Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem e Área Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem e Área Verde
Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem e Área Verde 01.jpg
Fachada da Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem
Autor Ramos de Azevedo[1]
Cidade São Paulo, SP
Tombamento Resolução SC-62 de 22/06/1998[2]
Órgão CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico[3]

A Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem e Área Verde é uma área de 216 mil[4] metros quadrados localizada na região próxima ao Pacaembu em São Paulo, na Rua Angatuba, 756. O complexo compreende atualmente os antigos edifícios de administração, serviços (cozinha e refeitório), um pavilhão de dormitórios interligados por uma galeria aérea envidraçada, uma capela, um berçário e uma extensa área verde[5]. O espaço, que até 1998[6] abrigou a antiga Unidade Sampaio Viana da FEBEM, foi instituído em 1895[7] pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo como espaço para abrigo e educação de menores abandonados[8][9], em um terreno que pertencia à antiga chácara de Joaquim Floriano Wanderley. Devido à problemas estruturais, em 1910 a antiga estrutura foi substituída pelo projeto do escritório de arquitetura Ramos de Azevedo[10]. A área, antigamente conhecida como Asilo dos Expostos[11], foi comprada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em 1998 e efetivamente ocupada pelos estudantes no segundo semestre de 2002[12].

História[editar | editar código-fonte]

Asilo e Educandário Sampaio Viana[editar | editar código-fonte]

Portaria da Antiga Unidade Sampaio Viana

A história da área que hoje abriga uma unidade complementar da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo têm início na aquisição do terreno que a compreende por Joaquim de Floriano Wanderley, em 1877[13]. O lote, arrematado pelos jesuítas que receberam a Sesmaria do Pacaembu em 1779, permaneceu na posse de Wanderley até 1895. No ano seguinte, por razões financeiras, o terreno é transmitido à Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, que instala na antiga "Chácara Wanderley"[14]. A instituição deu sequência à proposta de abrigar e cuidar de menores abandonados da famosa Roda dos expostos, obra que se estendeu por vários anos, aumentando seu escopo[15].

Distante da área urbana, a antiga edificação sucumbiu ao desgaste, apresentando uma série de graves problemas estruturais. Assim, em projeto liderado pelo escritório de arquitetura Ramos de Azevedo, por volta de 1910 o edifício foi substituído por um novo conjunto arquitetônico. Com a nova configuração, o complexo passou a dispor de três largos pavimentos, que exerciam funções variadas (destinados a salas de aula, atendimento médico, dentistas, farmácia, rouparia...), além da adição de dois pavilhões laterais, nos quais normalmente eram dispostos leitos[16].Em 1944, com a ampliação do programa assistencial do complexo, este passou a se chamar Educandário Sampaio Viana, até que o nome das instalações foi alterado novamente, com a adoção do nome Unidade de Triagem Sampaio Viana[17]. No ano seguinte, para alinhar-se a critérios legais, a unidade adequou-se ao modelo da Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor do Estado de São Paulo, da qual manteve-se uma unidade ativa até seu desligamento em 1997.

Processo de tombamento[editar | editar código-fonte]

Entrada do prédio vizinho ao complexo, pertencente também à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

EM 1997, a unidade de acolhimento de menores foi desativada pela Secretaria de Estado da Criança, Família e Bem-Estar Social.Com a transferência dos últimos 21 bebês do edifício da Febem (que possuiam entre 0 e 2 anos) para uma nova unidade, no bairro do Belém (São Paulo) o processo de desativação do complexo Sampaio Viana, iniciado há 1 ano e 6 meses, teve fim. As demais das crianças foram realocadas para três dessas unidades administradas diretamente pela Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor e para outras três terceirizadas, localizadas nas regiões, sul, sudeste e norte. Antes da desativação a unidade chegou a manter aproximadamente 500 crianças[18].

No ano seguinte, segundo a resolução número SC-62 de 22 de junho de 1998, em uma parceria do Secretário do Governo e Gestão estratégica, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico e a Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo decidiram pelo tombamento do antigo Asilo dos Expostos. O tombamento incidiu sobre os edifícios da administração, serviços, sobre pavilhão de dormitórios interligados por galeria aérea envidraçada, sobre a capela e o berçário, resguardando o local e também sua área envoltória[19].

