A Promessa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A Promessa
A Promessa (PT)
 Portugal
1972
Idioma portugues
Distribuição Marfilmes

A Promessa (1972) é um filme português de António de Macedo, uma das obras representativas do Novo Cinema dos anos setenta[1] .

O filme estreou em Lisboa, no cinema Condes, a 21 de Janeiro de 1974.

Ficha sumária[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A Maria do Mar e o seu marido, o José, são jovens recém-casados que vivem numa aldeia de pescadores. A sua intimidade é no entanto perturbada por um voto de castidade que fizeram em consequência de uma tempestade que provocou o naufrágio do barco do pai do José, que consegui salvar-se, ficando aleijado de uma perna. Ambos vivem em permanente tensão, originada pela presença do Labareda, um cigano recolhido pelo casal, na sequência de uma disputa em que foi esfaqueado.

Ficha artística[editar | editar código-fonte]

  • Guida Maria – Maria do Mar[2]
  • Sinde Filipe – Labareda
  • João Mota – João
  • Luís Santos – Pai
  • Maria – Joaquina
  • José Rodrigues Carvalho – Mário
  • Fernando Loureiro – Cigano
  • Francisco Machado – Padre Couto
  • Celeste Alves – Intriguista
  • Luís Barradas – Cigano
  • Fernanda Coimbra
  • Grece de Castro
  • Agostinho Alves
  • João Lourenço
  • António Maia

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Obra original: A Promessa de Bernardo Santareno
  • Adapatação: António de Macedo
  • Realizador: António de Macedo
  • Produção: Centro Portugues de Cinema
  • Produtores associados: António de Macedo, Tobis Portuguesa e Francisco de Castro
  • Director de produção: Henrique Espírito Santo
  • Assistentes de produção: João Franco e Monique Rutler
  • Fotografia: Elso Roque
  • Assistentes de imagem: Pedro Efe e Victor Marques
  • Maquinistas: Manuel Carlos Silva e João Silva
  • Iluminação: João de Almeida (chefe), José Simões e Joaquim Alves
  • Fotógrafo de Cena: Octávio Diaz-Bérrio
  • Director de som: João Diogo
  • Operador de som: José de Carvalho
  • Música: popular portuguesa
  • Registo musical: Michel Giacometti
  • Sonoplastia: Hugo Ribeiro
  • Misturas: António de Macedo e Hugo Ribeiro
  • Montagem: António de Macedo
  • Assistente de montagem: Clara Diaz-Berrio
  • Exteriores: Palheiros da Tocha, Tocha, Figueira da Foz, Buarcos, Gala, Costa de Lavos
  • Estúdios: Tobis Portuguesa
  • Laboratório de. Imagem: Ulyssea Filme
  • Laboratório de som: Valentim de Carvalho
  • Formato: 35 mm cor
  • Género: ficção (drama social)
  • Rodagem: Março de 1972
  • Distribuição: Filmes Castello Lopes
  • Ante-estreia: Festival de Cinema de Santarém, Novembro de 1972

Festivais[editar | editar código-fonte]

  • Festival de Santarém (Novembro, 1972)
  • Festival de Cannes, 1973 (selecção oficial)
  • Festival de Cartagena – prémio Mujol de Oro, 1974
  • Festival de Teerão – prémio especial, 1974

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências