Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
soc cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Corpo de Bombeiros
da Polícia Militar do Estado de São Paulo
200px
Brasão do CBPMESP
País  Brasil
Estado  São Paulo
Corporação Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo
Missão Bombeiro Militar
Sigla CBPMESP
Criação 10 de março de 1880
Patrono Imperador D.Pedro II
Marcha Canção do Bombeiro
Sede
Guarnição São Paulo
Bairro Centro
Endereço Praça Clovis Bevilácqua, 421
Internet Página oficial

O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo (CBPMESP) possui como missão primordial a execução de atividades de defesa civil, prevenção e combate a incêndios, buscas, salvamentos e socorros públicos no âmbito do estado de São Paulo. É atualmente o maior Corpo de Bombeiros do Brasil e da América Latina em termos de efetivo. [1]

Ele é Força Auxiliar e Reserva do Exército Brasileiro, e integra o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Brasil. Seus integrantes são denominados Militares dos Estados pela Constituição Federal de 1988, assim como os demais membros da Polícia Militar do Estado de São Paulo.[2]

Em 23 de outubro de 2014, ganhou autonomia em relação a Polícia Militar passando a reportar-se diretamente ao Secretário da Segurança Pública, sobre temas relacionados às operações.[3]

Histórico[editar | editar código-fonte]

Desde 1851 existiram iniciativas no sentido de constituir um serviço de combate à incêndios na cidade de São Paulo. Porém, oficialmente isso somente se concretizou em 10 de março de 1880, com a promulgação de uma lei da Província de São Paulo que instituiu um Corpo de Bombeiros com vinte integrantes, anexo à Companhia de Urbanos que era a Corporação Policial da época. Sendo assim, ao contrário dos bombeiros fluminenses, o de São Paulo tem origem dentro da Corporação Policial.

Em 1887 essa Seção foi transferida para o prédio da Rua do Trem (atual Rua Anita Garibaldi); endereço que permanece até os dias de hoje, como uma das sedes do Corpo de Bombeiros de São Paulo.

Em 1890 o efetivo foi ampliado para uma Companhia. Em 1900 as diversas Instituições de Segurança foram reunidas numa só, denominada Força Pública de São Paulo. Desde então o Corpo de Bombeiros teve sua história ligada a essa Corporação a qual, posteriormente, viria a se tornar na Polícia Militar de São Paulo.

Cronologia do Corpo de Bombeiros no século XIX[editar | editar código-fonte]

  • 1850 - Ocorre um incêndio na Rua do Rosário (atual Rua XV de Novembro), o incêndio é extinto por uma bomba manual emprestada por um francês chamado Marcelino Gerard.
  • 1852 - Em decorrência de tal incêndio é apresentado na Assembléia Provincial, pelo então Brigadeiro Machado de Oliveira um Projeto de Lei de um Código sobre Prevenção de Incêndios. Nesse Código estavam regulamentados os serviços de prevenção e extinção de incêndios, ficando o povo, por lei, obrigado a cooperar com a polícia nos dias de incêndio.
  • 1856 - Surge o Corpo de Bombeiros da Corte (atual Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro).
  • 1861 - Ocorre um incêndio em uma livraria na Rua do Carmo.
  • 1863 - Novo incêndio, desta vez na Rua do Comércio em uma loja de ferragens.
  • 1870 - Um barril de pólvora explode no centro da cidade de São Paulo.
  • 1875 - É criada uma "Turma de Bombeiros" com dez homens egressos do Corpo de Bombeiros da Corte e que ficaram adidos à Companhia de Guarda de Urbanos.
  • 1880 - Um incêndio na Faculdade de Direito, determina a criação oficial do Corpo de Bombeiros (10 de março de 1880). O então Alferes José Severino Dias é designado em 24 de julho Comandante da Seção de Bombeiros com vinte homens (praças) oriundos da Cia de Urbanos.
  • 1883 - Ocorre a primeira troca de comando.
  • 1888 - O efetivo da Seção de Bombeiros aumenta para trinta praças.
  • 1890 - Elevação a categoria de "Companhia de Bombeiros". O efetivo aumenta para sessenta homens. O Comandante passa a ser um capitão. É criada a 6ª Zona de Bombeiros no município de Santos (atual 6º Grupamento de Incêndio).
  • 1891 - O’Connel Jersey assume o comando. É criado a Estação Oeste de Bombeiros (2ª Zona) - atual 2º Grupamento de Incêndio responsável pelo atendimento dos bairros da Barra Funda, Campos Elíseos e Lapa e a Estação Norte de Bombeiros (3ª Zona).
  • 1893 - Os movimentos de tropas federalistas no sul do país e a situação agitada do povo diante dos acontecimentos subversivos (Revolta da Armada), faziam com que os brasileiros temessem uma guerra civil. Um contingente do Corpo de Bombeiros segue para Santos integrando à Força Policial, juntando-se às tropas em defesa da causa republicana.
  • 1895 - É inaugurada a 3ª Zona de Bombeiros, responsável pelo atendimento dos bairros da Moóca, Brás, Belém, Penha e Vila Prudente (atual 3º Grupamento de Incêndio).
  • 1896 - São inauguradas as estações do Norte e Oeste, inicia-se o funcionamento do 1º Sistema de Alarmes, o "Generst".
  • 1900 - Unem-se todas as forças de segurança em uma só "Força Pública". É criado o Corpo Municipal de Bombeiros de Campinas, seu efetivo inicial era de oito homens.