Arquitetura, estrutura do complexo e arredores[editar | editar código-fonte]

Estátua de Nossa Senhora das Graças

A antiga Unidade Sampaio Viana, que ocupa cerca de 216 mil metros quadrados do bairro do Pacaembu na região Centro-Oeste da capital, pode ser dividida em grandes segmentos[20]:

  • Antigo prédio da administração
  • Prédio de serviços
  • Pavilhão dos dormitórios (interligados pela galeria envidraçada)
  • Capela
  • Antigo berçário
  • Área externa

Essa configuração foi estabelecida com a reconstrução do complexo em no início do século XX pelo escritório de arquitetura Ramos de Azevedo, substituindo o edifício original, demolido quando sua deterioração começou a resultar em problemas estruturais[21]. A área externa ainda apresenta uma grande caixa d'água, localizada no pátio principal e visível à distância, uma extensa área verde, muito arborizada, e uma representação de Nossa Senhora das Graças logo na entrada da portaria.

Caixa d'água localizada na área externa da Unidade

Nos arredores do complexo se localizam ainda outro prédio da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, na mesma Rua Angatuba, assim como o próprio edifício principal da Faculdade, que fica na Avenida Doutor Arnaldo[22]. Outro patrimônio importante da capital próximo ao local é o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, popularmente conhecido como Estádio do Pacaembu.

Arredores da Unidade

Significado histórico e cultural[editar | editar código-fonte]

Como reconhece a Resolução de Tombamento que resguarda o complexo Sampaio Viana, além de enorme valor histórico para a região do Pacaembu, a principal contribuição da Unidade é social. O documento[23] determina que devido à "destinação específica ao abrigo de crianças" o espaço deve ser juridicamente protegido. Esta proposta, que tem início na obra da Roda dos expostos ainda no século XIX, manteve-se durante tanto a gestão de Joaquim Floriano Wanderley quanto a da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, após a transmissão da propriedade. Nos anos que esteve durante a administração da Fundação Estadual para o Bem Estar do Menor (FEBEM), a Unidade também chegou a abrigar aproximadamente 500 crianças.

O espaço, que também é relevante por sua notória área verde, que ocupa um terreno de grandes proporções, surge praticamente junto com o próprio bairro, durante a arrematação de terras pelos jesuítas[24], que receberam a Sesmaria do Pacaembu. O lote, localizado no antigo Pacaembu de Cima (a sesmaria se dividia em três áreas: Pacaembu de Cima, do Meio e de Baixo), representava um espaço isolado, que aos poucos foi se transformando em conjunto com a região. Assim, principalmente com a conservação do seu estilo arquitetônico introduzido no início do século XX, tornou-se uma das maiores representações visuais da história do bairro do Pacaembu.

Estado atual[editar | editar código-fonte]

Portão desativado localizado no muro lateral da Unidade

Após o tombamento realizado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico, a ex-Unidade Sampaio Viana foi comprada em 1998 pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). A compra causou uma série de problemas para a gestão da Fundação[25], que teve que lidar com diversas acusações de que o extenso terreno foi adquirido com o único propósito de lucrar com a especulação imobiliária, já que no local nenhum espaço era direcionado aos alunos e nenhuma disciplina era lecionada.

Porém, no segundo semestre de 2002, foram instaladas no interior do complexo salas e laboratórios destinados às aulas e à pesquisa acadêmica. Para o uso foram necessárias diversas reformas (ocorridas durante o período da compra e da ocupação)[26], que embora estivessem submetidas às determinações do tombamento realizado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico, reformaram uma parte substancial do edifício principal e das áreas externas, solucionando uma série de problemas estruturais[27]. Atualmente o prédio continua ativo e ainda abriga um estacionamento emergencial da FMUSP, que opera durante todos os dias da semana das 06:30 às 21:00 horas.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Antiga Unidade Sampaio Viana da Febem e Área Verde

