A Protegida de Maria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A Protegida de Maria é um conto de fadas compilado no livro Contos para a infância e para o lar, dos Irmãos Grimm.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Um pobre lenhador e sua esposa tinham uma filha de três anos de idade e não conseguiam alimentá-la. A Virgem Maria apareceu para o lenhador e prometeu cuidar da criança, então ele entregou a criança a ela. A criança cresceu feliz no céu. Um dia a Virgem teve que ir em uma viagem e deu as chaves à menina, dizendo que ela poderia abrir doze portas, mas não a décima terceira. Ela abriu as doze primeiras e encontrou os doze Apóstolos por trás delas. Então ela abriu a décima terceira porta. Atrás dela estava a Santíssima Trindade, e seu dedo ficou manchada com ouro. Ela tentou escondê-lo, mentindo três vezes, então a Virgem Maria disse que ela não poderia mais permanecer por sua desobediência e mentira.

Ela adormeceu e acordou na floresta. Lamentando sua infelicidade, ela se abrigara em uma árvore oca, comia plantas selvagens, e rasgou toda a roupa até que ficou nua. Um dia, um rei a encontrou e achou-a belíssima, mas incapaz de falar. Ele a levou para seu castelo e casou-se com ela.

Um ano depois, ela teve um filho. A Virgem Maria apareceu e exigiu que ela confessa ter aberto a porta. Ela mentiu novamente, e a Virgem Maria levou seu filho, ficando o povo a murmurar que ela havia matado e comido o filho. Em outro ano, ela teve outro filho, e foi como antes. No terceiro ano, ela teve uma filha, a Virgem Maria levou-a para o céu e mostrou-lhe seus filhos, mas ela não quis confessar. Desta vez, o rei não pôde conter seus conselheiros, e a rainha foi condenada à morte. Quando foi trazida para o fogueira, ela cedeu e desejou poder confessar-se antes de morrer. A Virgem Maria trouxe de volta seus filhos, restaurou-lhe a habilidade de falar e deu-lhe felicidades pelo resto de sua vida.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.