Estrutura Operacional[editar | editar código-fonte]

Bombeiros resgatam corpos de vítimas do acidente com o Airbus A-320 da TAM - Julho de 2007.

CCB - Comando do Corpo de Bombeiros

  • Departamento de Finanças (DF/CB);
  • Departamento de Pessoal (DP/CB);
  • Departamento de Segurança Contra Incêndio (DSCI);
  • Divisão de Patrimônio;
  • Divisão de Telemática;
  • Seção de Suporte Administrativo do Corpo de Bombeiros (SSA/CB);
  • Escola Superior de Bombeiros (ESB);
  • Centro de Memória do Corpo de Bombeiros;
  • Centro de Suprimento e Manutenção de Material Operacional de Bombeiro (CSM/MOpB);
  • Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMAR) .

CBM - Comando de Bombeiros Metropolitano

  • 1º Grupamento de Bombeiros - Centro do Município de São Paulo (SP)
  • 2º Grupamento de Bombeiros - Região Norte do Município de São Paulo (SP);
  • 3º Grupamento de Bombeiros - Região Leste do Município de São Paulo (SP);
  • 4º Grupamento de Bombeiros - Região Oeste/Sul do Município de São Paulo (SP);
  • 5º Grupamento de Bombeiros - Guarulhos; Arujá, Santa Isabel, Mairiporã, Cajamar, Franco da Rocha e Francisco Morato
  • 8º Grupamento de Bombeiros - Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Ribeirão Pires e Mauá
  • 17º Grupamento de Bombeiros - Mogi das Cruzes, Salesópolis, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos
  • 18º Grupamento de Bombeiros - Oeste - Barueri.

CBI - Comando de Bombeiros do Interior

  • 6º Grupamento de Bombeiros - Santos
  • 7º Grupamento de Bombeiros - Campinas, Campinas, Indaiatuba, Hortolândia, Mogi Guaçu, Paulínia
  • 9º Grupamento de Bombeiros - Ribeirão Preto
  • 10º Grupamento de Bombeiros - Marília
  • 11º Grupamento de Bombeiros - São José dos Campos
  • 12º Grupamento de Bombeiros - Bauru
  • 13º Grupamento de Bombeiros - São José do Rio Preto
  • 14º Grupamento de Bombeiros - Presidente Prudente
  • 15º Grupamento de Bombeiros - Sorocaba
  • 16º Grupamento de Bombeiros - Piracicaba, Piracicaba, São Pedro, Capivari, Iracemápolis, Limeira, Cordeirópolis, Americana, Santa Bárbara D'oeste, Rio Claro, Araras, Leme, Pirassunuga, Mococa, São João da Boa Vista, Espírito Santo do Pinhal, São José do Rio Pardo
  • 19º Grupamento de Bombeiros - Jundiaí
  • 20° Grupamento de Bombeiros - Araçatuba

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.