Transplante capilar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Transplante capilar é uma técnica cirúrgica que consiste em remover cabelo de uma área doadora do paciente e transplantá-los para um local sem cabelos, inserindo fio por fio, mantendo preservadas as raízes. A duração desta cirurgia é aproximadamente de três a cinco horas e é realizada por meio de anestesia local.[1] É utilizada em tratamentos de alopécia e calvície.[2] [3] A técnica é realizada com cabelos da própria pessoa, não existindo transplante entre duas pessoas.[4] [5] O microimplante é a modalidade mais minuciosa de todas chamado popularmente de FUE, pois o processo é feito lentamente, uma parte de cada vez, justamente pra não dar aquele aspecto compacto de um bloco único de cabelo. Primeiro é cortada uma faixa de pele com aproximadamente três mil fios com folículos – as raízes – da parte de trás da cabeça, que é a região doadora. Através de um enxerto com agulha, eles são transferidos para a área calva, um fio por vez ou no máximo de 3 em 3. Se houver alguns fios na região, uma penugem pelo menos, é ainda melhor, pois o cirurgião saberá o sentido do crescimento dos fios, facilitando o trabalho e o resultado. Se não souber ele implanta os fios de maneira assimétrica, misturando o movimento dos fios.

A única dificuldade do microtransplante é não saber até quando os antigos fios resistirão. O processo deverá ser repetido caso a calvície evolua em outras áreas, mas a repetição só pode ser feita com um intervalo de pelo menos 6 meses, pois a área doadora precisa recuperar a elasticidade. O interessante é que na área nova dos cabelos eles envelhecem, embranquecem e afinam mais lentamente que nas áreas “naturais”. Os fios continuam crescendo normalmente, em média 1 cm por mês, e por isso os hábitos no barbeiro podem continuar os mesmos, cortando e aparando, e não necessitam de nenhuma manutenção especial.

Como é o implante:

• Ele acontece com anestesia local, é feita em um ambulatório, dura cerca de duas horas e o paciente fica todo o tempo sedado. • É preciso ficar 24 horas com atadura na cabeça e sob efeito de analgésico para controlar a dor. No dia seguinte as faixas podem ser retiradas. • Durante 15 dias estarão presentes as casquinhas devido aos furos das agulhas para o implante dos fios. Não as arranque. • Pode haver inchaço na região, o que desaparece por dois dias. • Sol, piscina e atividades intensas somente depois da recuperação total. • Duas semanas é o tempo médio de recuperação e voltar a fazer as atividades normalmente. No terceiro mês os novos fios começam a crescer. Com 8 meses os furinhos da agulha desaparecem e os sinais do microtransplante serão imperceptíveisA naturalidade do resultado final depende da forma como os fios são implantados. As unidades mais finas e delicadas devem ficar na linha de frente, bem próximas umas das outras e respeitando a direção natural de crescimento dos fios. Davi Pontes. 6.

Cirurgia[editar | editar código-fonte]

No centro cirúrgico, uma faixa de couro cabeludo é retirada das partes posterior e lateral da cabeça, onde os fios são mais resistentes e não caem com o passar do tempo. Essas regiões são fechadas, resultando em uma fina cicatriz coberta pelo cabelo é dividida por uma equipe especializada em finas unidades foliculares, contendo de um a quatro fios de cabelo cada. Simultaneamente ao preparo, outro grupo de médicos assistentes, juntamente com o cirurgião, implanta as unidades foliculares na área calva em pequenas incisões que não resultam em cicatrizes. Todo procedimento é feito com anestesia local associada a uma leve sedação e dura cerca de 5 horas. O paciente vai para casa no mesmo dia e pode retornar às suas atividades normais em até 2 dias. Os resultados são extremamente satisfatórios, definitivos e naturais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. KEDE, Maria Paulina Villarejo. Guia de beleza e juventude para homens e mulheres. Rio de Janeiro: Senac Rio, 2005
  2. SBCD. «Cuidado com seus cabelos». Consultado em 01/07/2010. 
  3. LOPES, Antonio Carlos. Diagnóstico e tratamento. vol.2. Barueri: Manole, 2006
  4. LEITE JR., Ademir Carvalho. E o outono para meus cabelos. Histórias de mulheres que enfrentam queda capilar Mg Editores.
  5. «Você sabe o que é FUE?». 

6. Pontes, Davi.www.implantecapilarbrasil.com.br

Novas tecnicas de implantecapilaremfortaleza.com.br