Virundum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Virundum ou Tiocidade, é um neologismo que designa uma percepção imprecisa de uma frase ou conjunto de palavras, que é trocado por uma homofonia. É mais comumente é aplicada a um verso de um poema ou uma letra de canção.[1]

No Brasil, o termo Virundum é originário de uma má interpretação do Hino Nacional Brasileiro cuja primeira estrofe é "Ouviram do Ipiranga".[2]

Em Portugal, o neologismo Tiocidade começou por ganhar popularidade entre na comunidade académica da Universidade de Aveiro, onde um aluno de Engenharia Física fez uma interpretação incorreta do verso "Dentro de ti, ó cidade" da música Grândola, Vila Morena interpretada por Zeca Afonso. De forma independente, esta má interpretação tem ocorrido com outros portugueses.[3]

Em inglês, o termo é "Mondegreen", derivado da escritora Sylvia Wright em um texto que dizia sempre entender uma linha de "The Bonnie Earl O' Moray" que dizia "laid him on the green" (deitou-o na grama) como "Lady Mondegreen”.[1]

Alguns exemplos de virunduns ou tiocidades: "A Noite do Prazer", de Cláudio Zoli, comumente tem a frase de seu refrão "Tocando B.B. King sem parar" interpretada como "Trocando de bíquini sem parar"; "Melô do Marinheiro", d'Os Paralamas do Sucesso", tem "entrei de gaiato no navio" ouvida como "entrei de caiaque no navio";[4] e a canção "Purple Haze", de Jimi Hendrix, tinha "kiss the sky" (beijar o céu) tão compreendida como "kiss this guy" (beijar esse sujeito) que o próprio Hendrix começou a cantar essa versão enquanto apontava pro seu baixista Noel Redding.[5] Algumas se combinam com cognatos: "Eyes Without a Face", de Billy Idol, tem seu título entendido no Brasil como “Ajudar o peixe”.[6]


Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.