Temari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Três bolas temari decoradas.

As bolas Temari (手まり) são uma forma de arte folclórica e artesanato japonês. Orginárias da China, foram introduzidas no Japão por volta do século VII. O nome "temari" significa "bola de mão" em japonês, elas são feitas de bordados e podem ser usadas em jogos de handebol.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Historicamente, o temari foi construído a partir dos remanescentes de quimonos antigos. Pedaços de tecido de seda seriam enrolados para formar uma bola, e então o maço seria envolvido com tiras de tecido. Com o passar do tempo, o temari tradicional tornou-se uma arte, com a costura funcional se tornando mais decorativa e detalhada, até que as bolas exibiam bordados intricados. Com a introdução da borracha no Japão, as bolas passaram de brinquedos a objetos de arte, embora as mães ainda as façam para seus filhos. Temari tornou-se uma arte e artesanato da alta classe aristocrata japonesa, e mulheres nobres competiram na criação de objetos cada vez mais belos e complexos.[2]

Tradição[editar | editar código-fonte]

Temari são presentes muito valorizados e estimados, simbolizando a profunda amizade e lealdade. Além disso, as cores brilhantes e os fios utilizados simbolizam o desejo de uma vida brilhante e feliz.[2] Tradicionalmente, tornar-se artesão no Japão era um processo tedioso. Atualmente, torna-se um artista de temari no Japão requer treinamento específico, e é preciso testar as habilidades e a técnica antes de ser reconhecido como um artista de temari.[3]

Tradicionalmente, temaris muitas vezes eram dadas por pais para seus filhos no dia de ano novo. Dentro das camadas bem embrulhadas de cada bola, a mãe teria colocado um pequeno pedaço de papel com um desejo de boa vontade para seu filho. A criança nunca seria informada sobre o desejo que sua mãe fez ao fazer a bola.[2]

Princípios de construção[editar | editar código-fonte]

Todas as bolas temari são feitas de acordo com algum método específico de construção que envolve dividir a mari em várias seções através do uso de pinos colocados temporariamente e de linhas permanentemente colocadas. Existem três "divisões padrões" que são reconhecidas: divisão simples (tanjyun toubun), divisão de oito combinações (hattitobun no kumiawase), e divisão de dez combinações (jyuttoubu no kumiawase).[4]

Referências

  1. Berken, Bernadette A. «Ethnomathematics: Unlocking the Wonders of Mathematical Ideas.» (PDF) (em inglês). pp. 14–15. Consultado em 14 de dezembro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 3 de março de 2016 
  2. a b c Vandervoort, Diana. «History of Temari» (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2012. Cópia arquivada em 11 de julho de 2018 
  3. «Temari Stitch, Compartilhe o Wa». temarikai.com. Consultado em 7 de novembro de 2018. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2018 
  4. Barbara B. Suess (2007). Japanese Temari: A Colorful Spin on an Ancient Craft. [S.l.]: Breckling Press. ISBN 978-1-933308-12-8