Usuário(a):Instambul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Instambul
Este wikipedista tem fé em Jesus
Conhecido(a) por Se dedicar a um Brasil mais justo, com menos corrupção e menos impunidade
Nacionalidade brasileiro
Principais trabalhos Colaboração no Wikipédia com todas as fases e desdobramentos da Operação Lava Jato e no próprio artigo da operação

Campanha para 2018: Faça o bem! Além de nos indignar com o que há de errado no Brasil e no mundo, devemos semear o bem! Existem diversas formas para fazer o bem: caridade e doações, adoção de um animal, denúncia de corrupção, visita a pessoas com câncer em hospitais.

Estamos no mês de dezembro; mês da Imaculada Conceição.





Meus números[editar | editar código-fonte]

  • Combate ao vandalismo com cerca de 11.000 páginas vigiadas;
  • Cerca de 19.500 edições realizadas e mantidas;
  • Mais de 4.300 páginas editadas;
  • Mais de 1.200 artigos criados;
  • Formatações em mais de 1.500 artigos;
  • Atuação na atualização e manutenção de Eventos atuais e noticias;
  • Participação diversas em debates de PE e debates para consenso de regras.;
  • Participação de normativas como bandeiras em infocaixa e padronização de infocaixas;
  • Participação diversa em Eventos atuais.

Assuntos de interesse[editar | editar código-fonte]

Artigos criados[editar | editar código-fonte]

Diversos

Área da saúde

Astronomia

Biografias

Diversas

Advogados

Ativistas e cientistas políticos

Atores e artistas

Cientistas

Empresários

Esportistas

Executivos

Jornalistas

Magistrados e juristas

Políticos

Procuradores da República

Teólogos

Direito

Empresas

Fatalidades (naturais e provocadas pelo homem)

Filmes

História

Campanhas, institutos, movimentos sociais, sites e organizações

Política

Tecnologias

Teorias da conspiração e conjecturas

Medalhas recebidas[editar | editar código-fonte]

Editors Barnstar Hires.png Medalha do editor
Parabéns por suas contribuições aos artigos sobre investigações policiais e política em geral. Elas são muito úteis! Érico (msg) 02h32min de 8 de dezembro de 2015 (UTC)


Copyeditor Barnstar Hires.png Medalha do editor de texto
Pelo trabalho na formatação de referências. Eu mesmo tento, às vezes, fazer isso, mas canso rapidinho, hehe. Vítor (discussão) 23h53min de 12 de março de 2016 (UTC)


Original Barnstar Hires.png A medalha original
Dou esta medalha a você pelo fato de eu admirar seu trabalho a respeito de artigos sobre escândalos de corrupção no Brasil. Você está sendo muito importante nessa área e continue com seu bom trabalho. Golongo . .. 23h53min de 19 de março de 2016 (UTC)


Tireless Contributor Barnstar Hires.gif Medalha ao contribuinte incansável
Pela sua dedicação! Wink.png  Gato Preto  13h03min de 28 de março de 2016 (UTC)


Peace Barnstar Hires.png A medalha da diplomacia
Obrigado por não ter excluído, e fizeste mais, complementando.

Eu até tentei colocar uma ligação externa, mas a Wiki bloqueou. Era um link do Facebook. Você pode me ajudar? Como colocar vídeos?

Se não puder, blz, mesmo assim, mais uma vez obrigado! Rodrigoablima (discussão) 15h31min de 22 de abril de 2016 (UTC)


Barnstar of Diligence Hires.png A medalha da diligência
Olá, Instanbul! Muito legal a predefinição que criou para a Operação Lava Jato. Parabéns e obrigado pelas boas contribuições! everton137 (discussão) 17h48min de 28 de maio de 2016 (UTC)


Editors Barnstar Hires.png Medalha do editor
Parabéns pelo trabalho e obrigado pela força! Rodrigo Padula (discussão) 18h07min de 15 de junho de 2016 (UTC)


Special Barnstar Hires.png Medalha especial
Pela(s) excelente(s) vigilância(s) dos artigos sobre política, por todo o teu legado (em geral) e por (esta) ser a primeiríssima medalha que concedo a alguém... (risos) Muitíssimos parabéns ! WPTBR (discussão) 16h35min de 18 de junho de 2016 (UTC)


WikiDefender Barnstar Hires.png Medalha do defensor da wiki
Pela paciência por combater a militância com argumentos, apontando padrões universais de edições em diversos verbetes!

