Museu Dimitri Sensaud de Lavaud

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Museu Dimitri Sensaud de Lavaud - Museu de Osasco
Tipo História
Inauguração Casarão - Século 19 (XIX) Museu - (1976)
Geografia
Localidade Osasco - São Paulo

O Museu Dimitri Sensaud de Lavaud, também conhecido como Museu de Osasco, localiza-se no município de Osasco na grande São Paulo, era no seu início um casarão que fora construído no século 19 (XIX) por Antônio Agú (cujo morou no casarão juntamente de sua esposa Primitiva Vianco), a mando do banqueiro Giovanni Brícola. Se tornou museu apenas em 1976 com o intuito de contar um pouco a história da cidade de Osasco desde sua criação. O chalé se localiza na região onde hoje é a Avenida dos Autonomistas.[1]

História[editar | editar código-fonte]

No século 19, o banqueiro Giovanni Brícola mandou Antônio Agú, imigrante italiano e empreendedor, construir um casarão. Atônio Agú construiu o Chalé onde hoje é a Avenida dos Autonomistas e se inspirou na arquitetura italiana para erguer a construção[2], Antônio Agú inclusive morou no próprio casarão. Posteriormente quem ocupou a casa foi o Barão Evaristhe Sensaud de Lavaud, um industrial de origem francesa. Seu filho era Dimitri Sensaud de Lavaud (homenageado com o nome do museu), engenheiro que se naturalizou brasileiro, dono do pouco conhecido primeiro voo da américa latina em 7 de janeiro de 1910[1]. Após a morte da família Lavaud, a casa foi residência de outras pessoas, mas acabou ficando abandonado por alguns anos á merce de vândalos que invadiram-no e destruíram parte do que ali havia, em dias frios moradores de rua se juntavam e ascendiam uma fogueira no assoalho da casa para se aquecerem com isso destruíram grande parte do piso original. Então em 1976 se tornou o museu de Osasco e assim permanece até os dias atuais.[3]

Giovanni Brícola[editar | editar código-fonte]

Giovanni Brícola foi um importante banqueiro de São Paulo, nasceu na Itália mas se naturalizou brasileiro em 1888. No ano de 1900 se tornou representante do Banco Nápoles em São Paulo, assim formou uma pequena fortuna. Era proprietário de terras na região de Osasco e investia na compra de lotes de terra. Morava em São Paulo e com a grande quantidade de terras que possuía, decidiu construir uma residência para utilizar como casa de campo, Antônio Agú foi o responsável pela construção do chalé brícola no alto de um morro, longe do centro urbano.[4]

Dimitri Sensaud de Lavaud[editar | editar código-fonte]

Dimitri nasceu em Valladolid na Espanha em 1882. Foi o engenheiro responsável pelo primeiro voô da América Latina, Dimitri viveu parte de sua infância na Europa em países como Suiça, Turquia e Grécia e em 1898 veio para o Brasil.[5] Era dedicado à construções de barcos a vela, iniciou o projeto de construção de seu próprio avião em 1908, batizado de "São Paulo". No ano de 1910 em Osasco, ocorreu o primeiro voô inaugural, com duração de 5 a 6 segundos, cujo foi comemorado com euforia, dando à cidade uma grande honra.[6]

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

No Chalé Brícola foram gravadas cenas do filme Zé do Caixão.[3]

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Vista da parte de trás do museu

A arquitetura do casarão tem influências do norte da Itália, e retrata um estilo rural, porém único do Brasil. Essas influências arquitetônicas tem uma ligação direta ao contexto histórico do país na época, imigração Italiana. A casa de varneio foi construida entre árvores e edificado com pinho de riga, mármore de carrará e azuleijos europeus.[7]

Mesmo depois de passar por uma restauração, sua arquitetura continua a mesma. O seu estilo "antigo" dá ao museu certo destaque em meio a uma paisagem com muitos prédios, casas e muros pichados e poucas árvores. [8]

Restauração[editar | editar código-fonte]

