Inauguração
Data 20 de agosto de 1968
Partida inaugural EC São Bernardo 0 x 2 Santos
Recordes
Público recorde 16.000 pessoas
Data recorde 30 de janeiro de 2011
Partida com mais público São Bernardo FC 2 x 2 Corinthians
Outras informações
Remodelado 2010-2011
Expandido 2010 a 2011
Competições São Paulo Campeonato Paulista
São Paulo Copa Paulista
Proprietário Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo
Administrador Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo
Mandante São Bernardo FC

EC São Bernardo

O Estádio Municipal Primeiro de Maio está localizado no município de São Bernardo do Campo, na região do ABC, no Estado de São Paulo, próximo à região central da cidade. Atualmente é a casa do São Bernardo FC e do EC São Bernardo. Também foi casa do atualmente licenciado Palestra de São Bernardo. Tem capacidade para originalmente receber 16.000 pessoas mas por condições de segurança só é permitida a entrada de 12.578 Pessoas [2]

Este estádio ficou conhecido nacionalmente pelas greves dos trabalhadores que reivindicaram melhores salários na década de 80, com a presença do ex-sindicalista e ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

História[editar | editar código-fonte]

Idealizado e construído originalmente pela Fiação e Tecelagem Elni (que funcionava nos edifícios atualmente ocupados pelo Poupatempo), foi inaugurado nos anos 50 apenas como campo de futebol e pista de atletismo para uso dos funcionários da mesma empresa. Com a falência da tecelagem, a Prefeitura de São Bernardo do Campo assume todo o espaço, transformando-o, já em 1964, em "Estádio Distrital de Vila Euclides".

Em 1968, são concluídas as obras das primeiras arquibancadas que o estádio possuiu, além de seu sistema de iluminação. Ainda com dimensões modestas, em 1968 é inaugurado o Estádio Arthur da Costa e Silva. A inauguração oficial ocorre em 20 de Agosto do mesmo ano, aniversário de São Bernardo do Campo. Na ocasião, um combinado representando o Esporte Clube São Bernardo joga a partida inaugural contra o Santos Futebol Clube, onde a equipe praiana derrotou os sambernardenses por 2 gols a zero.

Um mês após sua inauguração (8 a 14 de Setembro de 1968), o estádio, que na época contava com pista de atletismo, recebeu o Campeonato Sulamericano Juvenil de Atletismo, cuja sede foi São Bernardo do Campo.

Em 1974, o Palestra de São Bernardo, que iniciava uma década vitoriosa no Campeonato Municipal de São Bernardo do Campo, recebeu para um amistoso o Santos Futebol Clube, contando com Pelé em seu elenco. Uma das maiores lotações que o estádio teve até então. A partida foi disputada no dia 9 de Janeiro de 1974, e a equipe santista venceu por 4 a 0.

Em 1980, por decreto do então prefeito de São Bernardo do Campo, Antonio Tito Costa, o estádio passa a se chamar "Primeiro de Maio", em homenagem aos trabalhadores e ao movimento sindical de fins dos anos 70, início dos anos 80.

Em 1989, se iniciam as obras de reformulação e de ampliação do estádio, que tinham por objetivo dotá-lo de maior capacidade e estrutura. A intenção era de tornar o estádio o principal da cidade, posto na época ocupado pelo improvisado Baetão. As obras se arrastaram em um ritmo muito lento até 1996, quando a Prefeitura resolve entregar o estádio ainda incompleto. Duas partidas reabriram o estádio: um amistoso entre EC São Bernardo e São Paulo FC, e a partida do Campeonato Brasileiro ocorrida no dia 29 de Setembro de 1996, onde o Santos Futebol Clube foi derrotado pelo Sport Club Internacional de Porto Alegre, por 2x1.

Ao final da partida, sobraram críticas dos dirigentes de ambas as equipes, que reclamavam de um estádio inacabado e sem a menor condição de receber a partida.

Tanto em 1968 quanto em 1989-96, os dois clubes da cidade a época, Palestra de São Bernardo e Esporte Clube São Bernardo participaram ativamente da comissão de obras do estádio, convidados pela Prefeitura Municipal e pela Secretaria de Esportes.

Entre 2010 e 2011 o estádio passou por obras de reformulação, que reconstruíram o setor das numeradas e o dotaram de iluminação e sistema de drenagem. A reformulação foi financiada por verba do Ministério das Cidades e do Ministério do Turismo, em parceria com a Prefeitura do Município de São Bernardo do Campo. A reinauguração ocorreu em 2011, em partida do São Bernardo FC diante do Sport Club Corinthians Paulista, válida pela Série A1 do Campeonato Paulista.

Origem do Nome[editar | editar código-fonte]

O nome do estádio homenageia o Dia Internacional do Trabalho, já que o estádio foi palco dos primeiros movimentos grevistas desde a instauração da ditadura civil-militar no Brasil. Proibidos de fazer greve e com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC sob intervenção governamental, em 1979 e 1980 os operários de São Bernardo do Campo usam o estádio como palco de suas assembléias. Na ocasião, desponta o líder sindical Luiz Inácio Lula da Silva. O nome "Estádio Municipal 1 de Maio" substituiu o antigo, Arthur da Costa e Silva em 1980, por decreto do então Prefeito Municipal, Antonio Tito Costa.

Apesar de oficialmente nomeado como "Arthur da Costa e Silva" entre 1968 e 1980, o estádio sempre foi conhecido popularmente por seu nome original, Vila Euclides, nome do loteamento onde se encontra, no Centro de São Bernardo do Campo. Na data de inauguração, havia um busto de Costa e Silva nas dependências do estádio, logo retirado.

Infra-Estrutura[editar | editar código-fonte]

Atualmente o estádio possui os seguintes departamentos:

  • Campo de futebol gramado, com capacidade para inicialmente 16.000 pessoas[3]
  • 4 vestiários
  • 2 quadras de tênis, iluminadas
  • Sala para xadrez e damas
  • Alojamento embaixo das arquibancadas com:
  • 9 quartos com três beliches cada
  • 9 quartos para capacidade de 2 jogadores cada, além de academia, sala do treinador, departamento médico, fisioterapia, sala de tv e preleção, massagista, elevador e cozinha totalmente equipada, refeitório, sala de nutrição, depósito, vestiários e banheiros com chuveiros aquecidos a gás.

Cursos[editar | editar código-fonte]

  • Tênis de mesa e campo
  • Damas
  • Futebol
  • Xadrez

Referências

  1. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 9 de março de 2012 
  2. «Capacidade original e permitida» (PDF). Consultado em 08 de Maio de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. http://cdn.cbf.com.br/content/201410/20141024155740_0.pdf