ForistadeSãoPaulo 02h27min de 14 de outubro de 2016 (UTC)


Peace Barnstar Hires.png A medalha da diplomacia
Obrigado pela interação positiva e apoio pacífico na resolução de conflitos aqui dentro da Wikipédia. Rodrigo Padula (discussão) 11h35min de 11 de novembro de 2016 (UTC)


Special Barnstar Hires.png Medalha especial
Um feliz natal para você amigo. Brazuca100 (discussão) 23h26min de 23 de dezembro de 2016 (UTC)


Original Barnstar Hires.png A medalha original
Obrigado pelas contribuições! Caio Bessa (discussão) 17h22min de 6 de janeiro de 2017 (UTC)
Barnstar of Diligence Hires.svgPela diligência na Wikipédia
PauloMSimoes (discussão) 00h24min de 5 de abril de 2017 (UTC)
Tireless Contributor Barnstar Hires.gif Medalha ao contribuinte incansável
Desde que você voltou, você parece estar trabalhando bastante. Parabéns! Holy Goo (d . c) 19h16min de 19 de maio de 2018 (UTC)

Admiração pelos trabalhos dos wikipedistas[editar | editar código-fonte]


Propostas, medidas e leis (apoiadas por mim)[editar | editar código-fonte]

10 Medidas contra corrupção do MPF[editar | editar código-fonte]

Este wikipedista apoia o Transparency international no combate a corrupção
Ver artigo principal: 10 Medidas contra corrupção

10 Medidas - O combate à corrupção é um compromisso do Ministério Público Federal. Por esta razão, o MPF apresentou ao Congresso Nacional um conjunto de dez medidas distribuídas em três frentes:

  • Evitar que a corrupção aconteça (prevenção);
  • Trazer uma punição adequada sobre o crime, proporcional ao mal causado
  • Criar instrumentos que permitam a recuperação satisfatória do dinheiro desviado; e acabar com a impunidade, que alimenta a corrupção.

Essas medidas podem se tornar projetos de iniciativa popular, como foi feito com a lei da Ficha Limpa. Para isso, é necessário coletar, no mínimo, 1,5 milhão de assinaturas de eleitores em todo o país. Saiba mais sobre as medidas e a campanha de coleta de assinaturas no site www.10medidas.mpf.mp.br.

Campanha da FIESP não vou pagar o pato da CPMF.

Campanhas de conscientização[editar | editar código-fonte]

Apoio as campanhas do Setembro Amarelo na conscientização contra o suicídio, Outubro Rosa para conscientização da importância da prevenção do câncer de mama, Novembro Azul para conscientização do câncer de próstata.

Campanha da FIESP não vou pagar o pato (da CPMF)[editar | editar código-fonte]

Apoio a campanha nacional da FIESP, Não Vou Pagar o Pato, contra a criação de novos impostos e contra a volta da CPMF http://www.naovoupagaropato.com.br/ Nós, que pagamos já os mais altos impostos do mundo, não devemos pagar o pato pela má-gestão dos governantes.[1][2][3]

Lei de Ficha Limpa[editar | editar código-fonte]

Apoio a Lei da Ficha Limpa, e sua plena utilização, e ao movimento Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), idealizador da Lei da Ficha Limpa.

Lei das organizações criminosas[editar | editar código-fonte]

Apoio a Lei das organizações criminosas, sancionada pela então presidente Dilma Rousseff em agosto de 2013.

Fim da reeleição[editar | editar código-fonte]

Apoio ao fim da reeleição, aprovado pela Câmara em julho de 2015.[4][5]

Independência da Polícia Federal[editar | editar código-fonte]

Independência e fortalecimento da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e de instituições que possam combater o crime organizado.

Apoio ao juiz Sérgio Moro que comanda a Lava Jato no Paraná.

Operação Lava Jato[editar | editar código-fonte]

Abaixo assinado de apoio a Operação Lava Jato (Operação Lava Jato)

Prisão em 2º instância[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Prisão em segunda instância

Apoio a causa de prisão em 2º instância quando julgado e condenado, antes de esgotado todos os recursos. Esta medida aprovada em fevereiro de 2016 pelo Supremo Tribunal Federal[6] e mantida em outubro de 2016 pela mesma corte,[7] é uma vitória contra a impunidade.[8][9]

Cooperação entre países[editar | editar código-fonte]

Apoio a cooperação entre países no combate a corrupção, entre ministérios públicos.

