Templo de Osun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Bosque Sagrado de Osun-Osogbo *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Templo Osun5.jpg
Templo de Osun em Osogbo
País Nigéria
Tipo Cultural
Critérios (ii)(iii)(vi)
Referência 1118
Região** África
Coordenadas 7° 45′ N 4° 33′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 2005  (29ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

Ọṣun-Oṣogbo ou Bosque Sagrado de Osun-Osogbo é uma floresta sagrada às margens do rio Ọṣun que se encontra na cidade de Oṣogbo, no estado de Osun, Nigéria.

Templo de Osun como é conhecido pelos brasileiros que prestam culto a Oxum (Osun) no Candomblé, uma das religiões afro-brasileiras.

Descrição[editar | editar código-fonte]

A floresta densa do Bosque Sagrado de Osun-Osogbo, nos arredores da cidade de Osogbo, é uma das últimas áreas remanescentes de floresta primária no sul da Nigéria. É considerada a casa de Osun, uma das divindades do panteão yoruba. A floresta, o sinuoso rio Osun, santuários domésticos, esculturas e obras de arte erguidas em honra de Osun orixá da fertilidade e outras divindades. A floresta sagrada, agora vista pelos yorubas como um símbolo da identidade, é provavelmente o último bosque sagrado na cultura yoruba. Ela reflete o costume, uma vez difundido, que foi estabelecer lugares sagrados longe de habitações humanas.[1]

Anualmente na cidade de Osogbo é realizada uma festa conhecida mundialmente pelo nome "Osun-Osogbo Sacred Grove Festival" Festival de Osun onde são realizadas oferendas e presentes à Osun, no rio Osun com a participação de moradores e visitantes.

A popularidade do festival aumentou significativamente nos últimos 30 anos, sobretudo devido à dedicação da artista Susanne Wenger, que reconstruiu os santuários e trabalhou para obter o bosque protegido.

Um livro sobre o trabalho da artista austríaca Susanne Wenger (Graz, Áustria 1915-Osogbo, 2009), "The return of the Gods, The Sacred Art of Susanne Wenger" (O retorno dos Deuses, A Sagrada Arte de Susanne Wenger) por Ulli Beier, Londres, Cambridge, 1975. Esse trabalho foi feito no Bosque Sagrado de Osun-Osogbo durante os muitos anos que viveu na África envolvida com a religião yoruba.

Especialistas em religiões tradicionais africanas da Nigéria dizem que o Osun-Osogbo Sacred Grove Festival de 600 anos está ameaçado.[2]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Templo de Osun em Osogbo

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]