Tito Afrânio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tito Afrânio, Afrênio ou Lafrênio (em latim: Titus Afranius, Afrenius ou Lafrenius; m. 90 a.C.) foi um dos líderes da confederação das cidades aliadas italianas que se rebelaram contra a República Romana durante a Guerra Social em 90 a.C.[1]. Em monte Falerno, ele se juntou a Judacílio e Públio Ventídio Basso e derrotou o legado Pompeu Estrabão, que acabou encurralado em Firmo Piceno. Os outros dois generais seguiram por caminhos separados enquanto Afrânio manteve o cerco. Estrabão, sabendo que um outro exército se aproximava, enviou Públio Sulpício Rufo para atacar a força de Afrânio pela retaguarda enquanto ele próprio montava um ataque frontal. A batalha foi equilibrada até que Sulpício conseguiu colocar fogo no acampamento de Afrânio, que acabou morto em combate. Os sobreviventes fugiram para Ásculo Piceno.[2][3]

Referências

  1. Smith, William (1870). «T. Afranius». In: Smith, William. Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology (em inglês). 1. Boston: [s.n.] 55 páginas 
  2. Apiano (1899). Macmillan & Co., ed. The Roman History. The Civil Wars (em inglês). 2. Londres: [s.n.] p. 34 
  3. Floro, iii. 18

Ligações externas[editar | editar código-fonte]