Apoio a lei de acesso à informação homologada pela presidente Dilma Rousseff. Não é porque discordo do governo dela que discordarei de tudo que homologou.

Transparência dos gastos públicos[editar | editar código-fonte]

Apoio sempre e irrestrito a transparência dos gastos, dos investimentos e dos financiamentos públicos.

LAI (Lei de acesso à informação)[editar | editar código-fonte]

Lei nº 12.527/2011

Liberdade de expressão e livre imprensa[editar | editar código-fonte]

Apoio irrestrito à liberdade de expressão e à livre imprensa.

Jornalismo investigativo[editar | editar código-fonte]

Apoio ao trabalho dos jornalistas investigativos no Brasil e no mundo.

Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ)[editar | editar código-fonte]

Apoio aos jornalistas da ICIJ no Brasil, Fernando Rodrigues e Claudio Tognolli e aos jornalistas investigativos internacional, como Gerard Ryle e Charles Lewis.

Fim de censura de biografia[editar | editar código-fonte]

Em 2015, o Supremo Tribunal Federal decretou o fim da censura às biografias.[10]

Manifestações contra corrupção e contra aumento de impostos[editar | editar código-fonte]

Informações úteis de política, economia e diversos[editar | editar código-fonte]

Políticos que se destacam na luta contra corrupção[editar | editar código-fonte]

Entrevista de Delcídio do Amaral à VEJA[editar | editar código-fonte]

foto: Senador Delcídio do Amaral, ex-líder do governo do PT, no Plenário do Senado.
Em entrevista à VEJA, Delcídio afirma que Dilma e Lula sabiam de tudo e tentavam interferir nas operações.

Afirmações de Delcídio do Amaral durante a entrevista à Revista VEJA, onde ele confirma os depoimentos do doleiro Alberto Youssef de que o Palácio do Planalto, Dilma Rousseff e Lula sabiam sobre o Petrolão, e vai além, afirmando que Dilma e Lula tentavam interferir que as investigações fossem adiante.


Impeachment de Dilma Rousseff[editar | editar código-fonte]

Este wikipedista apoiou o impeachment de Dilma Rousseff com base no pedido formulado pelo ex-fundador do Partido dos Trabalhadores (PT) Hélio Bicudo, do advogado Miguel Reale Júnior e da jurista Janaina Paschoal.

Para ler a denúncia veja aqui

Votação na Câmara[editar | editar código-fonte]

Em 11 de abril de 2016, a a comissão especial do impeachment aprovou, por 38 votos a 27, parecer pela abertura do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff.[130]

Em 17 de abril de 2016, os deputados federais aprovaram o prosseguimento do processo de impeachment da presidente da república, Dilma Rousseff. A Câmara dos Deputados, concluiu os 342 votos, nove horas após a sessão ser iniciada.[131]

Votação no Senado[editar | editar código-fonte]

Em 6 de maio de 2016, a comissão especial do impeachment do Senado aprovou, por quinze votos a favor e cinco contra, o relatório do senador Antonio Anastasia, favorável ao prosseguimento do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff.[132]

Em 12 de maio de 2016, com 55 votos favoráveis, 22 contrários e dois ausentes, o Senado Federal autorizou a abertura do processo de impeachment, e determinou o afastamento da presidente da República, Dilma Rousseff, pelo período de até 180 dias.[133][134]

Em 31 de agosto de 2016, Dilma Rousseff perde definitivamente o cargo de presidente da República, por 61 votos a favor do impedimento e 20 votos contra no Senado Federal.[135]

Informação do dia[editar | editar código-fonte]

13 de dezembro, os líderes Europeus assinam em Lisboa, o Tratado de Lisboa.

Notas

  1. Apesar de ser uma biografia resolvi colocar na seção astronomia pela relação do artigo com o tema
  2. Este artigo não se trata de um filme, mas sim de gênero de filme baseado em histórias reais

