Tragédia de 9 de abril

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tragédia de 9 de abril
Parte da(o) Revoluções de 1989 e dissolução da União Soviética
April9victims.jpg
Fotos das vítimas do massacre de 9 de abril de 1989, em sua maioria mulheres jovens, em um quadro para cartazes em Tbilisi (2008).
Período 4 de abril de 1989 - 9 de abril de 1989
Local Tbilisi, República Socialista Soviética da Geórgia, União Soviética
Resultado Restauração de ordem
Causas Repressão política
Sentimento nacionalista
Objetivos Direitos civis, autonomia política para a Geórgia.
Características Marchas de protesto, piquetes, manifestantes de rua, motim, hasteamento de bandeiras.
Participantes do conflito
 União Soviética Partido Nacional Democrático
Líderes
Mikhail Gorbachev
Igor Rodionov
Jumber Patiashvili
Merab Kostava
Zviad Gamsakhurdia
Giorgi Chanturia
e outros

A tragédia de 9 de abril, também conhecida como tragédia de Tbilisi, refere-se à violência cometida durante a dispersão de uma manifestação antissoviética em 9 de abril de 1989 em Tbilisi, resultando em 20 mortes e ferindo várias centenas de pessoas,[1] levando à renúncia do governo.[2]

Durante os eventos em Tbilisi, República Socialista Soviética da Geórgia, a manifestação foi brutalmente esmagada pelo Exército Soviético. O dia 9 de abril atualmente é lembrado como o Dia da Unidade Nacional (em georgiano: ეროვნული ერთიანობის დღე erovnuli ertianobis dghe), um feriado nacional.[3]

Referências