Zeitgeist

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zeitgeist (Loudspeaker.svg? (audio); pronúncia: tzait.gaisst) é um termo alemão cuja tradução significa espírito da época, espírito do tempo ou sinal dos tempos. O Zeitgeist significa, em suma, o conjunto do clima intelectual e cultural do mundo, numa certa época, ou as características genéricas de um determinado período de tempo.

O conceito de espírito de época remonta a Johann Gottfried Herder e outros românticos alemães, mas ficou melhor conhecido pela obra de Hegel, Filosofia da História. Em 1769, Herder escreveu uma crítica ao trabalho Genius seculi do filólogo Christian Adolph Klotz, introduzindo a palavra Zeitgeist como uma tradução de genius seculi (Latim: genius - "espírito guardião" e saeculi - "do século").[1] Os alemães românticos, tentados normalmente à redução filosófica do passado às essências, trataram de construir o "espírito da época" como um argumento histórico de sua defesa intelectual.

Hegel acreditava que a arte reflete, por sua própria natureza, a cultura da época em que esta foi feita. Cultura e arte são conceitos inseparáveis porque um determinado artista é um produto de sua época e, assim sendo, carrega essa cultura em qualquer trabalho que faça. Consequentemente, ele acreditava que no mundo moderno não é possível recriar arte clássica, que ele acreditava ser uma "cultura livre e ética", que dependia mais da filosofia da arte e teoria da arte, no lugar de uma reflexão da construção social, ou Zeitgeist em que este dado artista vivia.[2]

Referências

  1. Hermann Joseph Hiery: Zur Einleitung: Der Historiker und der Zeitgeist.
  2. Hendrix, John Shannon. Aesthetics & The Philosophy Of Spirit. [S.l.: s.n.], 2005.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.