Referências

  1. Isabella Calzolari (1 de outubro de 2015). «Contra aumento de impostos e CPMF, Fiesp põe pato inflável na Esplanada». G1. Consultado em 14 de março de 2016 
  2. Redação (1 de outubro de 2015). «Contra a CPMF, Fiesp lança a campanha 'Não vou pagar o Pato'». Gazeta do Povo. Consultado em 14 de março de 2016 
  3. Rodrigo Gomes. «Empresários se unem contra volta da CPMF e criação de qualquer outro imposto». Rede Brasil Atual. Consultado em 14 de março de 2016 
  4. Raphael Di Cunto (15 de julho de 2015). «Câmara aprova fim da reeleição e mantém quatro anos de mandato». Valor Econômico. Consultado em 7 de março de 2016 
  5. Nathalia Passarinho (27 de maio de 2015). «Deputados aprovam fim da reeleição para presidente, governador e prefeito». G1. Consultado em 7 de março de 2016 
  6. Estado de Minas (18 de fevereiro de 2016). «STF libera prisão após 2ª instância e condenado será preso mais cedo». em.com.br. Consultado em 24 de fevereiro de 2016 
  7. Renan Ramalho (5 de outubro de 2016). «Supremo mantém possibilidade de prisão a condenados em 2ª instância». G1. Globo.com. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  8. Laryssa Borges (5 de outubro de 2016). «Contra impunidade, STF mantém prisão na 2ª instância». VEJA. Abril. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  9. «Julgamento no STF é decisivo para conter a impunidade». O Globo. Globo.com. 5 de outubro de 2016. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  10. MARCELO BORTOLOTI, MARCELO MOURA E JOÃO LUIZ VIEIRA COM LÍVIA CUNTO SALLES (12 de junho de 2015). «O STF decreta o fim da censura às biografias». Revista Época. Consultado em 7 de março de 2016 
  11. «Risco-país da Argentina fica abaixo do brasileiro, aponta banco JP Morgan». UOL. 13 de janeiro de 2016. Consultado em 24 de março de 2016 
  12. Folha. «Macri coloca a Argentina de volta ao mercado internacional de crédito». Terça Livre Cultura e conhecimento. Consultado em 24 de março de 2016 
  13. Felippe Hermes (2 de fevereiro de 2016). «Como a Argentina de Macri está aplicando um 7×1 no Brasil de Dilma». Spotniks. Consultado em 24 de março de 2016 
  14. «Venezuela: crise e escassez fazem roubos de alimentos dispararem». VEJA. 28 de maio de 2014. Consultado em 24 de março de 2016 
  15. Délis Ortiz (20 de junho de 2015). «Na Venezuela, falta remédio, comida, equipamentos e até papel higiênico». O Globo. Consultado em 24 de março de 2016 
  16. «Bill Gates convence 40 bilionários a doar metade da fortuna nos EUA». Estadão. Consultado em 29 de dezembro de 2016 
  17. «Relatório final da CPI mista da Petrobras tem quase mil páginas e nenhum indiciamento». Estadão. Consultado em 24 de março de 2016 
  18. Agência Estado (10 de dezembro de 2014). «Relatório da CPI mista da Petrobras não pede indiciamento de ninguém». Estado de Minas. Consultado em 24 de março de 2016 
  19. Jornal Nacional (10 de dezembro de 2014). «Relator da CPMI da Petrobras não pede indiciamento de ninguém». G1. Consultado em 24 de março de 2016 
  20. Jornal Nacional (22 de outubro de 2015). «CPI da Petrobras chega ao fim sem pedir indiciamento de políticos». G1. Consultado em 24 de março de 2016 
  21. «CPI da Petrobras chega ao fim com série de constrangimentos ao Congresso». VEJA. 22 de outubro de 2015. Consultado em 24 de março de 2016 
  22. Bom dia Brasil (20 de outubro de 2015). «CPI da Petrobras chega ao fim sem indiciar políticos». G1. Consultado em 24 de março de 2016 
  23. «CPI do BNDES chega ao fim sem pedidos de indiciamento». Congresso em foco. Consultado em 5 de março de 2017 
  24. Aguirre Talento (5 de março de 2017). «Por maioria, CPI do BNDES aprova relatório sem indiciamentos». Folha de S.Paulo 
  25. Fernanda Calgaro. «Após seis meses, CPI do Carf na Câmara termina sem votar relatório». G1. Globo.com. Consultado em 5 de março de 2017 
  26. Reinaldo Azevedo (15 de março de 2016). «Delcídio confirma: governo enterrou CPI que ele mesmo criou para aniquilar oposição». VEJA. Consultado em 24 de março de 2016 
