Brooklin Novo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Brooklin Novo
São Paulo CBD.jpg
Bairro de São Paulo Brasil Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Fundação: 1922 (95 anos)
Zona de valor do CRECI: Zona B
Distrito: Itaim Bibi
Subprefeitura: Pinheiros
Região Administrativa: oeste

Brooklin Novo é a área comercial e mais moderna do bairro nobre do Brooklin em São Paulo no Brasil. Essa é delimitada pelas Avenidas dos Bandeirantes, das Nações Unidas, Santo Amaro e Jornalista Roberto Marinho O bairro já foi conhecido como Brooklin Paulista e hoje se configura em duas partes, o Brooklin Novo e o Velho. A região, como um todo, é considerada nobre e é mercada pelo luxo e por sede de grandes centros empresariais. [1]

Limita-se com o Brooklin Velho e os bairros de: Vila Olímpia, Moema, Vila Cordeiro e o distrito do Morumbi.

História[editar | editar código-fonte]

Vista aérea da região e do bairro de Vila Cordeiro ao lado esquerdo da ponte estaiada.

Devido à proximidade com o bairro de Vila Olímpia, possui história semelhante a ele, pois ambos foram criados e desenvolveram-se na mesma época. Encontra-se na várzea do Rio Pinheiros, que historicamente inundava a região. Essas desvantagens faziam-no abrigar indústrias de médio e grande porte, como as fábricas da Caloi[2], Kibon e Bombril.[3]

No início do século XX a região do Brooklin já existia, porém não era considerada um bairro. A localidade recebia uma das paradas do bonde que cortava a cidade paulistana. Porém, a valorização imobiliária deu-se apenas quando a companhia São Paulo Tramway, Light and Power assumiu o negócio na região.

Em 1922 o local tornou-se efetivamente um bairro. quando teve seu território loteado e divido entre três compradores: Afonso de Oliveira Santos, a Sociedade Anônima Fábrica Votorantim e Júlio Klaunig com Álvaro Rodrigues. A partir desse momento o bairro se desenvolveu com a construção de casas, fábricas e outros empreendimentos. E mesmo estando às margens de dois córregos (Água Espraiada e Cordeiro) não impediu a evolução do distrito.[4]

Em 1941 houve a instalação da Sociedade Hípica Paulista, importante instituição do esporte no país. Anos mais tarde tornou-se residencial, ao concentrar casas e sobrados de classe-média.

Nos anos 1980 em diante passa por um processo de gentrificação feito pela prefeitura da cidade e o governo estadual. Através dessas melhorias houve boom imobiliário, ou seja, enorme atração do setor para a construção de investimentos residenciais e comerciais de alto padrão na área. Na década de 2000 são inauguradas a estação Berrini da linha 9 da CPTM e Ponte Octávio Frias de Oliveira, ao mesmo tempo que figurava-se como um dos centros financeiros da cidade.

Origem do nome Brooklin: ele foi escolhido pela Light, como uma homenagem ao famoso bairro do Brooklin, em Nova York. Os dois bairros têm duas coisas em comum, além do nome: sediam as pontes que são cartões postais de suas respectivas cidades e são ambos grandes centros comerciais.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

A Ponte Octávio Frias de Oliveira, o marco do bairro.

É uma área residencial e comercial, sendo um dos centros financeiros paulistanos. Sua via principal, a Avenida Engenheiro Luiz Carlos Berrini, possui cerca de cem edifícios comerciais. Abriga sedes de empresas multinacionais, hotéis de luxo, centrais de canais de televisão e consulados.[6][7]

Apresenta diversos ícones da arquitetura moderna da cidade, a exemplo do Centro Empresarial Nações Unidas, complexo comercial onde encontram-se alguns dos maiores edifícios do país, além do luxuoso Hotel Hilton de São Paulo. Possui uma ligação subterrânea com o World Trade Center de São Paulo, outro complexo empresarial. Em frente ao Nações Unidas, foi construída a Ponte Octávio Frias de Oliveira, que hoje é um dos mais famosos cartões postais da cidade. Outros marcos arquitetônicos presentes são: o Edifício Mandarim e Plaza Centenário.

Seus moradores, "brooklinianos", são representados pela Sociedade Amigos do Brooklin Novo, instituição que visa a manutenção das áreas verdes existentes e a preservação da horizontalidade da região.[8] O policiamento da área é feito pela 4ª Cia. do 12° Batalhão da Polícia Militar e a Polícia Civil encontra-se no 96°Distrito Policial - Brooklin.

É uma das localidades paulistanas que recebe mais investimentos privados, o que a torna alvo da especulação imobiliária. Bairros vizinhos são denominados como sua continuação, caso de Vila Cordeiro onde localizam-se a TV Globo São Paulo[9] e o Hotel Hyatt;[10] e Vila Gertrudes, onde estão localizados o Morumbi Shopping[11] , a sede da Vivo, o Market Place Shopping Center e o RochaVerá Plaza. A região é classificada pelo CRECI como "Zona de Valor B", assim como outras áreas nobres da capital como Jardim Paulistano, Vila Olímpia e Pinheiros.[12]

É uma região que abriga uma vasta gama de opções para os amantes de música, pois abriga A Galeria L’oiel que com parceria da França realiza diversas exposições sobre pintura, escultura, moda, etc. O WTC Golden Hall também é um grande espaço para realização de eventos e a Escola de Música Tom Jobim disponibiliza cursos e aulas para todas as idades.[13]

Transporte[editar | editar código-fonte]

No Brooklin se encontra a estação Berrini da Linha 9 da CPTM e a linha intermunicipal de ônibus que liga a região até Diadema. Futuramente irá receber um monotrilho da linha Linha 17 e a estação Brooklin-Campo Belo na Linha 5 do Metrô. Próximo a Marginal Pinheiros, o bairro oferece fácil acesso aos distritos do Morumbi e Itaim Bibi, assim como ao Aeroporto de Congonhas, que fica a aproximadamente 10 minutos do local. As avenidas Santo Amaro, Jornalista Roberto Marinho e Bandeirantes marcam presença na região, sendo um núcleo de tráfego intenso durante a semana e calmo nos finais de semana.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.saopauloantiga.com.br/conheca-o-brooklin/
  2. CALOI
  3. A Empresa
  4. http://www.saopauloantiga.com.br/conheca-o-brooklin/
  5. como uma homenagem ao famoso bairro do Brooklin, em Nova York. Os dois bairros têm duas coisas em comum, além do nome: sediam as pontes que são cartões postais de suas respectivas cidades e são ambos grandes centros comerciais.
  6. Consulados
  7. Consulados Internacionais
  8. SABRON - Sociedade Amigos do Brooklin Novo
  9. Memória Globo 2007
  10. Festas em hotéis atraem paulistanos e turistas no Réveillon de SP
  11. Morumbi Shopping
  12. «Pesquisa CRECI» (PDF). 11 de julho de 2009. Consultado em 13 de julho de 2009 
  13. http://www.saopauloantiga.com.br/conheca-o-brooklin/

Ligações externas[editar | editar código-fonte]