Tratado de Kyakhta (1727)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Tratado de Kyakhta foi assinado em 1 de novembro de 1727, em Kyakhta, na Buriácia, entre o Embaixador do Império Russo, S. L. Vladislavovitch-Raguzinsky, e Tchabina, Tegut e Tulishen, representando a Dinastia Qing para definir as fronteiras entre o Império Russo e a China, dando continuidade às negociações iniciadas em Burinsky em 1727.

Esse Tratado foi o resultado de três anos de negociações, realizadas em Pequim.

O Tratado também permitiu caravanas comerciais russas regulares a Pequim e previu a realização de operações comerciais livres de impostos em Nerchinsk e em Kyakhta. Além disso foi autorizada a instalação permanente de uma representação da Igreja Ortodoxa Russa em Pequim, a chamada Igreja Ortodoxa Chinesa.[1].

Naquela época o chá preto começava a ser consumido no Império Russo[2].

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Russian-Chinese Treaty of Kyakhta signed, em inglês, acesso em 1 de março de 2015.
  2. From Russia with (tea) love, em inglês, acesso em 1 de março de 2015.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]