  27. Juliana Castro (15 de março de 2016). «Delcídio: governistas deram fim a CPI do Cachoeira quando perceberam 'risco'». O Globo. Consultado em 24 de março de 2016 
  28. «Governo atuou para pôr fim à CPI do Cachoeira, diz Delcídio». VEJA. 15 de março de 2016. Consultado em 24 de março de 2016 
  29. Juliana Castro (15 de março de 2016). «Delcídio: governistas deram fim à CPI do Cachoeira quando perceberam 'risco'». Globo.com. Consultado em 24 de março de 2016 
  30. «A Lava Jato em números - Caso Lava Jato». Ministério Público Federal. Consultado em 24 de março de 2016 
  31. Cleide Carvalho (1 de novembro de 2015). «Lava-Jato já recuperou R$ 2,4 bilhões para a União». O Globo. Consultado em 24 de março de 2016 
  32. «Lava Jato já recuperou mais de R$ 4 bilhões, afirma Rodrigo Janot». iG. 16 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  33. «MPF congelou equivalente a R$ 4,2 bilhões desviados da Petrobras, diz Janot em Paris». Época Negócios. 16 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  34. a b «'Minha vida corre perigo': a troca de e-mails que desencadeou os Panama Papers». BBC. 6 de abril de 2016. Consultado em 9 de abril de 2016 
  35. «Quem são os 26 brasileiros citados por ora no Panama Papers». Exame. 4 de abril de 2016. Consultado em 9 de abril de 2016 
  36. Fernando Rodrigues (8 de fevereiro de 2015). «Clientes do Brasil tinham US$ 7 bilhões em 5.549 contas secretas». UOL. Consultado em 5 de abril de 2016 
  37. O Globo (9 de fevereiro de 2015). «SwissLeaks: Brasil é o 4º país em número de clientes envolvidos em operações do HSBC». O Globo. Consultado em 5 de abril de 2016 
  38. «Panama Papers: The Power Players». International Consortium of Investigative Journalists. Consultado em 5 de abril de 2016 
  39. Fausto Macedo (9 de fevereiro de 2016). «Transparência Internacional apoia 10 Medidas contra a Corrupção». Estadão. Consultado em 19 de março de 2016 
  40. «Procurador do MPF diz que delações premiadas expandiram a Lava Jato». G1. 24 de março de 2015. Consultado em 24 de março de 2016 
  41. «Setembro Amarelo: saiba o que é e entenda a sua importância». Mulher. Abril. Consultado em 28 de setembro de 2017 
  42. «Dilma e Lula sabiam da corrupção na Petrobras, diz Delcídio». UOL. 16 de maio de 2016. Consultado em 26 de maio de 2016 
  43. «Delcídio do Amaral acusa Dilma e Lula em delação premiada vazada». G1. Globo. Consultado em 26 de maio de 2016 
  44. MIN. TEORI ZAVASCKI (25 de novembro de 2015). «Decisão do STF sobre a Prisão do Delcídio Amaral» (PDF). Supremo Tribunal Federal. Consultado em 29 de maio de 2016 
  45. Luciane Evans (9 de janeiro de 2016). «Brasil tem a maior inflação em 13 anos». Estado de Minas. Consultado em 24 de março de 2016 
  46. Agência Estado (8 de abril de 2015). «Inflação de março é a maior dos últimos 20 anos». Band.com.br. Consultado em 24 de março de 2016 
  47. Vitor Tavares (8 de abril de 2016). «Dilma é eleita líder mais decepcionante do mundo na Fortune». Exame. Abril. Consultado em 29 de maio de 2016 
  48. Jailton de Carvalho (30 de abril de 2016). «Supremo abre nova investigação contra Renan Calheiros e Romero Jucá». O Globo. Consultado em 30 de abril de 2016 
  49. Gustavo Garcia. «Renan consulta líderes para colocar abuso de autoridade em votação». G1. Globo.com. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  50. «STF decide manter Renan Calheiros na presidência do Senado». El Pais. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  51. «Renan Calheiros vira réu no STF por desvio de dinheiro público». G1. Globo.com. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  52. Mariana Oliveira (7 de março de 2016). «Justiça Federal determina prisão imediata de ex-senador Luiz Estevão». G1. Consultado em 24 de março de 2016 
  53. Claudio Dantas, Diogo Mainardi e Mário Sabino. «Estevão no cadeião». O Antagonista. Consultado em 24 de março de 2016 
  54. «Jô Soares entrevista o procurador de justiça Deltan Dallagnol». Gshow. Globo. 2 de agosto de 2016. Consultado em 3 de agosto de 2016 
