Estação Oratório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Metrô-SP icon.svg Oratório
Visão aérea da Estação Oratório em junho de 2014, quando esta se encontrava no estágio final de obras.
Uso atual Estação de Monotrilho Estação de monotrilho
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração Metrô-SP icon.svg Metrô de São Paulo
Linha 15white.png Prata
Sigla ORT
Posição Elevada
Níveis 3
Plataforma Central
Serviços Acesso à deficiente físico Escada rolante Elevador Banheiro Venda de Bilhetes Bicicletário
Conexões Terminal rodoviário
Informações históricas
Inauguração 30 de agosto de 2014 (5 anos)
Projeto arquitetônico Luiz Carlos Esteves [1]
Localização
Oratório está localizado em: Capital de São Paulo
Oratório
Localização da estação
23° 34' 55" S 46° 33' 42" O
Endereço Av. do Oratório, 165, São Lucas
Município Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo
País  Brasil
Próxima estação
Sentido Vila Prudente 15white.png Sentido São Mateus
Vila Prudente São Lucas
Oratório
Composição M04 estacionada na plataforma da Estação Oratório

A Estação Oratório é uma estação da Linha 15–Prata do Metrô de São Paulo, inaugurada em 30 de agosto de 2014. Quando for concluída, a linha ligará a Estação Vila Prudente ao distrito de São Mateus.

A Estação Oratório está localizada na confluência entre as avenidas Professor Luis Inácio de Anhaia Melo e do Oratório, no bairro Jardim Independência, distrito de São Lucas, na Zona Leste da cidade.[2][3]

Atualmente existem planos para privatizar a linha. O governador Geraldo Alckmin anunciou, em uma reunião do conselho gestor das PPPs, que as linhas 15–Prata e 17–Ouro serão concedidas à iniciativa privada, por conta das dificuldades financeiras do estado na expansão e manutenção da rede metroferroviária.[4][5]

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros estudos sobre a expansão do metrô para o distrito de Vila Prudente datam do final da década de 1970, quando a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) atualizou o plano HMD de 1968.[6] Em 1980, foi apresentado o projeto detalhado, intitulado "Terceira Linha do Metrô de São Paulo" (atual Linha 2–Verde), apresentando a Estação Oratório. Sua localização era prevista para uma grande gleba livre diante da Avenida Professor Luis Inácio de Anhaia Melo, entre a Rua São João do Sabugi e a Avenida Alberto Ramos (a cerca de 260 metros da estação atual). Naquele trecho, os técnicos do metrô previam a construção de uma estação elevada em relação ao nível do solo, em um viaduto de concreto. Ao lado da estação, haveria um terminal de ônibus com oito linhas municipais e duas metropolitanas.[7]

Apesar de as obras da Linha 2 terem sido iniciadas em 1987 prevendo a construção da estação Oratório, cujo projeto acabaria licitado em 1991 (com vitória da construtora Queiroz Galvão), as obras nunca saíram do papel.[8]

Mesmo assim, Oratório continuou em alguns dos projetos do Metrô, como a Rede Essencial (2006) — em que seria terminal da futura linha Freguesia do Ó–Oratório —,[9] o Plano Integrado de Transportes Públicos 2025 (2007)[10] e como um ramal da Linha 2–Verde.[11] Naquela época, a Prefeitura de São Paulo havia lançado a segunda fase do Expresso Tiradentes, que previa a implantação de um corredor de ônibus entre Vila Prudente e Cidade Tiradentes, passando pela área da futura Estação Oratório.[12] Esse projeto foi substituído pelo projeto do monotrilho.[13]

Para acelerar a construção, o Metrô não realizou uma nova licitação e reaproveitou o contrato de construção de 1991, readequando valores e o escopo de projeto para permitir a construção das estações Vila Prudente e Oratório do monotrilho. Para reforçar juridicamente o reaproveitamento do contrato (e evitar questionamentos legais), o trecho foi intitulado como expansão da Linha 2—Verde (enquanto a real expansão da Linha 2 até a Penha foi chamada de Linha 15–Branca). Posteriormente, essa manobra jurídica foi considerada irregular pelo Tribunal de Contas do Estado, e a linha do monotrilho foi rebatizada como Linha 15–Prata.[14]

A Estação Oratório começou a ser construída em novembro de 2009. O primeiro trecho da Linha 15, que inclui as estações Vila Prudente e Oratório, estava com inauguração prevista para o segundo semestre de 2013, enquanto a Estação São Lucas estava prevista para 2014.[15]

A Linha 15–Prata foi inaugurada oficialmente em 30 de agosto de 2014, inicialmente em horário restrito, das 10 às 15 horas. Posteriormente, o seu horário de funcionamento foi ampliado, e os trens passaram a circular das 7 às 19 horas. A partir de 20 de dezembro, a Linha 15 passou a funcionar das 6 às 20 horas entre as duas estações. Somente a partir de 26 de outubro de 2016 é que a linha passou a funcionar em horário integral, das 4h40 à meia-noite.[16]

Essas limitações no horário de funcionamento foram necessárias para que fossem concluídos os protocolos de testes dos equipamentos e sistemas, por se tratar de um sistema novo na época, além de garantir a segurança dos usuários e o funcionamento da linha.[17][18][19]

Pátio Oratório[editar | editar código-fonte]

Vista parcial do Pátio Oratório, com destaque para os blocos A e B.

