Velha (Blumenau)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rua João Pessoa, localizado no Bairro da Velha (Blumenau) na década de 1920

O Bairro da Velha é um importante bairro da cidade catarinense de Blumenau.

O Bairro, localizado na zona oeste de Blumenau, tem uma superfície de 21,9 km²[1] e é subdividido em: Região da Velha Central, Velha Grande, Velha Pequena, Água Verde e Água Branca (alguns desmembrados na década de 2000)[2]. É neste bairro que se encontra a Vila Germânica[3], local que ocorre, anualmente, a Oktoberfest[4].

História[editar | editar código-fonte]

O Bairro da Velha foi criado, oficialmente, em 1956, porém, sua história é mais antiga que esta data. Nos primórdios da colonização da cidade, a região já constava no mapa, nas proximidades do Ribeirão da Velha. Estas terras foram compradas pelo dr. Blumenau e em 1879 foram adquiridas por Gustavo Stutzer, sendo ocupada nos anos seguintes[5].

Até a década de 1960 a região era essencialmente residencial e nos anos que se seguiram, houve a instalação de alguns indústrias. A partir de 1983 ocorreu um aquecimento imobiliário no bairro, devido a grande enchente do Rio Itajaí-Açu, pouco tempo antes, e como as águas do rio não atingiram a região, muitos blumenauenses transferiram residência para o "Velha"[6].

Denominação[editar | editar código-fonte]

Em relação à denominação do bairro, não existem documentos comprobatórios ou versão oficial ao seu nome e sim alguns relatos populares sobre sua origem, como:

  • Uma família de cognome "Velha" era dona das terras (terras estas localizadas na atual região da Vila Germânica) antes de pertencerem ao dr. Blumenau, originando o nome do Ribeirão Velha que por sua vez deu o nome ao bairro[7];
  • Outra versão é sobre uma velhota de nome Feliciana Coutinho que morava na região em meados do século XIX e sendo ela uma pessoa popular, era chamada de "Velha"[8];
  • A terceira versão faz referência a existência de duas serrarias de um mesmo dono, sendo que uma delas era uma empresa nova e a outra com mais tempo de existência (localizada na região do Ribeirão Velha), assim, quando o cliente passava na serraria "nova" e não encontrava o produto ao qual estava procurando, os funcionários solicitavam que o mesmo procurasse "na velha", ou seja, na outra serraria[9].

Notas e referências