Henrique II de Castela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Henrique II
Rei de Castela
Rei de Castela e Leão
Reinado 1369 - 1379
Consorte de Joana Manuel de Castela
Antecessor(a) Pedro I de Castela
Sucessor(a) João I de Castela
 
Nascimento 13 de janeiro de 1333
  Sevilha
Morte 29 de maio de 1379 (46 anos)
  Santo Domingo de la Calzada
Sepultado em Catedral de Toledo
Herdeiro João I de Castela
Dinastia Dinastia de Trastâmara
Pai Afonso XI
Mãe Leonor de Gusmão
Filho(s) Ver descendência

Henrique II de Castela, o das Mercês (Sevilha, 13 de Janeiro de 1334 - Santo Domingo de la Calzada, La Rioja, 29 de Maio de 1379), foi rei de Castela, filho natural de Afonso XI de Castela e Leonor de Gusmão e como tal meio-irmão de Pedro I de Castela. Senhor de Trastâmara, inaugurou a dinastia de Trastâmara no trono de Castela e Leão em 1369.

Apelidado o Magnífico, o das Mercês: dispensava larguezas para apoiar suas pretensões. Assassinada sua mãe Leonor de Gusmão por ordem da rainha D. Maria de Portugal em 1350, revoltou-se contra seu irmão Pedro I, apoiando-se no aliado Pedro IV de Aragão. Para alguns autores a morte da mãe e de seu irmão Frederico Afonso de Castela, (senhor de Haro e Mestre da Ordem de Santiago) às mãos do rei, seu irmão, fê-lo decidir lançar-se no caminho do crime, receando por sua vida.

Fugiu em 1356 para a França, quando seu irmão Pedro I subiu ao trono. Recebeu ajuda em 1365 do rei Carlos V de França, que mandou Bertrand du Guesclin levar a Castela as Grandes Compagnies para combater Pedro I e seu aliado inglês, o Príncipe Negro. Vencido em 3 de abril de 1367 em Nájera pelo Príncipe Negro, Bertrand fugiu para o Reino de Aragão. Livre, Bertrand du Guesclin logo obteve a vitória de Montiel (1369). Bertrand, com seus mercenários, sitiou o irmão Pedro I em Montiel, na Mancha, e em 23 de Março de 1369 assassinou-o, colocando assim um ponto final no conflito que havia muito se arrastava e opunha os dois irmãos na luta pelo poder. Coroado em Burgos em 1369, Henrique II foi o 15º Rei de Castela e o 36º Rei de Leão.

Coroação de Henrique II, miniatura medieval das Crónicas de de Jean Froissart
Henrique II (no trono) observando seu meio-irmão Pedro I a ser decapitado (manuscrito na Biblioteca Nacional de Paris).

Este acontecimento traria graves consequências, já que grande parte das cidades apoiava o reinado de D. Pedro I. Henrique parte para a Guerra dos Cem Anos, passando a maioria do seu reinado combatendo as pretensões de João de Gaunt, filho de Eduardo III de Inglaterra, que reclamava o trono por direito da sua segunda esposa, Constança, filha bastarda do rei Pedro I e de Maria de Padilla.

Governou dez anos apoiado pela França, em sua guerra contra as filhas de Pedro I, chamadas de bastardas. Assegurou o trono ao vencer Fernando I de Portugal e João de Gaunt, Duque de Lancaster, pretendentes da Coroa castelhana, e se aliar fielmente a Carlos V. Em 1372 sua frota cooperou por duas vezes para tomar dos ingleses La Rochelle.

Henrique II foi o primeiro nobre a utilizar o anti-semitismo como uma ferramenta política na Espanha, o que conduziu à extinção da convivência, e a um período de tumultos e quezilas, e pode ser considerado como precedente à perseguição dos judeus pela Inquisição Espanhola, iniciada cem anos depois pelos reis cristãos. Entre os perseguidores dos judeus, destacou-se o tristemente célebre João II de Portugal, que agiu sem limites nas extorsões de refugiados judeus bem como na escalofriante história da colonização de São Tomé por crianças judias.

O seu testamento foi outorgado em 29 de Maio de 1379 na cidade de Burgos.[1] O rei Henrique encontra-se sepultado na Catedral de Toledo.

Casamento e posteridade[editar | editar código-fonte]

Casou em 1350 com Joana Manuel de Castela, senhora de Lara e Biscaia, de Peñafiel, de Escalona,e de Villena, filha de João Manuel de Castela e de sua terceira esposa Branca de la Cerda, filha de Fernando de La Cerda. Dela teve três filhos:

Túmulo do rei Henrique II na Catedral de Toledo.

Teve vários filhos fora do casamento, mencionados em seu testamento:


Precedido por
Pedro I de Castela
Rei de Castela e Leão
1369-1379
Sucedido por
João I

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • López de Ayala, Pedro (1994–1997). Crónica del rey don Pedro y del rey don Enrique, su hermano, hijos del rey don Alfonso Onceno (edición crítica y notas de Germán Orduna; estudio preliminar de Germán Orduna y José Luis Moure). [S.l.]: Buenos Aires. OCLC 489686613 
  • Valdeón Baruque, Julio (2001). Los Trastámaras. El triunfo de una dinastía bastarda (em espanhol). Madrid: Temas de Hoy, S.A. ISBN 84-8460-129-3 
  • Valdeón Baruque, Julio (2002). Pedro I el Cruel y Enrique de Trastámara (em espanhol). Madrid: Santillana Ediciones Generales, S.L. ISBN 84-03-09331-4