Tratado de Tagilde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Monumento Evocativo ao Tratado de Tagilde

O Tratado de Tagilde foi um tratado firmado em 10 de Julho de 1372 em Tagilde, freguesia do concelho de Vizela [1]. Foi um dos mais importantes acordos políticos de Portugal. O rei D.Fernando I de Portugal assinou com os delegados de João de Gante, duque de Lencastre, o chamado “pacto de Tagilde”. Esse acordo constituiu o primeiro fundamento jurídico do futuro tratado de aliança Luso-Britânica, que ainda hoje perdura.

Naquele pacto, Portugal comprometia-se a ajudar João de Gante, Duque de Lencastre, por mar e por terra, contra Henrique II de Castela e/ou o Rei de Aragão. O rei português não poderia adquirir quaisquer terras nos senhorios de Castela. Já no reino de Aragão as terras seriam daquele, D. Fernando ou João de Gante, que primeiro as conquistasse.[2]

Junto à igreja matriz de Tagilde, encontra-se desde 1953 um elegante padrão em pedra que memoriza o acto entre os dois países.

Cópia do tratado[editar | editar código-fonte]

A Câmara de Vizela conseguiu, em 2022 uma cópia do tratado luso-britânico, quando uma delegação de Vizela, liderada pelo presidente da Câmara, Vítor Hugo Salgado, se deslocou a Londres, onde visitou os Arquivos Nacionais do Reino Unido[3].

Referências

  1. Jornal de Notícias, Tratado de Tagilde entra no calendário [[1]]
  2. Fernão Lopes, Crónica de el-rei D. Fernando, cap. LXVII
  3. «Vizela obteve em Londres cópia do Tratado de Tagilde» 
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.