Tupinambis palustris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTupinambis palustris
Taxocaixa sem imagem
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Teiidae
Subfamília: Tupinambinae
Gênero: Tupinambis
Espécie: Tupinambis palustris

O teiú-palustre (Tupinambis palustris) é uma espécie de lagarto do gênero Tupinambis nativo das regiões cálidas do sudeste brasileiro.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Esta espécie foi descoberta em 2002 pelos zoólogos Paulo Roberto Manzani e Augusto Shinya Abe, na Usina Hidrelétrica Três Irmãos, na Região do Baixo Tietê, entre as cidades de Araçatuba e Pereira Barreto, no estado de São Paulo, Brasil.[1] No ano seguinte, Ayrton Klier Péres, em sua tese sobre o gênero, concluiu que T. palustris era um sinônimo júnior da espécie T. teguixin,[2] o que não foi correspondido por boa parte da comunidade herpetológica, refletido na página web The Reptile Database.[3] No ano de 2012 uma revisão, mediante as análises do DNA mitocondrial de toda a família Teiidae,[4] comprovou a polimorfia dos Tupinambis na qual se correspondia a dois clados de profunda divergência entre si. O T. palustris (junto a T. teguixin, T. longilineus e T. quadrilineatus) pertence ao clados do norte.[5] Esse clado morfologicamente difere do austral em que possui um único par de escamas loreais e uma textura suave nas escamas de todo o corpo.

Nomenclatura

Palustris é uma palavra em latim que significa "que vive nos pântanos" ou pantaneiro (palustre, em espanhol),e descreve o habitat natural desta espécie.

Características diagnósticas[editar | editar código-fonte]

O teiú-palustre se difere principalmente pela tonalidade terrosa nas suas partes posteriores. O padrão é de fundo negro salpicado com pequenas manchas acinzentadas. Manchas negras espaçam-se na superfície do palato e do pescoço. Possui grandes manchas negras no peito. Na coloração, esse lagarto se diferencia das outras espécies do grupo e das integrantes do gênero Salvator pela ausência de bandas transversais na parte posterior. O teiú-palustre difere dos T. quadrilineatus pela ausência de listras estreitas longitudinais de cor branco-amarelado nos flancos, e dos T. longilineus pela ausência de grandes bandas negras nos flancos.

Referências

  1. Manzani, Paulo Roberto and Abe, Augusto Shinya (2002). A new species of Tupinambis Daudin, 1803 from Southeastern Brazil (Squamata, Teiidae). Arquivos do Museu Nacional Rio de Janeiro 60 (4): 295-302.
  2. Péres, Jr., Ayrton Klier (2003). Sistemática e Conservação de Lagartos do Gênero Tupinambis (Squamata, Teiidae). Thesis, Universidade de Brasília, 192 pp.
  3. Tupinambis palustris Manzani & Abe, 2002 em The Reptile Database. Consultado em 28 de septembro de 2013.
  4. Harvey, M. B., Ugento, G. N., Gutberlet, R. L. (2012). Review of Teiid Morphology with a Revised Taxonomy and Phylogeny of the Teiidae (Lepidosauria: Squamata). Zootaxa 3459:1-156
  5. Fitzgerald, L. A., Cook, J. A., & Aquino, A. L. (1999). Molecular phylogenetics and conservation of Tupinambis (Sauria: Teiidae). Copeia, 894-905.