Estádio Conde Rodolfo Crespi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rua Javari
Estádio Conde Rodolfo Crespi
Rua Javari durante jogo do Juventus.
Nomes
Nome Estádio Conde Rodolfo Crespi
Apelido Rua Javari
Características
Local São Paulo, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 3.800 pessoas [1]
Construção
Data 1925 a 1929
Inauguração
Data 10 de novembro de 1929
Partida inaugural Juventus 1 - 2 Roma
Recordes
Público recorde 15.000 pessoas
Data recorde 13 de julho de 1941
Partida com mais público Juventus 1 - 3 Corinthians
Outras informações
Remodelado Várias vezes
Proprietário CA Juventus logo.svg CA Juventus
Administrador CA Juventus logo.svg CA Juventus
Mandante CA Juventus logo.svg CA Juventus

O Estádio Conde Rodolfo Crespi é um estádio localizado na Rua Javari, no bairro da Mooca, na zona leste da cidade de São Paulo. É pertencente ao Clube Atlético Juventus, um dos mais tradicionais clubes paulistas, que junto às outras agremiações fundou, inclusive, a Federação Paulista de Futebol.

O estádio é conhecido também como Estádio Da Rua Javari.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O estádio foi batizado com o nome do Conde Rodolfo Crespi, proprietário do Cotonifício Crespi, uma das primeiras instalações brasileiras de fiação a nível industrial[3] e uma das maiores fábricas paulistas do início do século passado. Os funcionários do imigrante italiano se reuniram em 1924 para criar o clube, inicialmente chamado de Extra Crespi, contando com o apoio do próprio patrão. Inicialmente a intenção da criação do clube era para que os trabalhadores pudessem ter uma alternativa de lazer aos fins de semana.[4]

A família Crespi se estabeleceu no bairro da Mooca em 1895. Quatro anos mais tarde um prédio de quatro andares foi erguido entre as ruas dos Trilhos, Taquari, Visconde de Laguna e Javari. O edifício abrigou durante anos a fábrica têxtil da família italiana, que fazia trabalhos desde a limpeza de algodão até a produção de tecidos e roupas.[4]

No início do século XX havia diversos campos de várzea em São Paulo e o Extra São Paulo passou a ganhar destaque nesses campeonatos. O sucesso dos funcionários do Cotonifício Crespi fez com que a equipe se inscrevesse na Associação Paulista de Esportes Atléticos, a APEA, órgão proporcional à Federação Paulista de Futebol atualmente. Em junho de 1925 a diretoria toma posse na sede da Rua da Mooca. Quatro anos mais tarde, enfim, o estádio da Rua Javari é inaugurado.

O recorde de público confirmado do estádio foi na partida do Juventus contra o Santos em 15 de maio de 1976: 14.316 pagantes.[5]

O estádio não fica conjunto com o clube ( localizado na Rua Juventus), em 2006 sofreu uma reforma em uma das suas instalações e passou a possuir cadeiras estofadas na tribuna de honra, assentos grená e branco na arquibancada coberta, placar eletrônico e expansão do complexo de som. [6]

Pelé afirma que seu gol mais bonito foi marcado neste estádio em um jogo do Campeonato Paulista realizado em 2 de Agosto de 1959 contra o Juventus. Como não existe nenhuma filmagem deste feito, Pelé pediu e o mesmo foi recriado em computador para o documentário Pelé Eterno.[7]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

O terreno do estádio está localizado entre a Rua dos Trilhos e a Rua Javari, onde há a entrada principal. Com arquibancadas em três dos quatro lados do campo, apenas o setor que fica logo atrás da entrada principal possui cobertura e cadeiras. Um dos aspectos que contribuem para que o estádio da Rua Javari seja um dos mais charmosos da cidade é a não existência de placares eletrônicos e refletores no local, o que obriga todas as partidas serem realizadas durante o dia. As dimensões do campo de jogo são de 105 metros de comprimento por 68 metros de largura.[4]

O setor das numeradas, o mais elaborado, que abriga também as tribunas de honra do estádio, é o mais grandioso e, consequentemente, o de maior capacidade de público.[4]  

O terreno retangular conta, além do estádio, com salas de administração, embaixo do setor principal, quadra de futebol de salão, vestiários, sanitários e lanchonete. Vinte dormitórios, sala de jogo, cozinha e refeitório também fazem parte da estrutura do estádio Conde Rodolfo Crespi, que ainda abriga um estacionamento com capacidade para 40 carros na região de trás de um dos gols, onde não há arquibancada.[4]

Por conta do processo de deterioração do estádio, o Juventus realizou três grandes reformas de 2006 a 2012. As adaptações ao estádio incluíram a reforma dos alojamentos do time profissional e juniores, o gramado, garagem para ônibus e veículos da delegação visitante, um banheiro feminino para a torcida adversária, além da instalação de uma grande protetora para a equipe visitante.[8]

Tombamento[editar | editar código-fonte]

O Estádio Conde Rodolfo Crespi foi incluído pela comunidade de moradores na lista de bens a serem preservados para o Plano regional Estratégico, junto à subprefeitura da Mooca em 2004, com a intenção do local ser reconhecido como um importante patrimônio cultural e ser tombado, o que garantiria a proteção contra possíveis especulações imobiliárias ou reformas na área. [9]

O Estádio atualmente faz parte de um estudo de tombamento que inclui alguns imóveis indicados como Zonas Especiais de Preservação Cultural (Zepec) através da Lei nº. 13.885/2004, fato que garante sua proteção. Se encontra sob condição de aprovação para projetos de intervenção em bens protegidos, estes reconhecido pelo Diário Oficial do Estado de São Paulo. [4][10][11]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. {{citar web|url=http://cdn.cbf.com.br/content/201410/20141024155740_0.pdf |titulo= CNEF da CBF |publicado= Site Oficial da CBF |formato= PDF |lingua= português |acessodata= Predefinição:14 de janeiro de 2016
  2. «Rua Javari, o estádio do Juventus - Que fim levou? - Terceiro Tempo». Terceiro Tempo. Consultado em 14 de abril de 2017 
  3. «Rua Javari, o estádio do Juventus - Que fim levou? - Terceiro Tempo». Terceiro Tempo. Consultado em 14 de abril de 2017 
  4. a b c d e f Ficha de bem enquadrado ou proposto como Zepec – Subprefeitura MO. Setor: 23. Quadra: 022. Lote: 0286. Bairro: Mooca
  5. Revista PLACAR, coluna Garoto do PLACAR, de 4 de junho de 1976
  6. «Rua Javari, o estádio do Juventus - Que fim levou? - Terceiro Tempo». Terceiro Tempo. Consultado em 14 de abril de 2017 
  7. Pelé Eterno - http://www.adorocinema.com/. Consultado em 2007-07-17
  8. http://www.juventus.com.br/clube/infraestrutura/estadio/
  9. Preservar, Demolir, Construir ou Ocupar a Creche Ninho Jardim Condessa Marina Crespi: De Todos Os Riscos, O Risco – PEREIRA, Verônica Sales - pg. 117
  10. http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/Pauta639111116txt_1478275956.txt
  11. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/72767729/dosp-cidade-09-07-2014-pg-34

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estádio Conde Rodolfo Crespi