  55. «Brasileiros querem a continuidade da Operação Lava Jato até o fim das investigações». FENAPEF - Federação dos Policiais Federais. 2 de fevereiro de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  56. «Governador de MG é denunciado por corrupção e lavagem». Terra. 6 de maio de 2016. Consultado em 6 de maio de 2016 
  57. Luciana Nunes Leal (24 de março de 2016). «CÁRMEN LÚCIA APOIA MORO E DIZ QUE O IMPEACHMENT NÃO É GOLPE». Tribuna da Internet 
  58. Gustavo Aguiar (18 de março de 2016). «OAB decide, por 26 votos a 2, apoiar o pedido de impeachment de Dilma no Congresso». Estadão. Consultado em 19 de março de 2016 
  59. Carlos Rollsing (18 de março de 2016). «OAB decide apoiar processo de impeachment de Dilma». Zero Hora. Consultado em 19 de março de 2016 
  60. «OAB vai apresentar novo pedido de impeachment de Dilma no Congresso». G1. 23 de março de 2016. Consultado em 24 de março de 2016 
  61. «Fiesp e setor produtivo lançam campanha 'Não vou pagar o pato'». Valor Econômico. 21 de setembro de 2015. Consultado em 27 de maio de 2016 
  62. Ricardo Brito. «Skaf lança campanha 'Não Vou Pagar o Pato' em frente ao Congresso». Estadão. Consultado em 27 de maio de 2016 
  63. Felipe Moura (21 de setembro de 2015). «93 impostos!? Não vamos pagar o pato, Dilma sapiens! Nem a anta!». VEJA. Consultado em 27 de maio de 2016 
  64. Nathalia Passarinho (9 de maio de 2016). «Presidente em exercício da Câmara anula votação do impeachment». G1. Consultado em 10 de maio de 2016 
  65. Murilo Ramos (10 de maio de 2016). «Waldir Maranhão revoga sua própria decisão de anular sessões do impeachment na Câmara». Época. Consultado em 10 de maio de 2016 
  66. «Maranhão recua e revoga decisão de anular sessão do impeachment». G1. 10 de maio de 2016. Consultado em 10 de maio de 2016 
  67. Renan Rodrigues. «Partido Novo é contra Fundo Partidário e planeja se financiar só com doações de pessoas físicas». O Globo. Globo.com. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  68. «Brasil tem maior manifestação contra Dilma». UOL. 13 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  69. «Maior manifestação da história do País aumenta pressão por saída de Dilma». Estadão. 13 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  70. «A maior manifestação da história brasileira». G1. 13 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  71. https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/quem-e-kim-kataguiri-o-jovem-lider-do-impeachment-eleito-deputado-com-460-mil-votos-2u8mtpkq99qj1ik3x2m2suntr
  72. Época. «Datafolha: 500 mil foram à Paulista em ato contra governo Dilma». Época. Consultado em 19 de março de 2016 
  73. Reinaldo Azevedo (13 de março de 2016). «Meio eletrônico de medição de público contratado pelo MBL aponta: 1,4 milhão de pessoas na Paulista, mesma quantidade apontada pela PM». VEJA. Consultado em 19 de março de 2016 
  74. CAROLINA SERPEJANTE (17 de janeiro de 2014). «11 benefícios que o riso traz para a sua saúde». Minha Vida. Consultado em 19 de março de 2016 
  75. «"Assassinato de Reputações" é o único livro de jornalismo entre os mais vendidos de 2014». Portal VOX. 6 de janeiro de 2015. Consultado em 5 de abril de 2016 
  76. «Assassinato de Reputações – o X9 está de volta». Exame. 15 de março de 2016. Consultado em 5 de abril de 2016 
  77. «20 milhões de páginas lidas». O Antagonista. 9 de julho de 2015. Consultado em 11 de abril de 2016 
  78. Paulo Celso Pereira (8 de agosto de 2014). «Planalto altera perfil de jornalistas na Wikipédia com críticas e mentiras». O Globo. Consultado em 19 de março de 2016 
  79. Isadora Peron (27 de maio de 2016). «Presidente do Supremo proíbe processos ocultos na Corte». Estadão. Consultado em 29 de maio de 2016 
  80. Matheus Leitão. «Decisão sobre prisão em 2ª instância deve mudar, acreditam ministros». G1. Globo.com 
