Polícia do Exército (Brasil)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Polícia do Exército
1º Batalhão de Polícia do Exército.jpg
Sigla P E
Criação 1944

A Polícia do Exército se constitui de unidades especializadas da Infantaria do Exército Brasileiro, que desenvolvem a missão de polícia militar junto a guarnições sedes de grandes comandos ou de grandes unidades da Força Terrestre.[1]

Como unidades operacionais de Polícia do Exército, existem vários batalhões, companhias independentes e pelotões.

Os militares da Polícia do Exército Brasileiro identificam-se pelo uso de braçadeira preta, com as letras "PE" em branco ou pelo uso da braçadeira branca, com as letras "PE" em vermelho.

História[editar | editar código-fonte]

Com a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, o Exército Brasileiro formou uma Força Expedicionária (FEB), formada por uma Divisão de Exército, para lutar no Teatro de Operações da Itália. A FEB criada para atuar como uma divisão americana, incorporou a doutrina e a estrutura organizacional daquele país. Portanto, tendo como previsão de seus quadros uma força de polícia militar para atuar como tropa especial, diretamente subordinada ao Comandante da Divisão. Assim, os Decretos Reservados de 6069-A, 6071-A, 6072-A e 6073-A de 06 de dezembro de 1943, criaram a Tropa Especial da Força Expedicionária Brasileira e consequentemente a sua Polícia Militar que se tornaria a primeira tropa de Polícia do Exército do Brasil.

Inicialmente, para formar esta tropa de elite, os critérios de seleção foram mais rígidos . A primeira seleção ocorreu com os quadros efetivos do 3º Regimento de Infantaria (3ºRI), onde apenas alguns militares foram selecionados. Então, o General Mascarenhas de Morais resolve organizar o Military Police Platoon (Pelotão de Polícia Militar) da então Guarda Civil do Estado de São Paulo. Sua decisão se deu pelo fato de conhecer bem a Corporação paulista devido a sua passagem como Comandante da 2ª Divisão de Exército em São Paulo.

Fizeram parte da primeira formação do Pelotão de Polícia Militar 70 jovens da Guarda Civil. Estes estiveram incorporados e serviram na Itália sob o comando do 1º Tenente R/2 José Sabino Maciel Monteiro.

As Polícia Militar desempenhou grande papel no Teatro de Operações da Itália, sendo reconhecida por todos os militares da Força Expedicionária Brasileira quando no balizamento de trânsito, defesa de pontos sensíveis e guarda e escolta de prisioneiro.

Com o aumento da missão, o General Mascarenhas de Morais, resolve transformar o Pelotão para Companhia de Polícia Militar, sendo promovido o seu comandante, o Tenente Sabino, posto de Capitão.

A Companhia de Polícia retorna para o Brasil totalmente apenas em dezembro de 1945, sendo uma das tropas que não sofreu a desmobilização total. Sendo transformada posteriormente, pelo General Zenóbio da Costa, então Comandante da 1ª Divisão de Exército, no Rio de Janeiro, na 1ª Companhia de Polícia Militar e, posteriormente, 1ª Companhia de Polícia do Exército que deu origem ao 1º Batalhão de Polícia do Exército - Batalhão Zenóbio da Costa.

No curso do tempo, atendendo as necessidades da Força Terrestre, foram criadas outras organizações militares (OM) da especialidade, distribuídas pelos grandes comandos ou grandes unidades da Força.