Referências

  1. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____
  2. Resolução de tombamento SC-62 de 22/06/1998 disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/Condephaat/Bens%20Tombados/Processo/Res.%2062%20de%2022.06.98,%20DOE%2023.06.98%20-%20pg.23.pdf
  3. Resolução de tombamento SC-62 de 22/06/1998 disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/Condephaat/Bens%20Tombados/Processo/Res.%2062%20de%2022.06.98,%20DOE%2023.06.98%20-%20pg.23.pdf
  4. Portal da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo: http://www.arquicultura.fau.usp.br/index.php/menu-identificacao-antiga-unidade-sampaio-viana-febem
  5. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____
  6. Agência Estado, 26/06/2002, Estado de S. Paulo: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,medicina-da-usp-vai-ocupar-casarao-sampaio-viana,20020526p17549
  7. Portal Viva Pacaembu: http://www.vivapacaembu.com.br/detNot.asp?id=17&contexto=03
  8. Santa Casa da Misericórida de São Paulo: Roda dos expostos: http://www.santacasasp.org.br/upsrv01/up_publicacoes/4639/5087_museu-historicos-asylo-sampaio-viana.pdf
  9. João Batista Jr., Veja São Paulo, 17/06/2016, "A história de paulistanos deixados na roda dos expostos da Santa Casa": http://vejasp.abril.com.br/materia/roda-dos-expostos-santa-casa
  10. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____
  11. Talita Lopes Cavalcante, Portal Museu de Imagens - Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor (FEBEM): http://www.museudeimagens.com.br/febem-fundacao-estadual-bem-estar-do-menor/
  12. Agência Estado, 26/06/2002, Estado de S. Paulo: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,medicina-da-usp-vai-ocupar-casarao-sampaio-viana,20020526p17549
  13. Informativo do Arquivo Histórico de São Paulo (AHSP): http://www.arquiamigos.org.br/info/info28/i-estudos.htm
  14. Portal Viva Pacaembu: http://www.vivapacaembu.com.br/detNot.asp?id=17&contexto=03
  15. Portal da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo: http://www.arquicultura.fau.usp.br/index.php/menu-identificacao-antiga-unidade-sampaio-viana-febem
  16. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____
  17. Resolução no . 02/2003 do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/84b46_02_T_Febem_Sampaio_Viana.pdf
  18. Reportagem Local, Cotidiano, Folha de S. Paulo, "Febem desativa unidade do Pacaembu": http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff211141.htm
  19. Resolução de tombamento SC-62 de 22/06/1998 disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/Condephaat/Bens%20Tombados/Processo/Res.%2062%20de%2022.06.98,%20DOE%2023.06.98%20-%20pg.23.pdf
  20. Resolução de tombamento SC-62 de 22/06/1998 disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/Condephaat/Bens%20Tombados/Processo/Res.%2062%20de%2022.06.98,%20DOE%2023.06.98%20-%20pg.23.pdf
  21. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____
  22. Portal da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Área Envoltória da Antiga Unidade Sampaio Viana da FEBEM e Área Verde: http://www.arquicultura.fau.usp.br/index.php/menu-areas-envoltorias-antiga-unidade-sampaio-viana-febem
  23. Resolução de tombamento SC-62 de 22/06/1998 disponível em: http://www.cultura.sp.gov.br/StaticFiles/SEC/Condephaat/Bens%20Tombados/Processo/Res.%2062%20de%2022.06.98,%20DOE%2023.06.98%20-%20pg.23.pdf
  24. Portal Viva Pacaembu: http://www.vivapacaembu.com.br/detNot.asp?id=17&contexto=03
  25. Agência Estado, 26/06/2002, Estado de S. Paulo: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,medicina-da-usp-vai-ocupar-casarao-sampaio-viana,20020526p17549
  26. Agência Estado, 26/06/2002, Estado de S. Paulo: http://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,medicina-da-usp-vai-ocupar-casarao-sampaio-viana,20020526p17549
  27. Portal da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo: http://www.cultura.sp.gov.br/portal/site/SEC/menuitem.bb3205c597b9e36c3664eb10e2308ca0/?vgnextoid=91b6ffbae7ac1210VgnVCM1000002e03c80aRCRD&Id=1c51c73fb46cc010VgnVCM2000000301a8c0____

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]