  81. Ricardo Campos Jr. (25 de novembro de 2016). «Presidente nacional da OAB considera "surreal" anistia para caixa dois». Campo Grande News. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  82. Alexandre Alves. «OAB, CNBB e MCCE lancam campanha contra o caixa 2 de campanha eletorais». Novo Eleitoral. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  83. Flávio Ferreira. «Proposta de anistia a caixa dois é 'tapa na cara da população', dizem entidades». Folha de S.Paulo. Uol. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  84. «Redes e ONG atacam iniciativa de conceder anistia a caixa 2». O Povo. 25 de novembro de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  85. «Entidades divulgam manifesto contra risco de anistia a caixa dois». O Globo. Globo.com. 21 de novembro de 2016. Consultado em 28 de novembro de 2016 
  86. «Juízes federais pedem a Cármen que 'defenda o Judiciário'». Estadão 
  87. Marcelo de Moraes (23 de janeiro de 2017). «'Novo relator da Lava Jato terá muito poder', diz presidente da Ajufe». Estadão 
  88. https://www.gazetadopovo.com.br/rodrigo-constantino/artigos/o-psol-de-freixo-jean-wyllys-e-chico-alencar-defende-oficialmente-regime-de-maduro/
  89. https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/28/politica/1501262473_019811.html
  90. https://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/partido-de-bolsonaro-elege-52-deputados-federais-e-vira-a-2-maior-bancada-da-camara-2t7hlkoocmgrixf985wdmeasf
  91. http://recordtv.r7.com/jornal-da-record/videos/bancada-do-psl-sobe-para-52-deputados-e-se-torna-a-segunda-maior-na-camara-08102018
  92. André Shalders. «Eleições 2018: Câmara e Senado terão a maior renovação das últimas décadas, estimam analistas». BBC. Consultado em 18 de outubro de 2018 
  93. Renata Mariz e Leticia Fernandes (14 de dezembro de 2016). «Fux concede liminar para que projeto anticorrupção volte para a Câmara». O Globo. Globo.com. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  94. Gustavo Garde e Fernanda Calgaro (15 de março de 2017). «Eunício Oliveira é eleito presidente do Senado para os próximos dois anos». G1. Globo.com 
  95. «Presidente do Senado, Eunício Oliveira não consegue se reeleger». G1. Globo. 7 de outubro de 2018. Consultado em 17 de outubro de 2018 
  96. Matheus Leitão. «Odebrecht fez jus ao apelido de 'delação do fim do mundo'». G1. Globo.com. Consultado em 12 de abril de 2017 
  97. «Delação do fim do mundo: quais são os próximos passos». Veja. Abril. Consultado em 12 de abril de 2017 
  98. Rodrigo Rangel, Daniel Pereira, Robson Bonin e Laryssa Borges (11 de abril de 2017). «A delação do fim do mundo». Veja. Abril. Consultado em 12 de abril de 2017 
  99. J. A. AUNIÓN. «Surge o primeiro caso da 'delação do fim do mundo' relacionado com a Espanha». El País. Consultado em 12 de abril de 2017 
  100. «Ministro Edson Fachin homologa delação premiada da JBS». Agência Brasil. EBC. 18 de maio de 2017. Consultado em 19 de maio de 2017 
  101. «Todas as acusações da delação da JBS». Veja. abril. 19 de maio de 2017 
  102. «Guia da delação da JBS: entenda as acusações que abalaram o mundo político». BBC. 19 de maio de 2017. Consultado em 24 de junho de 2017 
  103. «Os governadores da JBS». O Antagonista. 19 de maio de 2017. Consultado em 19 de maio de 2017 
  104. «JBS pagou R$ 35 milhões a senadores do PMDB por apoio a Dilma, diz delator». Globo. 19 de maio de 2017. Consultado em 19 de maio de 2017 
  105. «Guia da delação da JBS: entenda as acusações que abalaram o mundo político». BBC. 19 de maio de 2017. Consultado em 24 de junho de 2017 
  106. «"No Congresso parece existir fantasma", diz Molon sobre anistia ao caixa dois». Jovem Pan. Uol. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  107. «Molon: pressa em votar anistia a caixa 2 é por medo da delação da Odebrecht». Rede Sustentabilidade. 24 de novembro de 2016. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  108. «Polêmica sobre anistia a caixa 2 é alvo de críticas na web; veja repercussão». G1. Globo.com. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  109. «Chance de anistia ao caixa 2 causa revolta nas redes sociais». Estadão. 24 de novembro de 2016. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  110. «Alvaro Dias defende aprovação de projeto que acaba com foro privilegiado». Senado. Consultado em 3 de junho de 2018 
  111. «Protestos influenciaram adiamento da votação da PEC 37, diz Gurgel». G1. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  112. «Londrina se mobiliza contra a PEC 37 neste sábado». O Diário. 22 de junho de 2013. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  113. «Ana Amélia defende delação premiada e atuação do juiz Sérgio Moro na Operação Lava Jato». Senado Federal. Consultado em 21 de outubro de 2016 
  114. «Senadora é contra tentativa de anistiar Caixa 2». Ana Amaleia Lemos. 14 de novembro de 2016. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  115. «Eduardo Bolsonaro vence a categoria Combate à Corrupção e ao Crime Organizado». Congresso em Foco. Consultado em 15 de dezembro de 2016 
  116. Hasselmann, Joice (2016). Sérgio Moro – A história do homem por trás da operação que mudou o Brasil. Volume 1 - 1ª edição. ISBN: 978-85-503-0021-4. São Paulo: Universo Dos Livros. pp. 6–9 
  117. https://www.huffpostbrasil.com/2016/11/18/entrevista-fernando-holid_n_13011084.html
  118. «Vergonha: fundo partidário foi usado para bancar luxos de caciques». MBL Canal. Consultado em 14 de junho de 2018 
  119. «Deputado petista quer fundo partidário de 3 BILHÕES pago com seu dinheiro». MBL Canal. Consultado em 14 de junho de 2018 
  120. «Onyx Lorenzoni no Roda Viva: O foro privilegiado é uma excrescência que precisa ser eliminada». VEJA. Abril. Consultado em 24 de novembro de 2016 
  121. Fernanda Calgaro (9 de novembro de 2016). «Relator apresenta a comissão parecer sobre projeto anticorrupção». G1 Política. Globo.com. Consultado em 23 de novembro de 2016 
  122. «Movimentos convocam ato contra anistia ao caixa 2 e foro privilegiado». el País. Consultado em 12 de outubro de 2018 
  123. Mariana Schreiber. «'Nem sempre o que é popular é o melhor para o país', diz líder do Vem pra Rua sobre reformas de Temer». BBC. Consultado em 12 de outubro de 2018 
  124. «Rogerio Chequer reconhece inexperiência e diz que vai cobrar mensalidade de alunos ricos em universidades públicas». G1. Globo.com. Consultado em 12 de outubro de 2018 
  125. Souza, André (24 de março de 2017). «Chamada de 'Moro de MT', juíza relata rotina protegida por 9 seguranças». G1. Consultado em 11 de outubro de 2018 
  126. «Nelsinho Trad (PTB) e Soraya Thronicke (PSL) são eleitos senadores por Mato Grosso do Sul». globo.com 
  127. FUCS, José (25 de maio de 2014). «João Dionísio Amoedo: "A gente quer acabar com os privilégios"». Revista Época 
  128. https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/eleicoes/2018/10/10/recem-eleito-poit-se-mobiliza-contra-aumento-de-salario-dos-deputados.htm
  129. a b «Delcídio diz a revista que Dilma e Lula sabiam sobre a Petrobras». O Globo. 19 de março de 2016. Consultado em 19 de março de 2016 
  130. «Governo perde por 38 a 27 na votação da comissão do impeachment». EL PAÍS. 12 de abril de 2016. Consultado em 12 de abril de 2016 
  131. «Câmara aprova prosseguimento do processo de impeachment no Senado». Processo de Impeachment de Dilma. Consultado em 12 de maio de 2016 
  132. Gustavo Garcia e Fernanda Calgaro (6 de maio de 2016). «Comissão aprova relatório favorável ao prosseguimento do impeachment». G1. Consultado em 12 de maio de 2016 
  133. «Processo de impeachment é aberto, e Dilma é afastada por até 180 dias». G1. 12 de maio de 2016. Consultado em 12 de maio de 2016 
  134. «Como os senadores votaram no impeachment de Dilma». Congresso em foco. 12 de maio de 2016. Consultado em 12 de maio de 2016 
  135. Gustavo Garcia, Fernanda Calgaro, Filipe Matoso e Laís Lis (31 de agosto de 2016). «Senado aprova impeachment, Dilma perde mandato e Temer assume». G1. Globo.com. Consultado em 1 de setembro de 2016 

Eventos atuais[editar | editar código-fonte]

Bandeira da Região Autônoma de Bougainville

Eventos a decorrer: Impeachment de Donald TrumpProtestos em Hong KongBrexit

Mortes recentes: Marie FredrikssonJuice WrldRon Leibman


Imagem do dia Wikipédia