Yanick Lahens

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Yanick Lahens
Nascimento 22 de dezembro de 1953 (65 anos)
Porto Príncipe, Haiti
Prémios Prémio Femina (2014)
Género literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo

Yanick Lahens (Porto Príncipe, 22 de dezembro de 1953) é uma escritora haitiana.[1][2]

Iniciou seus estudos no Haiti, mas concluiu o ensino médio na França e graduou-se em Literatura Comparada na Sorbonne. Em 1978 voltou para o Haiti, onde se dividiu entre a carreira acadêmica (lecionando literaturas francesa e haitiana) e a crítica literária. Fundou a Associação dos Escritores Haitianos. Entre 1996 e 1997, trabalhou no gabinete do então ministro da Cultura, Raoul Peck. Em 1998, dirigiu o projeto Rota da Escravatura, que promoveu debates e reflexões sobre o tema da escravidão no país.[3][4]

Estreou na literatura em 1994, com Tante Résia et les Dieux, uma coletânea de contos que mostram diferentes aspectos da realidade haitiana, sempre sob o ponto de vista de narradoras femininas. Em 2014 ganhou o Prêmio Femina com o romance Bain de lune.[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Tante Résia et les Dieux - L'Harmattan, 1994
  • Dans la maison du père - Le Serpent à Plumes, 2000
  • La Petite Corruption - Mémoire d’Encrier, 2003
  • La folie était venue avec la pluie - Éditions Presses nationales d’Haïti, 2006
  • La Couleur de l'aube - Sabine Wespieser Éditeur, 2008
  • Failles - Sabine Wespieser Éditeur, 2010
  • Guillaume et Nathalie - Sabine Wespieser Éditeur, 2013
  • Bain de lune - Sabine Wespieser Éditeur, 2014

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

  • L’Exil: entre l’ancrage et la fuite, l’écrivain haïtien - H. Deschamps, 1990

Referências

  1. Lahens, Yanick. Lehman College (em francês)
  2. a b Yanick Lahens, do Haiti, ganha o Femina, prêmio de literatura francês. G1, 3 de novembro de 2014
  3. Haitian Literature After Duvalier: An Interview With Yanick Lahens. Callaloo Vol. 16, No. 1 (Winter, 1993), pp. 77-93 (em inglês)
  4. Le prix Femina attribué à Yanick Lahens. Le Monde, 3 de novembro de 2014