O pátio da Linha 15 foi construído nas proximidades da Estação Oratório, em uma planta industrial desativada da empresa têxtil Coats Corrente. Com uma área total de noventa mil metros quadrados, o Pátio Oratório possui 25 mil metros quadrados de área construída, dividida por 31 prédios/edificações para atender administração, central de controle e operação, manutenção e limpeza da Linha 15. Possui capacidade para abrigar 26 trens.[20][21]

Características[editar | editar código-fonte]

Assim como as estações Sacomã e Tamanduateí, da Linha 2–Verde do metrô convencional, a Estação Oratório possui portas de plataforma e portas de vidro nas linhas de bloqueio. A estação é elevada, com plataforma central, e fica localizada a uma altura entre doze e quinze metros.

A estação foi construída em uma estrutura de concreto aparente, com fechamentos laterais em alvenaria e vidro e cobertura em estrutura metálica e telhas de alumínio.

A Estação Oratório possui dois acessos. O primeiro deles fica localizado em um bloco entre as avenidas do Oratório e Professor Luís Inácio de Anhaia Melo, em uma área construída de 3 047,80 metros quadrados. O segundo acesso está localizado na confluência entre as ruas Nupeba e São Gotardo, com uma área construída de 1 670,10 metros quadrados.

A área total construída para a estação é de 5 408 metros quadrados. Ela possui um total de três escadas fixas e sete escadas rolantes, distribuídas entre os acessos e o prédio principal da estação. Os dois acessos possuem uma escada fixa no meio e duas escadas rolantes adjacentes. O restante das escadas está distribuído entre o mezanino de acesso e a plataforma da estação. Além disso, a estação possui elevadores para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e um paraciclos para o ciclistas que utilizam a ciclovia ao longo da linha.[22]

Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataforma Posição Notas
ORT Oratório 30 de agosto de 2014 Não confirmada Bilhete Único da SPTrans Central Elevada Estrutura em concreto aparente

Diagrama da estação[editar | editar código-fonte]

Diagrama da Estação Oratório
Sentido Vila Prudente

a
1

b
Sentido Jardim Colonial

Legenda

                     Viga guia

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1: Linha 15–Prata do Metrô de São Paulo
Via a: Sentido Jardim Colonial
Via b: Sentido Vila Prudente
(Obs.: Sentidos acima indicam como será a estação quando a linha for concluída)

Referências

  1. «Portfólio» (PDF). Luiz Esteves Arquitetura. Consultado em 23 de março de 2019 
  2. Companhia do Metropolitano de S. Paulo. «Projeto Funcional e Relatório de Empreendimentos da Linha 15-Prata» (PDF). Site oficial do Metrô de São Paulo. p. 38. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  3. O Estado de S. Paulo (29 de agosto de 2014). «Linha 15-Prata do metrô de SP abre finalmente neste sábado». Mobilize. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  4. RUSSO, Rodrigo. GERAQUE, Eduardo (24 de julho de 2014). «Governo Alckmin decide privatizar monotrilho da zona leste de SP». Folha de S.Paulo. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  5. LEITE, Fabio (25 de agosto de 2016). «Alckmin vai privatizar duas linhas do Metrô; licitação deve sair neste ano». O Estado de S.Paulo. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  6. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO (1979). Leste-Oeste: em busca de uma solução integrada. [S.l.]: Companhia do Metropolitano de São Paulo. p. 43 
  7. EMPRESA METROPOLITANA DE TRANSPORTE URBANO (1980). Terceira Linha do Metrô de São Paulo:. [S.l.]: Companhia do Metropolitano de São Paulo. 183 páginas 
  8. «Requerimento de informação 273» (PDF). Assembleia Legislativa de São Paulo. 8 de outubro de 2013. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  9. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO (2006). Rede Essencial: Trechos Prioritários. [S.l.]: Companhia do Metropolitano de São Paulo. 100 páginas 
  10. Secretaria dos Transportes Metropolitanos do estado de São Paulo (2008). «Parte E: a parte estratégica» (PDF). Plano Integrado de Transportes Urbanos (2025). Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  11. Jorge Wilheim (dezembro de 2008). «O Metrô e a cidade de São Paulo». Vitruvius. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  12. PRATA, José Expedicto; SOUZA, Ana Odila De Paiva (2006). Expresso Tiradentes:transformar e urbanizar o ambiente. [S.l.]: Secretaria Municipal de Transportes. 251 páginas 
  13. Estadão Conteúdo (23 de novembro de 2009). «Serra e Kassab trocam elogios em evento do Metrô». A Tarde (Bahia). Consultado em 25 de agosto de 2019 
  14. José Ernesto Credendio (23 de dezembro de 2012). «TCE manda suspender licitação de monotrilho em São Paulo». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  15. Secretaria dos Transportes Metropolitanos (23 de novembro de 2009). «Serra dá início às obras de prolongamento da Linha 2-Verde». Portal do Governo do estado de São Paulo. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  16. 30 de agosto de 2014. «Primeiro trecho da Linha 15-Prata do monotrilho será aberto neste sábado». G1 São Paulo. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  17. Companhia do Metropolitano de S. Paulo. «Monotrilho da Linha 15 vai funcionar todos os dias da semana, a partir do dia 20/12». Site oficial do Metrô de São Paulo. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  18. «Linha 15-Prata do Monotrilho tem horário de funcionamento ampliado». Portal G1 de S. Paulo. 21 de dezembro de 2014. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  19. «Linha Prata do monotrilho começa a operar em horário normal nesta quarta». Portal G1 de S. Paulo. 26 de outubro de 2016. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 
  20. «São Paulo apresenta trem do primeiro monotrilho do Brasil». Brasil Engenharia. 30 de outubro de 2013. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  21. «Pátio de Manutenção Oratório». Planservi Engenharia. Consultado em 19 de dezembro de 2019 
  22. Companhia do Metropolitano de S. Paulo. «Zona de desapropriação da Estação Oratório - Linha 15-Prata» (JPG). Site oficial do Metrô de São Paulo. p. 1. Consultado em 22 de fevereiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]