Tratado de Confissom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Tratado de Confissom, impresso em Chaves em Agosto de 1489, foi descoberto em 1965 por Tarcísio Trindade, alfarrabista natural de Alcobaça. Pina Martins publicou-o em edição diplomática em 1973 com um estudo introdutório. Em 2003 foi objecto de uma edição semi-diplomática e de um estudo linguístico, a cargo de José Barbosa Machado.

O Tratado de Confissom, o primeiro livro impresso em língua portuguesa que se conhece, é uma obra de cariz pastoral dirigida aos sacerdotes com a responsabilidade de ministrar o sacramento da penitência, ou seja, a confissão.

Desconhece-se o seu autor, talvez pelo facto de ao único exemplar existente (Biblioteca Nacional de Lisboa) faltar a página de rosto.

A presença de diversos castelhanismos no texto faz suspeitar de que a obra seja a tradução de uma obra castelhana até ao momento não identificada.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • MARTINS, J. Pina. Tratado de Confissom. Lisboa: Imprensa Nacional, 1973.
  • MACHADO, José Barbosa. Tratado de Confissom - vol. I - Edição Semidiplomática e Estudo Histórico. Braga: APPACDM, 2003.
  • MACHADO, José Barbosa. Tratado de Confissom - vol. II - Edição Actualizada, Glossário e Listagem de Palavras. Braga: APPACDM, 2004.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]