Teopompo de Esparta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teopompo foi rei da cidade-Estado grega de Esparta de 720 a.C. até 675 a.C. ano da sua morte, pertenceu à Dinastia Euripôntida.

Sucedeu a Nicandro de Esparta[1] , seu pai[2] e reinou por quarenta e sete anos[1] . No décimo ano de seu reinado foi realizada a primeira olimpíada[1] .

Instituição dos éforos[editar | editar código-fonte]

Os éforos foram instituídos durante o seu reinado, tendo poderes equivalentes aos dois reis.[3] Segundo Plutarco, foi este rei que instituiu os éforos em Esparta, como associados aos reis, [4] cento e trinta anos depois de Licurgo.[5] Quando a sua esposa o reprovou por isso, dizendo que ele deixaria para seus filhos um cargo com menos poder do que o cargo que ele recebeu, ele respondeu: "Não, eles terão mais poder, porque eles estarão mais seguros".[4] [6] A lógica desta frase é que ao abrir mão do que era excessivo e absoluto, ele evitava a inveja e o perigo;[4] [6] de fato, os reis de Esparta duraram muito mais tempo do que na Messênia e em Argos, parentes e vizinhos dos espartanos.[6]

Guerras[editar | editar código-fonte]

Durante a Primeira Guerra Messênia, Teopompo, junto com o rei ágia Polidoro, participou de uma batalha contra os messênios, quatro anos após o início da guerra[7] . Durante a batalha, o batalhão comandado por Teopompo foi derrotado pelo batalhão comandado pelo rei messênio Euphaes[8] , mas a batalha terminou sem um vencedor[9] . Após a batalha, porém, os messênios decidiram abandonar todas as cidades do interior e concentrar a defesa no Monte Itome[10] .

Alguns anos mais tarde, durante o ataque lacedemônio contra Itome, Euphaes atacou a guarda pessoal de Teopompo, mas Euphaes recebeu ferimentos mortais[11] . Euphaes foi sucedido por Aristodemo[12] , que havia, antes, sacrificado a própria filha para a salvação da Messênia, por causa de um oráculo[13] .

Segundo Clemente de Alexandria, ele foi capturado e sacrificado a Zeus por Aristômene, líder dos messênios[14] . Pausânias, porém, que narrou as duas primeiras Guerras Messênias tentando conciliar os textos de Myron de Priene e de Rhianus de Bene[15] , interpretou que Myron errou ao dizer que Aristômene matou Teopompo pouco antes da morte do rei messênio Aristodemo, porque Teopompo não morreu em batalha antes da Primeira Guerra Messênia terminar[16] .

Segundo Pausânias, ele foi o vencedor da Primeira Guerra Messênia[17] .

Durante seu reinado, quando ele já era velho, Esparta disputou com Argos a posse do distrito da Thyreatid; isto ocorreu depois da morte do seu filho Arquídamo[18] .

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Ele foi sucedido por seu neto Zeuxidamo[18] [19] , porém segundo Heródoto ele foi sucedido por seu filho Anaxândrides I[20] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Eusébio de Cesareia, Crônica , Reis de Esparta
  2. Pausânias, Descrição da Grécia, 3.3.2
  3. Dio Crisóstomo, Discursos, Quinquagésimo-sexto Discurso: Agamemnon ou Sobre o ato de reinar, 5
  4. a b c Plutarco, Moralia, Para um governante sem educação, 1
  5. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Licurgo, 7.1
  6. a b c Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Licurgo, 7.2
  7. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.7.7
  8. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.8.9
  9. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.8.11
  10. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.9.1
  11. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.10.3
  12. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.10.6
  13. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.9.8
  14. Clemente de Alexandria, Exortação aos gregos, Livro III
  15. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.6.1
  16. Pausânias, Descrição da Grécia, 4.6.4
  17. Tyrtaeus, citado em Pausânias, Descrição da Grécia, 4.6.5
  18. a b Pausânias, Descrição da Grécia, 3.7.5
  19. Pausânias, Descrição da Grécia, 3.7.6
  20. Heródoto, Histórias, Livro VIII, Urânia, 131 [pt] [el] [el/en] [ael/fr] [en] [en] [en] [es]

Árvore genealógica mostrando a diferença entre o texto de Heródoto (linhas pontilhadas, à esquerda) e Pausânias (linhas pontilhadas, à direita):

 
 
 
 
 
 
 
Carilau
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nicandro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teopompo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anaxândrides I
 
 
 
 
 
Arquídamo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Arquídamo I
 
 
 
 
 
Anaxídamo
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anaxilau
 
 
 
 
 
Arquídamo I
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Leotíquides I
 
 
 
 
 
Agásicles
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hipocrátides
 
 
 
 
 
Ariston
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hegesilaos
 
 
 
 
 
Demarato
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Menares
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Leotíquides II
 


Precedido por
Nicandro
Rei euripôntida de Esparta (segundo Pausânias)
c.720-c.675
Sucedido por
Zeuxidamo
Precedido por
Nicandro
Rei euripôntida de Esparta (segundo Heródoto)
c.720-c.675
Sucedido por
Anaxândrides I