Terçado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Terçado alemão

Terçado [1]ou chifarote[2] é uma variante do alfange com lâmina reta ou ligeiramente curva, de ponta aguçada, usada tanto para cortar como para perfurar, que foi usada pela infantaria do século XVIII até às lutas de trincheiras da Primeira Guerra Mundial.[3]

Embora já existisse desde o século XVI, tornou-se especialmente popular nos séculos XVII a XIX, às mãos da infantaria ligeira e artilharia.[4]

Feitio[editar | editar código-fonte]

Este alfange, que dá pelas nomenclaturas estrangeiras de fascine knife em inglês, braquemard em francês, storta em italiano e Malchus em alemão[5], estava dotado de uma lâmina larga e curta e de ponta afiada, tanto podia ser recta como curva, com um gume ou dois, podendo inclusive ter o contragume serrilhado.[6]

Não tinha copos no guarda-mão, mediria entre 75 centímetros a um metro de comprimento, dos quais a lâmina teria cerca de 50, pesando por volta de 1,35 a 2,25 quilos.[5] É possível que tenha sido inspirada na espada baselarda, uma espada curta usada pelos mercenários suíços, nos finais da Idade Média. [7]

O Malchus alemão trata-se de uma variedade de chifarote que, entretanto, se foi tornando indistinta dos terçados comuns, salvo que se encontra sempre dotada de guarda-mão simples. [8]

Uso[editar | editar código-fonte]

Tanto podia ser usada como arma pessoal ou como instrumento utilitário, para cortar feixes, bardas e almiaras no campo de batalha, por esse motivo lhe chamaram fascine knife em inglês, fascine são bardas ou feixes de ramos, dispostos de feição a formar vedações ou barreiras, a atulhar valas e fossos, ou simplesmente para auxiliar no fabrico de construções temporárias de apoio militar.[9]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

  • O nome “chifarote”[10], diminutivo jocoso de “chifra” ou “chanfra”, que é um implemento de ferro, semelhante à faca, usado por encadernadores e outros artífices, para adelgaçar o coiro, ao raspá-lo. A isso se chama fazer "o chanfro"[11], expressão que, por seu turno, tem origens árabes, mais concretamente do verbete árabe-hispânico xifrâ, que significa cutelo[12].
  • Quanto ao nome “terçado”, cunhou-se por ser um alfange com um terço do tamanho de uma espada comum.[13]

No Brasil, o nome de "terçado" é dado também a facões ou machetes usados principalmente para abrir caminho nas matas, embora possam servir como armas improvisadas.[15][16]

Referências

  1. M. C. Costa, António Luiz (2015). Armas Brancas- Lanças, Espadas, Maças e Flechas: Como Lutar Sem Pólvora Da Pré-História ao século XXI. São Paulo: Draco. p. 53. 176 páginas «O chifarote ou terçado (fascine knife, francês braquemard, italiano storta, alemão Malchus)»
  2. Veiga Coimbra, Álvaro (1960). Questões pedagógicas. São Paulo: Departamento de História, Universidade de São Paulo. p. 487. 500 páginas. doi:10.11606/issn.2316-9141.rh.1960.120156  «chifarote (bracquemart) espada larga e curta, aguçando para a ponta»
  3. a b Callender dos Reis, Josué (30 de junho de 1961). «QUESTÕES PEDAGÓGICAS - NOÇÕES DA ARTE DA ARMARIA». Revista de História: 521. doi:10.11606/issn.2316-9141.rh.1961.121520 
  4. Oakeshott, Ewart (1980). European Weapons and Armour. Guildford & London: Lutterworth Press. p. 152. ISBN 0-7188-2126-2 
  5. a b M. C. Costa, António Luiz (2015). Armas Brancas- Lanças, Espadas, Maças e Flechas: Como Lutar Sem Pólvora Da Pré-História ao século XXI. São Paulo: Draco. p. 53. 176 páginas 
  6. Peter-Michel, Wolfgang: Faschinenmesser. Preußen, Sachsen, Bayern, Württemberg. 2013, p. 9-11 http://www.wpm-koeln.de
  7. *Nuremberg : man hat verboten [...] daz dhein burger weder in der stat noch auzwendig niht sol tragen dhein silberin gürteln [...] dhein welhisch messer noch dheinen basler (Satzungsbücher und Satzungen der Reichsstadt Nürnberg aus dem 14. Jahrhundert ed. Werner Schultheiß, 1965, p. 217)
    • Mainzer Friedgebot (1300), 101: wel man zu Meinze inne woninde ist, der rutinge dregit odir swert odir beseler, der sal uz Meinze varin ein vierteil iaris (ed. Rudolf Steffens), in: Mainzer Zeitschrift 98 (2003), 1-10; beseler glossed as "two-edged knives" in F. J. Mone, Der Friedensbruch der Stadt Mainz, um 1430 (1856).
    • A 1427 law code of Tegernsee lists paslär as one of a number of illegal weapons (verpotne wer), setting a fine for carrying them in the street: Gustav Winter, Osterreichische Weistümer, vol. 8 (1896), p. 970.see also mhdwb-online.de
  8. Veiga Coimbra, Álvaro (1960). Questões pedagógicas. São Paulo: Departamento de História, Universidade de São Paulo. p. 488. 500 páginas. doi:10.11606/issn.2316-9141.rh.1960.120156  «O malchus constitui variante do chifarote, que é hoje difícil distinguir daquele; tem contudo quase sempre um guarda-mão simples que liga com os quartões, a parte anterior dos quais recua para baixo como a do sabre de polícia.»
  9. L'Estrage, C. J. (Janeiro 1888). «Europe in Arms, No. X - The Spanish Army». Illustrated Naval and Military Magazine: A Monthly Journal Devoted to All Subjects Connected with Her Majesty's Land and Sea Forces. 8: 263 
  10. Infopédia. «chifarote | Definição ou significado de chifarote no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  11. S.A, Priberam Informática. «Consulte o significado / definição de chanfro no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, o dicionário online de português contemporâneo.». dicionario.priberam.org. Consultado em 8 de dezembro de 2020 
  12. Infopédia. «chifra | Definição ou significado de chifra no Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Dicionários Porto Editora. Consultado em 17 de outubro de 2020 
  13. S.A, Priberam Informática. «Consulte o significado / definição de terçado no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, o dicionário online de português contemporâneo.». dicionario.priberam.org. Consultado em 17 de outubro de 2020 
  14. George Cameron Stone, Donald J. LaRocca: A Glossary of the Construction, Decoration and Use of Arms and Armor. In All Countries and in All Times. Verlag Courier Dover Publications, 1999, ISBN 978-0-486-40726-5, S. 224.
  15. Bomfim, Eneida do Rêgo Monteiro (2002). O traje e a aparência nos autos de Gil Vicente. São Paulo: Loyola. p. 158. ISBN 8515025604 
  16. «Terçado - Dicionário Online de Português». Consultado em 16 de novembro de 2012 
Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete terçado.
Ícone de esboço Este artigo sobre armas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.