Atribuições[editar | editar código-fonte]

  • Realizar operações de Garantia da Lei e da Ordem - GLO
  • Assegurar o respeito à lei, ordens, bem como o cumprimento dos regulamentos militares;
  • Prevenir o crime
  • Efetuar investigações rotineiras no âmbito do Exército;
  • Policiamento de trânsito e de pessoal;
  • Controle de trânsito nas áreas militares;
  • Segurança de instalações militares e oficiais;
  • Escolta de altas autoridades e comboios militares;
  • Segurança e proteção pessoal de autoridades civis e militares;
  • Investigações criminais;
  • Guarda de presos à disposição da justiça militar;
  • Perícias diversas:
    • exames grafotécnicos;
    • laudo pericial de acidente de tráfego;
    • exames em armas de fogo;
    • laudo pericial em projétil de arma de fogo; e
    • exame residuográfico de pólvora;
    • reprodução simulada de fatos;
    • laudo pericial de descrição de local;
    • laudo pericial papiloscópico;
    • laudo pericial de avaliação em material.
  • Operações de controle de distúrbios;
  • Evacuação, controle e guarda de prisioneiro de guerra;
  • Prisão de desertores e prisioneiros foragidos;
  • Controle de circulação de civis extraviados;
  • Escolta de comboios;
  • Controle da área de calamidade pública; e
  • Segurança em área de retaguarda e ocupação em caso de guerra.
  • Patrulhamento na área militar

Organograma[editar | editar código-fonte]

Comandante
Assessoria e Gestão
Relações Públicas
Subcomandante
1ª Seção
2ª Seção
3ª Seção
4ª Seção
1ª Cia PE
2ª Cia PE

3ª Cia PE

Cia Escolta e Guarda
Cia Comando e Serviços

Organizações militares[editar | editar código-fonte]

<td\>

UNIDADE CIDADE
1º Pelotão de Polícia do Exército Santiago
2º Pelotão de Polícia do Exército Uruguaiana
3º Pelotão de Polícia do Exército Bagé
4º Pelotão de Polícia do Exército Dourados
5º Pelotão de Polícia do Exército Rio de Janeiro
6º Pelotão de Polícia do Exército Goiânia
7º Pelotão de Polícia do Exército Natal
8º Pelotão de Polícia do Exército Pelotas
9º Pelotão de Polícia do Exército – Rio de Janeiro
10º Pelotão de Polícia do Exército Recife
11º Pelotão de Polícia do Exército Campinas
12º Pelotão de Polícia do Exército Caçapava
13º Pelotão de Polícia do Exército Cuiabá
14º Pelotão de Polícia do Exército Florianópolis
17º Pelotão de Polícia do Exército Porto Velho
22º Pelotão de Polícia do Exército São Gabriel da Cachoeira
22º Pelotão de Polícia do Exército Niterói
23° Pelotão de Polícia do Exército Cristalina
25º Pelotão de Polícia do Exército Ponta Grossa
26º Pelotão de Polícia do Exército Santa Maria
32º Pelotão de Polícia do Exército Boa Vista
33º Pelotão de Polícia do Exército Marabá
34º Pelotão de Polícia do Exército Tefé
35º Pelotão de Polícia do Exército Juiz de Fora
36º Pelotão de Polícia do Exército Pára-quedista Rio de Janeiro
1ª Companhia de Polícia do Exército Rio de Janeiro
4ª Companhia de Polícia do Exército Belo Horizonte
5ª Companhia de Polícia do Exército Curitiba
14º Companhia de Polícia do Exército Campo Grande
15ª Companhia de Polícia do Exército Belém
16ª Companhia de Polícia do Exército Fortaleza
Batalhão de Polícia do Exército de Brasília Brasília
1º Batalhão de Polícia do Exército Rio de Janeiro
2º Batalhão de Polícia do Exército Osasco
3º Batalhão de Polícia do Exército Porto Alegre
4ª Batalhão de Polícia do Exército Recife
6º Batalhão de Polícia do Exército Salvador
7º Batalhão de Polícia do Exército Manaus
8º Batalhão de Polícia do Exército São Paulo
11º Batalhão de Polícia do Exército Rio de Janeiro

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outras Instituições

Referências

  1. «Organizações Militares do Exército Brasileiro». Consultado em 21 de julho de 2011. Arquivado do original em 17 de dezembro de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências