Velay

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Velay (em occitano Velai, em francês Velay) é um território histórico da Occitânia, que atualmente forma o departamento da Haute-Loire. O centro e principal núcleo urbano é Puy-en-Velay.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Velay é situada no sudeste do Maciço Central, entre o vale de Allier no oeste e no sopé das montanhas na margem direita do Ródano à leste. É uma região moderadamente elevada, com o ponto mais alto do Monte Mesenc, em 1754 m.

O relevo de Velay gira em torno do maciço de Maigal que constitue o centro do país.

  • Ao leste e nordeste, o planalto de granito Tence.
  • Ao sul, o planalto basáltico de Mezen.
  • Ao oeste e sudoeste, a Bacia de Puy-en-Velay e do planalto vulcânico Velay.
  • Al norte, o planalto de granito de Craponne-sur-Arzon.

O relevo do planalto é interrompido por vales profundos, especialmente no vale do rio Loire.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Velay é uma região onde o idioma e cultura occitana estão profundamente enraizados. A identidade vellave baseia-se no substrato de duas tradições culturais provenientes, tanto de uma parte, como de outra, do maciço de Maigal.

História[editar | editar código-fonte]

A colonizacão gaulesa deixou uma grande marca em Velay. No entanto, a dominação política e militar dos celtas teve uma influência decisiva sobre a estrutura e coesão do país. Durante a conquista romana, Vélavos foi território gaulês. A capital administrativa foi por algum tempo, Roession (Ruessium) ("bem situada"), hoje chamado de Saint-Paulien, mas em torno de Puy-de-Velay onde o país de Velay está dividido.

Depois de integrar o reino da França, Velay foi anexado à província de Languedoc e a de Beaucaire. O país participou das assembleias de Languedoc, mas no seu próprio negócio foi governado por uma assembleia eleita anualmente: Estados da Velay. A vida política de Velay era constantemente convulsionada por lutas pelo poder travadas entre o bispo e a nobreza. O período das guerras de religião foi particularmente dura e violenta. A cidade de Puy-en-Velay, afeta o campo permaneceu católica, enquanto as terras ao redor aderir à Reforma.

Em termos gerais, a Revolução Francesa não foi bem aceita pela população de Velay que permaneceu fiel aos seus valores religiosos. A população foi durante muito tempo, em oposição à República.