Em 2007, a prefeitura da cidade de Osasco deu início a obra de restauração do museu, que foi feita cooperativamente com jovens do curso de capacitação profissional em restauro de Patrimônio Cultural. Durante o projeto mais de cem pessoas foram empregadas, além disso o projeto também demandou um trabalho harmonioso com as outras obras de restauro da região.[9] Toda a obra de restauração foi feita respeitando toda a pesquisa a cerca da arquitetura do casarão, não mudando sua estrutura. [8]

Desde 2009, a secretaria municipal da cultura está trabalhando para que alguns bens móveis e imóveis presentes no museu sejam tombados como patrimônio histórico pelo CONDEPA (Conselho Municipal de Defesa e Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural). O projeto ainda está em andamento e não há previsão de término.[10]

Em 18 de maio de 2013, o museu foi reinaugurado pelo atual prefeito da época, Jorge Lapas, a reabertura tinha objetivo de celebrar o dia mundial dos museus. O evento teve como atração principal a peça “A história de Dimitri” e a exposição de arte “Artes e Ofícios”. A prefeitura pretende aprimorar cada vez mais o acervo histórico. [11]

Acervo[editar | editar código-fonte]

As obras que lá se encontram são doações de antigos moradores da cidade de Osasco. Todas as obras de certa forma contam um pouco sobre a história da cidade. São encontrados alguns troféus, um antigo fogão à lenha, máquinas de escrever e máquinas fotográficas antigas doadas por jornalistas. Também existe uma sala inteiramente destinada a representar a primeira farmácia de Osasco (todo o acervo da farmácia foi doado pelo dono da antiga farmácia). O museu ainda recebe doações para construção de seu acervo, desde que contribuam para construção e memória da cidade.[12]

Atualmente o acervo encontra-se fechado para manutenção. As principais obras do acervo são a réplica do avião que deu origem ao primeiro vôo da América Latina e o canhão de guerra utilizado na segunda guerra mundial. Ambos não encontram-se mais no museu, pois o avião foi retirado para restauração e o canhão foi furtado.[1]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Ltda., Inner Editora. «O primeiro voo na América Latina aconteceu em Osasco · AERO Magazine». AERO Magazine. Consultado em 31 de maio de 2017 
  2. Moura, Guilherme (2 de setembro de 2016). «Museu mostra a história da cidade». Portal OPA. Consultado em 31 de maio de 2017 
  3. a b Japan, Hideo in (28 de setembro de 2012). «Quando o Avião era Aeroplano e a casa era Chalé». Hideo in japan Blog. Consultado em 14 de junho de 2017 
  4. «Cem anos depois, Osasco revive o primeiro voo da América do Sul - Geral - Estadão». Estadão 
  5. «Dimitri Sensaud de Lavaud - personalidades - Estadao.com.br - Acervo». Estadão - Acervo 
  6. http://acervo.estadao.com.br/noticias/personalidades,dimitri-sensaud-de-lavaud,745,0.htm
  7. IBGE. «IBGE | Biblioteca | Detalhes | Museu de Osasco : Osasco, SP». biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 13 de junho de 2017 
  8. a b «http://prefeitura.osasco.sp.gov.br/InternaNot.aspx?id=1321». prefeitura.osasco.sp.gov.br. Consultado em 13 de junho de 2017  Ligação externa em |titulo= (ajuda)
  9. Magento, IABA Criação de Lojas Virtuais. «Restauro e Adaptação da edificação sede do Museu Dimitri Sensaud de Lavaud - Projetos realizados - Portfólio». www.portodecultura.com.br. Consultado em 13 de junho de 2017 
  10. «Osasco vai criar o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico | Osasco Agora - A um clique da Informação». www.osascoagora.com.br. Consultado em 14 de junho de 2017 
  11. Redação (21 de maio de 2013). «Prefeito reabre Museu Dimitri Sensaud de Lavaud - Visão Oeste». Visão Oeste 
  12. Moura, Guilherme (2 de setembro de 2016). «Museu mostra a história da cidade». Portal OPA. Consultado em 13 de junho de 2017